22 de outubro de 2007

Estudo revela que professores homossexuais têm a probabilidade mais elevada de abusar sexualmente de estudantes

Estudo revela que professores homossexuais têm a probabilidade mais elevada de abusar sexualmente de estudantes

SALT LAKE CITY, EUA, 22 de outubro de 2007 (LifeSiteNews.com) — Professores homossexuais do sexo masculino são os mais capazes de ter sexo com seus alunos, de acordo com um estudo abrangendo 7 países. De modo geral, 43% dos professores que acabaram nos noticiários por terem sexo com seus alunos nos últimos 27 anos estavam envolvidos no homossexualismo. Professores homossexuais violentaram 1.925 (56%) das 3.457 vítimas. Mulheres perfaziam 11% dos abusadores sexuais, mas as professoras heterossexuais tinham a menor probabilidade de ter sexo com os alunos. As vítimas, por medo e vergonha, freqüentemente guardam segredo dos incidentes de abuso sexual, de modo que o número real de tais professores abusadores provavelmente é maior.

Lexis-Nexis foi investigada de 1980 até 2006, revelando 902 professores que se sabia terem tido sexo com alunos. Os professores envolvidos no homossexualismo constituíam 63% dos estupradores na Irlanda, 62% na Nova Zelândia, 60% no Canadá, 54% na Escócia, 48% na Austrália, 47% na Inglaterra e 35% nos EUA. As estatísticas são de modo particular importantes considerando que os homossexuais perfazem apenas 3%-5% da população.

“Estupendo”, disse o Dr. Paul Cameron, do Instituto de Pesquisas da Família, uma entidade de Colorado Springs que conduziu a investigação: “Resultados semelhantes foram registrados em estudos americanos de 1978 a 1996. Estudos anteriores incluíam duas pesquisas de opiniões envolvendo supervisores (os homossexuais constituíam 27% e 29% dos estupradores), condenações em 10 estados (os homossexuais constituíam 32% dos estupradores), uma pesquisa envolvendo diretores (35% das queixas eram sobre professores homossexuais) e adultos relatando suas experiências como estudantes (23% dos relatos envolviam homossexualismo). É raro obter tal consistência de método para método, muito menos de país para país”.

A maioria dos professores (54% dos 810 homens, 83% das 92 mulheres) violentou apenas alunos do sexo oposto, e 1.889 (55%) das 3.457 vítimas eram meninos. O estudo foi publicado na Revista Empírica de Conduta do Mesmo Sexo.

Veja o estudo completo aqui:

http://www.ejssb.org/6.html

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

Fonte: LifeSiteNews

2 comentários :

Anônimo disse...

Esse tipo de artigo serve como prova contra o PL.122. Basta mudar o consenso dos senadores com esse tipo de argumento que derrubamos o PL.122. Eu sei que parece feio fazer isso, mas eles não são guiados pelo Espírito de Deus e sim pelo consenso. Não vai adiantar ficar falando da Bíblia para eles mesmo! Através da oração e de provas como essas colocamos os gays no armário de novo. Quando eles estão isolados e no armário são mais fáceis de serem convertidos. Tenho conseguido algum êxito usando estratégia semelhante. Isso quando tenho tempo. Afinal o meu trabalho e divulgar a verdade sobre o governo da Besta do Abismo.

Fique na paz!

http://www.apocalipsetotal.blogspot.com/

>> Teo Jornalista disse...

Este é o tipo de notícia com estatísticas que os militantes homossexuais não gostam de divulgar, mas 'não há nada oculto que não seja descoberto'. Parabéns, Julio Severo!