13 de novembro de 2007

A Bíblia e o aquecimento global

A Bíblia e o aquecimento global

Joseph Farah

Certamente, consigo entender o motivo por que pagãos modernos como Al Gore acreditam, apesar da esmagadora evidência científica ao contrário, que o catastrófico aquecimento global produzido pelo homem é a ameaça mais grave ao planeta.

O que não consigo entender é o motivo por que as pessoas que afirmam crer na Bíblia como a infalível e inspirada Palavra de Deus estão acreditando no aquecimento global.

Ainda mais difícil de compreender é a razão por que alguns evangélicos se deixaram prender pela idéia de que o governo e ações internacionais são os métodos adequados para se combater essa ameaça imaginária.

Primeiramente, Gênesis 8:22 relata que Deus promete jamais usar de novo águas de dilúvio como meio de destruir a vida na Terra. Nessa promessa, a Bíblia explicitamente declara: “Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão”.

Em outras palavras, não haverá mais dilúvios catastróficos — o resultado que Al Gore promete no futuro próximo como conseqüência do aquecimento global. O que é tão importante é que há outra promessa ali de que frio e calor não hão de cessar.

O que isso significa?

Significa que Deus, não o homem, controla a temperatura do mundo. Deus, não o homem, controla o clima. Deus, não o homem, controla o “ecossistema” da terra. Deus, não o homem, controla nosso meio-ambiente.

É muita presunção e arrogância crentes e descrentes igualmente pensarem que o homem controla o destino do planeta que Deus criou para nós.

Se fosse assim, ele não nos avisaria? Com todas as profecias da Bíblia, não deveríamos encontrar declarações de que tais questões estão realmente debaixo do nosso controle? Por que, afinal, lemos declarações exatamente opostas na Bíblia inteira?

Não que a Bíblia não nos diga que não há conseqüências para nossas ações no planeta. Aliás, a Bíblia diz com bastante clareza. Mas o que Deus abomina não é a produção de dióxido de carbono. Ele abomina os pecados que as pessoas cometem. Em parte alguma da Bíblia Deus sugere, nem uma única vez, que é pecado produzir CO2.

Tenha em mente que o CO2 não é um poluente. É um gás que ocorre naturalmente — tal qual o oxigênio. Deus, não o homem, criou o CO2. E o Deus da natureza ainda produz muito mais CO2 do que o homem.

Em Isaías 49, numa passagem que os evangélicos crêem que representa as palavras do próprio Jesus, há outra promessa: de que os que O seguirem jamais pereceriam por causa do calor do sol.

“Nunca terão fome, nem sede, nem o calor, nem o sol os afligirá; porque o que se compadece deles os guiará e os levará mansamente aos mananciais das águas”. (Isaías 49:10)

Se o catastrófico aquecimento global representasse uma ameaça real para os crentes, Deus teria feito tal promessa por meio de Isaías?

Isso não significa que o calor jamais será usado como instrumento de juízo. Aliás, de acordo com a Bíblia, isso realmente ocorrerá.

Lemos em Apocalipse 16:9: “E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória”.

O que isso significa é que o calor escaldante será usado como juízo contra os descrentes e, o que é mais importante, que Deus — e exclusivamente Deus — tem o poder sobre tais calamidades.

Sim, haverá uma época em que a Terra será destruída — e o mecanismo de destruição que Deus vai empregar será exatamente o calor intenso. Mas não estamos falando de aumento de alguns graus durante os séculos. Estamos falando de calor tão forte que vai derreter os elementos que compõem a Terra.

Esse acontecimento virá numa época que se parece muito com a época em que vivemos. O evento vem descrito em 2 Pedro 3:

(3) Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências,

(4) E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação.

(5) Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste.

(6) Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio,

(7) Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.

(8) Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.

(9) O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.

(10) Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.

(11) Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,

(12) Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?

(13) Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.

(14) Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.

Muitos evangélicos de hoje concordam com os mundanos que a maior ameaça à humanidade é representada pelo catastrófico aquecimento global produzido pelo homem. Será que esses evangélicos são imaculados e irrepreensíveis?

É burrice e ego puro o homem crer que ele controla o destino da criação de Deus. Mas é ainda mais vergonhoso quando aqueles que afirmam crer em Sua Palavra pregam um falso evangelho de aquecimento global que contradiz diretamente as Escrituras.

Joseph Farah é fundador e diretor de WND.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

Fonte: WND

Leitura recomendada:

Líderes Evangélicos Formam Aliança Profana com os Globalistas Pró-Homossexualismo e Pró-Aborto para Lutar contra o Aquecimento Global?

O aquecimento global e os evangélicos

7 comentários :

Paulo Andre Vieira disse...

Olha, dessa vez o senhor está de parabéns pelo despautério sem tamanho que postou aqui. Já li coisas absurdas mas essa é com certeza uma das mais surpreendentes. Colocar uma matéria que afirma ser o aquecimento global uma ameaça imaginária é... digamos, inimaginável. Em que planeta vocês hétero-cristãos moram? Certamente não na Terra. Deus nos deu o livre arbítrio e infelizmente todos nós, héteros e homos somos sim responsáveis por toda a destruição causada a natureza. Desastres naturais existem sim de forma como o próprio nome diz, natural. Porém, o ser humano é responsável pelo aceleramento de alguns e pela causa direta de vários outros. Isso aqui parece um depósito de informações tendenciosas e sem nenhuma fonte externa ao mundo hetero-cristão que comprove a veracidade das mesmas. Vou dar a mesma sugestão que dei em outro site semelhante a esse: Leia a Bíblia sim, mas por favor leia outros livros que não pertençam apenas ao seu mundo tão tendenciosamente limitado.

Danielle disse...

Julio, olha que legal:

http://www.youtube.com/watch?v=307w-JV7p1k

Pregação curta do Silas sobre a Record...

observador disse...

Parabéns pela excelente matéria.Acho que devemos ignorar os comentários como esse acima que partem de gente que acha que é bem informado porque assiste o Jornal Nacional. Interessante é que no livro de Apocalipse já foi revelado a destruição deste mundo e nunca foi levado a sério pela mídia, agora os cientistas dizem exatamente a mesma coisa sobre o fim e todos recebem como novidade.

artur disse...

muito legal este site! parabens.

Comentarista disse...

Saudações em Cristo:


Em primeiro lugar, quero parabenizar o autor deste blog pela iniciativa de tornar pública a análise de diversos temas atuais tendo como base a cosmovisão cristã. Tarefa nada popular, no entanto, de grande importância para a edificação do corpo de Cristo.

Sobre esse post, ao mesmo tempo em que vejo necessidade do cristão ser um mordomo responsável no cuidado com o meio ambiente (não causando desmatamento, nem poluindo rios irresponsavelmente...), percebo também ser um disparate esse discurso politicamente correto do "Aquecimento Global" e das "Mudanças Climáticas".

Quando o ser humano torna-se escravo da natureza ou, o que é pior, quando torna-se seu adorador (conceito fundamental do paganismo), a visão bíblica é deixada de lado, e o caminho fica aberto para diversas aberrações (até mesmo como forma de controle e opressão social).

A "verdade" em torno desse tema é desconstruída pelo documentário: "A grande fraude do aquecimento global", exibido pelo canal de tv britânico "Channel 4" (disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=1JCVjg7H94s).

Aproveito também para sugerir a leitura atenta e desprovida de preconceitos do texto: "EComenismo: uma verdade inconveniente" (http://minutoprofetico.blogspot.com/2007/04/ecomenismo-uma-verdade-inconveniente.html).

Que Deus abençoe a todos os leitores deste blog.

Mazeu Junior disse...

O criador dos céus e da terra também é o destruidor da mesma. Quando Ele quiser, do modo que Ele quiser e do jeito que Ele quiser. Parabéns pela clara e "quente" explanação. Finalmente um cristão lúcido e inteligente.

marcelo victor disse...

Com a queda, Adão (o homem) trouxe a maldição para a terra.
Disse o Senhor Deus: "maldita é a terra por sua causa".
Essa fala divina expressa as conseqüências da atitude do homem, por ter escolhido seguir o diabo.
Por que a terra seria maldita? Por vontade de Deus?
Claro que não, pois em Deus não reside nenhum mal. Além disso, o próprio Criador havia instruído o homem sobre as conseqüências do pecado da desobediência e, a rigor, "quem avisa amigo é".
Ao escolher o diabo como pai, o homem adquiriu a natureza pecadora e destruidora não só da própria terra, como também de seus semelhantes.
Após a morte espiritual do homem, instalou-se na terra um círculo vicioso: o homem destruindo e o Senhor Deus construindo, apaziguando e perdoando.
Isso perdura, segundo as Escrituras Sagradas, até o ponto em que as abominações e o mau cheiro atingirem as narinas do Criador.
Quando isso ocorre, o Senhor permite que as catástrofes aconteçam, em paga da impiedade humana, ficando patente que o homem trás sobre si, indubitavelmente, as conseqüências das suas obras más.
Porém, espiritualmente falando, muitas das vezes os escolhidos de Deus são poupados dos revezes permitidos por Ele, exatamente como ocorreu com as pragas do Egito que não afetavam os judeus.

O Senhor guarda e guardará milagrosamente o Seu povo (os fiéis), ainda que alguns percam suas vidas (como Tiago que foi morto a espada por Herodes), porém as nações ímpias sofrerão as conseqüências dos erros praticados pelos filhos da destruição, os homens.

Que a emissão de poluentes trás conseqüências danosas para a vida na terra não temos a menor dúvida, até porque, se respirarmos monóxido de carbono em um ambiente fechado por certo tempo, não resistiremos e morreremos. Agora, precisar a relação de gases da atmosfera com a quantidade de poluentes produzidos e relacioná-las com o tempo de emissão, isso é matéria para os estudiosos e cientistas.
Uma coisa é certa, a Palavra de Deus se cumprirá e o homem, com toda sua arrogância, sofrerá as conseqüências de sua insensatez, mesmo que diga (e irá dizer): “há paz e segurança”.