2 de setembro de 2007

Unção da multiplicação: presentes do coração do Pai estão aguardando você

Atenção: mensagem destinada exclusivamente para homens e mulheres comprometidos e apaixonados por Jesus Cristo!

Unção da multiplicação: presentes do coração do Pai estão aguardando você

Julio Severo

Imagine o cenário. Um homem apresenta-se como pastor evangélico e as pessoas logo lhe perguntam quantos membros ele tem. Ele responde que tem dois, e todos têm dó dele, pensando que ele está no chamado errado, pois a ocupação de pastor necessariamente deve envolver a multiplicação de seu rebanho. Dois é muito pouco. Só dá para o começo.

Aliás, num evento evangélico em que estive recentemente o palestrante pediu, na sua oração, a unção da multiplicação e fertilidade sobre os pastores presentes e suas congregações. Nada mais justo. O povo de Deus tem chamado para se multiplicar. As congregações precisam estar abertas ao crescimento, recebendo novos membros. Quanto mais, melhor. Tudo o que é bom precisa crescer e se multiplicar.

Mas, na visão de Deus, não só as congregações são como rebanhos. As famílias também se encaixam nessa categoria. Aliás, quando Deus prometeu pela primeira vez sua poderosa unção de multiplicação (uma unção que todo líder cristão hoje deseja com todas as forças de sua alma), o alvo de sua bênção não era nenhuma igreja. Era o primeiro casal! E essa unção, embutida no primeiro mandamento, nunca foi revogada.

Parceiros de Deus na missão de criar seres eternos

O casal composto exclusivamente de homem e mulher comprometidos um com o outro é o ideal supremo de Deus na criação. Por isso, a família vem antes das igrejas e do Estado, tanto nos propósitos de Deus quanto na realidade do mundo natural. É por isso também que o Estado não tem o direito de redefinir o que Deus já definiu há milhares de anos: homem e mulher se casam para gerar nova vida. Essa diferença sexual fundamental nenhum chamado “casal” homossexual, lésbico, etc., consegue imitar. Mas a capacidade de gerar nova vida de forma natural é muito mais do que simplesmente criar outro ser.

Deus deu ao ser humano um privilégio exclusivo: participar na criação de outros seres humanos com espírito.

O homem foi criado com espírito para viver para sempre com Deus. Depois que a raça humana foi infectada pelo vírus do pecado, esse privilégio foi removido. Contudo, quando o homem se arrepende de seus pecados e se entrega totalmente a Jesus, seu espírito de novo ganha o direito de viver eternamente com Deus.

Viver eternamente com Jesus Cristo é uma bênção muito maior e mais importante do que ter mansões, fortunas, riquezas, mulheres, fama, etc.

Quando entendemos que temos um espírito — uma vida espiritual invisível —, compreendemos também que fazemos parte de uma realidade espiritual e invisível. Com essa perspectiva, temos valores espirituais — valores que vêm do próprio Deus, pois Ele é o Criador de tudo o que é visível e invisível. Ele é Senhor e tem controle sobre o mundo material e espiritual.

Animal reproduz animal. Mas o homem não reproduz um animal. O ser que o homem gera com a participação fundamental da mulher, por capacitação soberana de Deus, é muito mais do que um “filhote” — é um ser humano criado conforme a imagem e semelhança de Deus, é um ser humano que possui um espírito eterno e é literalmente um galardão (presente) de Deus para o casal.

Presentes de Deus!

“Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta”. (Salmos 127:3-5 ACF)

Nada tem mais valor do que as riquezas espirituais. Quando Deus diz que filhos são bênçãos para os casais que O temem e honram, Ele está descrevendo também bênçãos espirituais. Ele chega a dizer que bem-aventurado é o homem que encher deles a sua aljava, isto é, feliz e sortudo é o homem de Deus que se encher de filhos! É um pensamento bem radical, mas veio da Mente certa, de modo que se nossos pensamentos são diferentes, é só confirmação do que o próprio Deus diz:

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos”. (Isaías 55:8-9 ACF)

Quando Deus diz que bem-aventurado é o homem que enche de filhos a sua aljava, ele está chamando os casais comprometidos com Ele para uma vida de felicidade e multiplicação:

  • Multiplicação de bênçãos: repartir com os outros as bênçãos que Ele concede, principalmente o Evangelho.
  • Multiplicação de valores espirituais: discipulando e ensinando outros nas verdades e princípios da Palavra de Deus (cf. Mateus 28:20).
  • Multiplicação de filhos: tendo abertura para receber de Deus todos os filhos que Ele quer dar, sem Lhe impor limitações e restrições.
  • Multiplicação de valores espirituais: discipulando e ensinando os próprios filhos nas verdades e princípios da Palavra de Deus (cf. Mateus 28:20).
  • Multiplicação de visão: treinando seus filhos para espalhar as verdades e princípios aprendidos da Palavra de Deus (cf. Mateus 28:20).

Se filhos são presentes de Deus, então onde está a disposição de recebê-los? Quem já ouviu falar de alguém que recusou presentes de um grande amigo? Quem já ouviu dizer de alguém que manteve propositadamente sua casa trancada de todas as formas possíveis a fim de que seu melhor amigo não pudesse alcançá-lo com seus presentes?

Entretanto, muitos cristãos agem dessa forma. Deus lhes deu o dom da fertilidade, porém eles se trancam para Ele. Alguns casais cristãos chegam a afirmar que se for a vontade de Deus lhes dar filhos, a contracepção não O impedirá — como se Deus tivesse a obrigação de quebrar portas e janelas da nossa vida para nos forçar a receber Suas bênçãos.

Além disso, o ato de mutilar propositadamente o templo do Espírito Santo não é um pecado pequeno. A própria lei humana estipula penalidades para o indivíduo que, por exemplo, amputar deliberadamente um braço ou perna saudável do próprio corpo. Isso é loucura.

Apesar do valor dos braços e das pernas, quem é que enxerga que um membro muito mais importante e saudável está sendo mutilado e danificado exclusivamente para satisfazer os prazeres e ambições pessoais em detrimento do funcionamento natural ordenado por Deus da sexualidade humana? É possível imaginar alguém que queira amputar a língua a fim de ter algum tipo de prazer e evitar deliberadamente a função natural de falar e sentir gosto?

A única parte do nosso corpo que tem o poder de gerar vida é o órgão sexual, em complementação com o sexo oposto. Por isso, se não faz sentido destruir a função natural da mão ou do pé, menos sentido faz ainda destruir a capacidade de gerar nova vida que o próprio Deus concedeu à sexualidade humana. Só existe alguém — nada bonzinho e santo — que pode estar por trás das atitudes, políticas, programas e métodos de destruir essa capacidade…

Quem controla quem: IPPF, potestades e ambições pessoais

Em nada me impressiona que os ímpios na sociedade queiram o controle da natalidade. Em nada me admira que Lula e seus programas de governo promovam tanto o controle da natalidade. Seus programas incluem educação sexual pornográfica, imposições gayzistas e outras formas de estuprar a sexualidade natural dada por Deus. Gente assim merece o controle da natalidade!

Entende o que quero dizer? Eles realmente merecem um controle necessário na sua própria sexualidade, de modo que não lhes nasçam outros seres inocentes para serem contaminados e contaminarem as próximas gerações com os mesmos valores que eles próprios têm.

Quem apóia o aborto, o homossexualismo e outras perversões não merece ter filhos para prosseguir suas más obras nas gerações seguintes. De fato, eles próprios concordam, pois são eles que promovem e querem a esterilização como forma de controle da natalidade. Eles não merecem ser atendidos em seus desejos pessoais?

Embora Deus queira que os justos se multipliquem, a vontade dEle é que os maus não deixem descendentes (Salmo 37.28b,38). Nessa perspectiva, pode-se dizer que o planejamento familiar, principalmente a esterilização, cumpre perfeitamente o propósito de Deus para os maus. Além disso, eles próprios adoram o controle da natalidade!

Essa “adoração” é compreensível. O termo controle da natalidade é tradução exata do termo original em inglês birth control, criado por Margaret Sanger, famosa teósofa e fundadora da primeira e maior entidade de controle da natalidade do mundo, a Federação Internacional de Planejamento Familiar — mais conhecida pela sigla inglesa IPPF. A IPPF é hoje a maior entidade promotora do aborto e educação sexual pornográfica no mundo, e está participando “discretamente” da campanha que o governo Lula vem provocando para legalizar o aborto.

Os ímpios, com suas políticas, programas e métodos “onipresentes” de planejamento familiar, estão literalmente revogando em suas vidas o primeiro mandamento de Deus. Aliás, eles revogam muito mais quando o assunto é obediência aos princípios de Deus. Para eles, os mandamentos de Deus estão ultrapassados e ponto final!

Contudo, os homens e as mulheres atentos ao coração de Jesus estão abertos aos presentes do Pai. Seu decreto de multiplicar Seus presentes nas nossas vidas nunca mudou. Ele nunca o revogou. Quem o revoga somos nós, mediante nosso próprio orgulho e falta de fé. Quem o revoga somos nós, quando não enxergamos o valor da multiplicação que Deus determinou para nossos casamentos e famílias.

O pior é que muitos cristãos, percebendo ou não, fazem essa revogação em suas vidas sob a inspiração da mentalidade da fundadora da IPPF! Essa mentalidade hoje controla tanto a nossa geração que seu poder só pode ser atribuído à operação de potestades espirituais, pois tanto pagãos quanto cristãos foram sistematicamente doutrinados a pensar que “controlam” sua sexualidade quando na verdade eles próprios é que estão sob controle. É um controle da mentalidade que leva ao controle da natalidade.

No caso dos cristãos, o assunto é muito, muito mais sério, pois nem eles mesmos, e muito menos modismos teosofistas ou operações de potestades, deveriam controlar uma área que, por direito, deveria estar sob o controle direto do Dono dos templos do Espírito Santo.

Ao que tudo indica, muitos desconhecem o fato de que Annie Besant e outros teósofos da Nova Era foram pioneiros nas campanhas para que os casais cristãos tivessem menos filhos. Por incrível que pareça, os princípios da Nova Era fazem sucesso entre os cristãos até hoje.

O valor da multiplicação

Esquecemo-nos de que a própria realidade fornece exemplos notáveis do valor da multiplicação. O pastor de ovelhas vê com bons olhos a multiplicação de seu rebanho, porém fica preocupado quando as ovelhas não dão cria. Todos querem a multiplicação do que é bom. O fazendeiro vê com bons olhos a multiplicação de seu gado — quanto mais, melhor —, porque o gado tem valor.

Mas quem tem gatos ou cachorros não quer multiplicação, ou quando quer, é uma multiplicação muito controlada e por tempo muito limitado — e fica preocupado com o aumento desordenado das proles. O fazendeiro vê tudo de modo muito diferente, pois para ele não existe aumento desordenado de gado, porque toda multiplicação de gado, por maior que seja, é muito bem-vinda!

O “controle da natalidade” é uma medida necessária no caso de cães e gatos. Mas ninguém pensaria em aplicar medidas de “controle da natalidade” no gado. O motivo é bem simples: Só o que tem valor é digno do nosso desejo de multiplicação.

Esse exemplo não serve inteiramente no caso dos seres humanos, pois Deus nos deu uma posição muito mais elevada do que a posição de meros animais. Nenhum animal tem um espírito que possa viver eternamente.

Os justos têm um chamado infinitamente superior. Eles são chamados para criar filhos que serão poderosos na terra! (Cf. Salmo 112:2) O que são filhos poderosos, na visão de Deus? São homens e mulheres que farão uma diferença neste mundo, ajudando a expandir o Reino de Deus em todas as esferas da sociedade.

Se você é pastor, é claro que você deseja na sua igreja um exército de membros assim. Mas lembre-se: Deus deu essa promessa para as famílias.

Por isso, pastor, ensine e profetize sobre as famílias da sua igreja a mesma bênção de multiplicação que você profetiza para o aumento de sua própria congregação! É uma oração que, sem dúvida alguma, agradará muito ao Pai que projetou a família.

A fé com reservas pode agradar a Deus?

Quando um homem justo abre todas as áreas da sua vida para Deus, porém fecha a área da fertilidade, ele está dizendo: “Senhor, eu confio em ti em muitas coisas, mas essa área eu não entrego. Essa área vai ficar sob meu controle, porque confio muito mais em mim mesmo do que em ti. Além disso, não sei o que o Senhor poderia fazer com minha vida se eu deixasse essa área aberta e consagrada para ti!”

Ou então tente imaginar um homem ou mulher dizendo a Deus: “Sei que meu corpo é templo do Espírito Santo, mas preciso mutilar minha sexualidade, pois nessa área só quero prazer e poucos (ou nenhum) filhos”.

Outra grande desculpa para não se receber esses presentes especiais de Deus é a pobreza, como se todas as famílias grandes da Bíblia fossem compostas de milionários sentados à beira de piscinas, tomando refrigerantes gelados e sem nada para fazer o dia inteiro.

Pelos padrões atuais, as famílias grandes da Bíblia eram extremamente pobres: não tinham meios de comunicação, eletricidade, água encanada, telefone, transporte, geladeira, televisão, acesso a ônibus, jornais, etc. Não tinham também a grande variedade de alimentos que temos hoje. Eles tinham muitas vezes 10 filhos, quando não existiam fraldas comuns — fraldas noturnas, nem pensar!

Em vez de piscinas, eles trabalhavam debaixo de sol, e crianças e adolescentes viviam tão ocupados que não tinham tempo algum para se envolver com sexo, drogas e crimes. Eles tinham de passar grande parte do tempo plantando a fim de comer, num trabalho muito exaustivo.

Os casais de Deus no Antigo e Novo Testamento tinham uma vantagem sobre nossa geração. Eles amavam suas famílias muito mais do que nós hoje amamos nosso dinheiro, contas bancárias, viagens turísticas, profissão, diplomas, carros, etc. Eles queriam a multiplicação de seus filhos muito mais do que nós hoje ambicionamos a multiplicação de perecíveis riquezas.

E se o problema é de fato a pobreza, a resposta errada vem do governo, que prega insistentemente o planejamento familiar como a melhor solução para as famílias. A resposta certa, para os casais que amam Jesus Cristo, vem do próprio Deus: “Mas [Deus] livrou os pobres da miséria e fez com que as suas famílias aumentassem como rebanhos.” (Salmos 107:41 NTLH)

Se você é um marido ou esposa pobre, entendeu o que Deus quer fazer na sua vida? Ele quer livrar você da pobreza e fazer sua família aumentar como um rebanho, de modo que os valores, princípios e ensinos que você ensina sejam multiplicados por meio da vida dos seus filhos, que prosseguirão o que você faz, preservando e divulgando seus valores, princípios e ensinos no futuro.

Contudo, se você tem valores, princípios e ensinos que não valem a pena, então realmente não vale a pena você ter filhos. Tudo o que você pode fazer, nesse caso, é pedir que Deus faça um conserto especial em você e sua família.

O controle da natalidade não é resposta nem bênção para homens e mulheres de Deus, que não deveriam trancar sua sexualidade para o Dono de todos os templos do Espírito Santo. Mas é inegável que o controle da natalidade é a resposta ideal para homens e mulheres que não respeitam a Deus.

O seguidor de Jesus tem também outras questões a considerar se reluta em deixar Jesus ser Senhor da sua área sexual. Muitos métodos anticoncepcionais provocam micro-aborto. É por isso que, mesmo para os ateus que tanto gostam do planejamento familiar, o melhor e mais recomendável é que eles se esterilizem, em vez de se apoiarem em métodos anticoncepcionais que matam bebês bem no início de seu desenvolvimento dentro do útero de suas mães. A esterilização os impedirá de deixar descendentes sem matar vidas inocentes.

Multiplicação e vida em abundância são bênçãos de Deus

Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente (cf. Hebreus 13:8). Ele veio para trazer, em todos os sentidos, vida em abundância (cf. João 10:10). Para os casais de Deus, a vida em abundância de Jesus também se manifesta na multiplicação que o Pai determinou para a fertilidade do casamento, para que as famílias aumentem como rebanhos, conforme Sua própria soberana vontade, que jamais deveria ser revogada por nossa própria vontade arrogante.

Deus tem para cada pai e mãe o chamado de pastorear seu rebanho de filhos. E ao aceitar esses presentes iniciais, ninguém pode antecipar quais outras surpresas de Deus poderão vir.

Deus é bom, justo e compassivo. Aliás, Ele é amor. Quando Ele traz suas bênçãos de multiplicação, tudo em nossa vida se multiplica e é “afetado” de forma positiva. Deus poderá multiplicar o número de seus filhos, conforme Sua própria decisão, contanto que você aceite a soberania dEle em todas as áreas da sua vida. Se deixar de usar o controle da natalidade, talvez você não venha a ter muitos filhos, mas se muitos chegarem, a sua alegria se multiplicará, se o seu coração de fato está no Senhor Jesus.

Você se verá como o pastor abençoado de uma igreja razoável, e só depois de ver seus netos e bisnetos é que você poderá dizer que de fato você tem uma bela igreja!

O casal Jim e Michelle Duggar é um exemplo de paixão por Jesus. Eles estão hoje discipulando 17 filhos para Ele! (Veja foto ao lado) Eles fizeram a decisão consciente de não colocar nenhuma restrição na vontade de Deus para sua família. Pelo contrário, eles estão com as portas de sua casa e coração aberta s ao Deus das surpresas agradáveis. Vale a pena visitar o site da família Duggar, em inglês: http://www.duggarfamily.com

Se tal soberania divina sobre seu corpo e sua sexualidade não lhe agrada, Deus pouco pode fazer — e é bem triste quando temos todos os presentes prontos para um amigo, mas ele se tranca a fim de não recebê-los.

No entanto, onde há braços e corações abertos, Jesus pode entregar os presentes do Seu coração, pois todas as coisas são possíveis para Deus, e todas as coisas são possíveis para quem tem fé e deixa Deus operar.

“Sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem se aproxima dele precisa crer que ele existe e que ele dá recompensas aos que buscam conhecê-lo profundamente”. (Hebreus 11:6)

Fonte: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

Leitura recomendada:

Livro De Volta Ao Lar

Por que os cristãos usam o controle da natalidade?

Controle populacional e homossexualismo

A verdade sobre alguns métodos de planejamento familiar

Quando Maior é Melhor

Europa sob ameaça de castigo? Como o abandono do Cristianismo pode estar levando a Europa ao desastre

Os anticoncepcionais estão contaminando as pessoas?

5 comentários :

Catellius disse...

Convido você a debater religião em meu blog

Lucas Castro & Isabella Passos disse...

É julio...o bicho ta pegando mesmo heim
Caos total.

Materia na folha de S. Paulo de hoje:

Ex-deputada, famosa pela "dança da pizza", discursa contra aborto e é vaiada
EM SÃO PAULO
DA REPORTAGEM LOCAL

Nem a eleição de 2010, nem o plebiscito sobre a venda da Vale do Rio Doce, muito menos o debate sobre o socialismo. O momento mais tenso do 3º Congresso do PT ocorreu ontem pela manhã, na discussão de um tema que não estava no script do evento: o aborto. No meio de uma inofensiva resolução sobre as mulheres, um parágrafo deixou o plenário em polvorosa: pedia a legalização (termo depois mudado para descriminalização) do aborto.
Pela defesa da legalização falaram a ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial) e a deputada federal Iriny Lopes (ES), que alfinetou as alas católicas do PT. "Somos um partido socialista e laico, não podemos nos esquecer disso", disse, sob um misto de vaias e aplausos.
Após outros discursos nervosos e discussões de delegados, chegou a hora da ex-deputada Angela Guadagnin (SP), famosa pela "dança da pizza" na Câmara, durante o escândalo do "mensalão". Ela é da ala contrária ao aborto. "Não podemos impor a todos uma questão que não é consenso entre nós", disse, no início de sua fala.
Neste momento, começaram as vaias. Um grupo de mulheres deu as mãos, formando uma corrente, e virou as costas para a tribuna na qual Guadagnin discursava.
A ex-deputada insistiu: "A lei garante o direito à vida desde a concepção". As vaias aumentaram, abafando sua fala. Guadagnin finalmente desistiu e abandonou o local.
Os dirigentes da sessão pediram calma e iniciaram a votação. Venceu a proposta pró-aborto, com cerca de 70% dos votos. (FZ E JAB)

Ailton disse...

É bom ter família, mas algumas pessoas como eu não nasceram para ter nenhuma glória aqui na terra. Eu sou uma árvore seca, mas...

E não fale o filho do estrangeiro, que se houver unido ao SENHOR, dizendo: Certamente o SENHOR me separará do seu povo; nem tampouco diga o eunuco: Eis que sou uma árvore seca.

Porque assim diz o SENHOR a respeito dos eunucos, que guardam os meus sábados, e escolhem aquilo em que eu me agrado, e abraçam a minha aliança:

Também lhes darei na minha casa e dentro dos meus muros um lugar e um nome, melhor do que o de filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará.

...agora entende o que eu disse, sacrifiquei a minha vida com muito prazer em nome do evangelho profético. Mesmo abandonado pelas Igrejas que tanto me desprezam e humilham, mas Deus não me abandonou. Olha só o que eu vou receber em troca. Mais galardões celestiais.


Mas aqueles que não conseguem se controlar que se casem não é mesmo!

Espero que um dia você conheça o meu trabalho na internet.

Leandro disse...

Muito bom este post. Com certeza vem da interpretação balanceada correta da própria palavra de Deus.

Na cultura hebraica, os filhos eram considerados HERANÇA DO SENHOR (não dos pais). Todos os filhos eram esperados e bem recebidos. Desde o momento da concepção, enquanto gestantes, as mulheres eram proibidas de fazer qualquer tipo de trabalho, exceto para se dedicar ao bebezinho, ainda no ventre. Algo que poucos conhecem é que as 7 festas do Senhor de Levíticus 23 ('festas' vem do hebraico mow'ed, que significa "encontro marcado") coincidentemente se alinham com o ciclo de vida de um bebê. (Leia o livro The Seven Feasts of Israel, by Zola Levitt). É incrível como Deus tinha tudo tão bem planejado para o benefício do homem, desde o momento da concepção.

Ao contrário da cultura hebraica, se eu chegasse em qualquer restaurante ocidental, com uma vã com todos os meus 15 filhos para ter um almoço(vou querer ter uma quantidade equivalente de filhos! tomara que seja mais!), as pessoas achariam estranho "O que há de errado com essa família?!", enquanto que a BÍBLIA, PALAVRA DE DEUS diz que os filhos são HERANÇA DO SENHOR.

Creio que Deus está separando uma esposa para mim que também pensa da mesma forma, pois desejo entregar essa área a Deus, deixando para o próprio Presenteador (Adonai) me dar quantos presentes Ele quiser! Problemas financeiros? Como (futuro) marido, eu serei somente o canal de provisão DE DEUS, ou seja, quem vai me dar todo o amparo financeiro para sustentar tamanha família é DEUS! Isso não tem a ver com os pais, tem a ver com DEUS. Deus é a fonte, não eu, então por que tantas pessoas confiam tanto em si mesmas, culpando o limite do "Planejamento/orçamento familiar" mesmo com seus lábios confessando o oposto (que amam a Deus)?!

Shalom!
- Leandro

Dom Rafael disse...

Eu estou começando a ser convencido dessa visão, irmão-san, graças a Deus, a você e à Mary Pride.
Meu medo é como eu vou sustentar uma família, se minha mulher vai trabalhar no lar? eu tenho MEDO, sabe, já que eu sou DESEMPREGADO há quase 5 anos.
Paz pra vocês e que Deus me ajude: queria ter uma família GRANDE, bem na CONTRAMÃO do Mundão.