12 de julho de 2007

Papa declara que quem não é católico não está na verdadeira igreja

Papa declara que quem não é católico não está na verdadeira igreja

Bento provoca guerra de palavras ao declarar que os outros cristãos são ‘deficientes’

© 2007 WorldNetDaily.com

O Papa Bento 16 causou controvérsia no mundo inteiro ao aprovar um documento que diz que as comunidades cristãs não católicas são ou deficientes ou não são verdadeiras igrejas, e que a Igreja Católica Romana fornece a única via de salvação.

“Cristo ‘estabeleceu aqui na terra’ apenas uma igreja”, diz o documento, reafirmando a primazia do Catolicismo.

O documento diz que as outras comunidades cristãs, tais como as protestantes, “não podem ser chamadas de ‘igrejas’ no sentido apropriado”, pois não têm o que é conhecido como sucessão apostólica — isto é, não conseguem apontar a linhagem de seus bispos até os 12 apóstolos originais de Jesus.

O documento diz que a Igreja Ortodoxa sofreu uma “ferida” porque não reconheceu a primazia do papa, acrescentando que a ferida era “ainda mais profunda” entre as denominações protestantes.

Era “difícil ver como o título de ‘Igreja’ poderia possivelmente lhes ser atribuído”, diz a declaração da Congregação para a Doutrina da Fé, dando a opinião de que o Catolicismo Romano é a “única Igreja de Cristo”.

“Essas igrejas e comunidades separadas, embora creiamos que sofrem de defeitos, não são desprovidas nem de valor nem de importância no mistério da salvação”, declara o documento. “De fato o Espírito de Cristo não deixou de usá-las como instrumentos de salvação, cujos valores derivam dessa plenitude de graça e de verdade que foi confiada à Igreja Católica”.

O documento, formulado como cinco perguntas e respostas, repetia seções de um texto de 2000 que o papa escreveu quando era prefeito da congregação, “Dominus Iesus”, o qual enfureceu os protestantes e outras denominações cristãs porque dizia que não eram igrejas verdadeiras e não tinham os “meios de salvação”.

A declaração do Vaticano, assinada pelo cardeal americano William Levada, foi aprovada por Bento em 29 de junho, a festa de São Pedro e São Paulo de acordo com a religião católica.

Os líderes protestantes não perderam tempo em atacar a declaração.

“Faz-nos questionar se estamos realmente orando juntos pela unidade cristã”, disse a Aliança Mundial de Igrejas Reformadas, um grupo de 75 milhões de protestantes em mais de 100 países. “Faz-nos questionar a seriedade com que a Igreja Católica Romana leva seus diálogos com a família reformada e outras famílias da igreja”.

A edição online de hoje do jornal London Times destacou a matéria com a seguinte manchete: “Se não for católica romana, então não é a igreja apropriada, o papa diz aos cristãos”.

Sua edição online também mostra os comentários dos leitores, onde pessoas do mundo inteiro estão reagindo ao pronunciamento, inclusive:

  • O papa está sendo honesto ao dizer o que crê todo católico que pensa corretamente. (Brian Cinneide, Durban, África do Sul)

  • A Igreja Católica Romana É a Igreja verdadeira, todas as outras são “derivações”, “separações” ou denominações. (Connie, Billings, Montana, EUA)

  • Suponho que o centro da questão é que se não aceitarmos o papa como nosso líder, então a igreja aonde vamos é ilegítima. Essa é a coisa mais ofensiva e arrogante que já ouvi, considerando que a Igreja Católica fica nos dizendo que quer estender a mão a outras religiões cristãs e não cristãs. Eu diria que a Igreja Católica não agiu “apropriadamente” ao publicar esse artigo provocativo. (Niki Saliba, Melbourne, Austrália)

  • Sinto-me envergonhada de ser católica. Sinto como se uma grande parte de minha difícil, progressiva e crescente decisão de permanecer católica tenha sido extirpada. O papa vai levar a Igreja de volta a um tempo em que era habitada por uma minoria de fanáticos, que só sabiam se bajular… (Janet, Ohio, EUA)

  • Apenas me mostre o motivo por que é que é quase impossível permanecer católico praticante. O meio é mais importante do que a mensagem. Realmente achamos que Cristo pensaria que é mais importante pertencer a um ramo da Cristandade do que viver de acordo com os ensinamentos dele? (Maria, Sydney, Austrália)

  • Os primeiros cristãos deram um exemplo ruim para todos. Eles oravam em outras línguas, se envolviam com profecias, impunham as mãos sobre os doentes, expulsavam demônios e faziam cultos nas catacumbas. Eles viviam unidos até a morte e crucificação. Eles agiam como se estivessem apaixonados por Deus como resultado de uma experiência sobrenatural por meio do Espírito Santo, como resultado da morte redentora de Cristo. Esses cristãos “impróprios” nunca entendiam direito suas práticas da Igreja primitiva! (Mark, Houston, Texas, EUA)

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

Fonte: http://www.wnd.com/news/article.asp?ARTICLE_ID=56612

12 comentários:

José Roberto Braz disse...

Conhecendo as práticas e atos cometidos pela igreja ao longo da história, acredito profundamente que a igreja católica não ocuparia nem a última posição na fila, para representar a Deus aqui na terra!

Anônimo disse...

esse texto e redigido pelo papa e ridiculo quem e a igreja catolica ? rainha da idolatria ,a mesma que divide o senhorio de Jesus com essa tal de nossa senhora que a biblia nao fala a respeito, e que ao longo dos anos esteve presente na destruicao da fe crista , avisem ao alto clero da igreja catolica que o que vale pra jesus e a biblia e nao oq e votado em seus concilio e que tds sao iguais perante Deus !


A igreja catolica e o cancer do cristianismo!

mary* disse...

mais um comentário bobo...

Julio Severo,
ainda bem que o Papa afirma isso com tanta clareza: a Igreja Católica Apostólica Romana é a verdadeira, a Igreja que Jesus Cristo instituiu.

Visite meu site
www.saborearavida.blogspot.com

Já tenho o seu linkado ao meu blog faz tempo!

Deus o abençoe.

Anônimo disse...

Agora não há mais dúvidas para aqueles que ainda tinham em relação a posição oficial- verdadeira da Igreja Católica- sempre clara para a maioria da sua cúpula através dos escritos e ensinos oficias.

O povo católico não tem culpa disto. Não podemos cair na armadilha de entrar - iniciar uma "guerra santa" - basta uma suposta minoria islâmica radical batendo em nossas portas. É hora de proclamar a verdade e o respeito, mesmo diante de palavras ou ideias, "verdades" tão diferentes das nossas.

Creio que de certo modo isto faz parte da verdade que está vindo à tona. E a verdade nem sempre é agradável. È um tempo que de certo modo nos lembra um juízo e por isso precisamos ter "juízo" - digo, sabedoria e sobriedade em nossas reações além de perdoarmos - um valor fundamental do cristianismo.

Pedro disse...

Fico feliz com a declaração do papa, estaria preocupado se ele tivesse falado o contrário, pois dai seria um sinal claro de que a intenção da igreja católica é o ecumenismo. Para falar a verdade acho até engraçado que os protestantes estejam chiando tanto. Nós sempre nos colocamos em uma posição contrária à católica e contrária ao ecumenismo, e agora que o papa se coloca contrário a tudo isso, todo mundo chia!?!?! Essas incoerências...

Anônimo disse...

1 João 2:22,23

22 Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho.
23 Qualquer que nega o Filho, também não tem o Pai; mas aquele que confessa o Filho, tem também o Pai.

Bem sabemos que muitas religiões negam que Jesus seja o filho de Deus, e que nossa Bíblia é seletiva afirmando que aquele que não reconhece o filho não tem o Pai, o verdadeiro Deus!
Então pergunto: Por que o Papa não cumpre o seu papel como Porta Voz de Deus na Terra, e fala, o que ele disse contra os evangélicos, em alto e bom som contra aquelas religiões que não professam que Jesus é o Filho de Deus e que estas não tem o verdadeiro Deus Bíblico!
Será que ele tem medo? Jesus não teve medo de anunciar o evangelho, nem de se afirmar como filho. Enfrentou a morte por isso!

Gabriel Resgala disse...

Felizmente, esta posição do Vaticano é compartilhada por uma minoria ínfima de todas as "correntes" e pessoas que compõem o catolicismo. E o papa, apesar de sua postura de liderança e respeito que merece, não fez esse pronunciamento utilizando o recurso da "infalibilidade" (que, aliás, é pouquíssimo utilizado), portanto essa posição não tem caráter dogmático, muito menos imutável.

Sabemos que, mesmo com nossas diferenças enquanto cristãos, devemos trabalhar sempre para nos unir pelas nossas semelhanças, pois esta é a verdadeira atitude cristã. Há também várias Igrejas evangélicas que pregam que só eles se salvarão - ou, pelo menos, só a "nação evangélica". É hora de cada um reconhecer seus erros, para juntos lutarmos por aquilo que realmente interessa: a construção do Reino de Deus.

Samyr disse...

Gente, não é lícito ficar criticando este documento sem procurar compreendê-lo! Basta estudar a História da Igreja, e verão que a Igreja nasceu católica. Os pedidos de intercessão dos mártires, o Cânon Bíblico, dentre outras verdades históricas, além da exclusividade da Igreja, demonstram sua validade. Lembremos que Nosso Senhor disse que estaria conosco até a consumação dos séculos. Ele não disse que passaríamos 1500 anos na escuridão, para então alguém se lembrar quem Ele é.

O que o Papa disse deve ser levado em consideração por nós católicos, que cada vez mais são afastados das posturas tradicionais do Vaticano.

Os nossos irmãos protestantes, não devem tomar isto como ofensa. O que o texto nos fala em outras palavras é que estas pessoas têm a possibilidade de salvação por estarem unidas ao espírito da Igreja Católica. Este é o sentido também, que entendo, do Dogma "Extra Ecclesiam nulla sallus", ou, "Fora da Igreja não há salvação".

Quem está fora da Igreja Católica, principalmente em espírito, como os que professam outra fé porém praticantes do bem neste contexto, tem a possibilidade integral de salvação. Também temos os falsos católicos, que dizem professar a fé mas nada fazem de boas obras e tampouco tem fé.

Samyr disse...

CORREÇÃO:

"Quem está fora da Igreja Católica corporalmente falando como os que professam outra fé, porém são praticantes do bem neste contexto, tem a possibilidade integral de salvação, pois estão unidos à Igreja em espírito. Também temos os falsos católicos, que dizem professar a fé mas nada fazem de boas obras e tampouco tem fé."

Karolaine Andreocci disse...

Igreja (membros do corpo de Cristo)

A igreja verdadeira somos nós!

samuel levi disse...

Fico feliz com a declaração do papa, estaria preocupado se ele tivesse falado o contrário, pois dai seria um sinal claro de que a intenção da igreja católica é o ecumenismo. Para falar a verdade acho até engraçado que os protestantes estejam chiando tanto. Nós sempre nos colocamos em uma posição contrária à católica e contrária ao ecumenismo, e agora que o papa se coloca contrário a tudo isso, todo mundo chia!?!?! Essas incoerências...

Anônimo disse...

O sujeito aqui em cima é muito falso realmente, se fazendo passar por protestante, esse é um seguidor da verdadeira igreja?