13 de fevereiro de 2008

A Guerra contra o Aborto: brasileiros se reúnem em imensa conferência pró-vida

A Guerra contra o Aborto: brasileiros se reúnem em imensa conferência pró-vida

Conferência denuncia organizações internacionais que estão impondo o controle populacional e a imoralidade sexual na América Latina

Matthew Cullinan Hoffman

APARECIDA, BRASIL, fevereiro de 2008 (LifeSiteNews.com) — Aproximadamente 40.000 pessoas lotaram a segunda maior basílica do mundo na semana passada, na abertura do I Congresso Internacional em Defesa da Vida, abrindo uma nova fase na batalha anteriormente indiferente pela vida e valores da família.

“Os ataques que observamos hoje contra a vida humana, respeitados irmãos, são apenas uma das linhas da frente de batalha que representa o problema mais grave que a Igreja atualmente enfrenta, e cujas causas temos de entender em toda a sua profundidade se quisermos que a luz do Evangelho possa continuar inflamando a humanidade que recebemos por Cristo”, disse Carmo Rhoden, Bispo de Taubaté, em seu discurso de abertura.

O Congresso reuniu numerosos grupos e indivíduos da América Latina e Europa para debaterem questões da vida humana e família na Basílica de Aparecida, o templo católico mais sagrado e visitado do Brasil.

Os participantes e apoiadores incluíam a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Associação Nacional Pró-Vida e Pró-Família, a Associação Paulista dos Movimentos em Defesa da Vida, a Associação Nacional de Mulheres pela Vida, a Frente Parlamentar Contra a Legalização do Aborto, Human Life Internacional e a Aliança Latino-Americana pela Família, assim como membros do Congresso Nacional, assembléias legislativas e câmaras municipais, e médicos e bioéticos.

O trabalho do congresso incluiu a criação da Declaração de Aparecida em Defesa da Vida, que delineou uma estratégia agressiva para proteger a vida humana e os valores de família no Brasil, inclusive observadores permanentes no Congresso Nacional para monitorar projetos de lei antivida e promover legislação pró-vida.

O Congresso também formalmente solicitou à ONU “uma moratória da pena de morte no mundo, principalmente dos bebês em gestação, dos retardados e deficientes”, juntando-se a um chamado semelhante recentemente feito pelo Vaticano.

A declaração também denunciou a intervenção de grandes fundações internacionais no Brasil e no mundo, em particular o Conselho de População da Fundação Rockefeller, acusado de ser “anti-natalidade”. Mencionou o fato de que desde que a fundação do Conselho de População na década de 1950, muitas outras organizações foram criadas por fundações ricas, camuflando seus programas sob a facha de “direitos reprodutivos”.

O I Congresso Internacional em Defesa da Vida é parte da campanha nacional dos bispos, “Fraternidade e a Defesa da Vida”, que foi anunciada oficialmente na semana passada. A campanha distribuirá literatura pró-vida para católicos em paróquias em todo o país e confrontará diretamente os políticos que assumem posições contrárias à santidade da vida (veja a cobertura em português de LifeSiteNews aqui: http://juliosevero.blogspot.com/2008/02/bispos-do-brasil-lanam-importante.html).

De acordo com o jornal argentino Clarín, os bispos católicos do Brasil estão agora “em guerra” com o governo do presidente socialista Lula, cujo ministro da saúde apóia abertamente a descriminalização do aborto no país.

Atualmente, o aborto no Brasil é legal apenas nos casos de estupro e quando a vida da mãe está sob ameaça.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

Fonte: LifeSiteNews

Um comentário :

Marcelo disse...

Como eu comentei anteriormente, o papa deve ter passado um sermão nos bispos por ficarem calados tanto tempo. Mas valeu a pena, agora sim vejo que ainda temos grandes pessoas na igreja, só precisavam ser lembradas.