15 de julho de 2007

Bispo Carlton Pearson: “O inferno não existe”

Bispo Carlton Pearson: “O inferno não existe”

Julio Severo

O Cristianismo, com base nos ensinamentos do próprio Senhor Jesus, prega a existência do inferno para os pecadores que não se arrependem. Mas essa verdade bíblica, que é óbvia para muitos, se tornou problemática para o Bispo Carlton Pearson, de acordo com notícia recente de ABC News.

Pearson era um pastor pentecostal que costumava pregar com grande ênfase na prosperidade material. Ele é conhecido como cantor gospel e seus CDs e vídeos já ultrapassaram mais de 750.000 vendas no mercado evangélico, tendo um alcance bastante significativo, até mesmo no Brasil.

Ele cresceu num ambiente com muitas orações em línguas estranhas e louvor exuberante. Seu pai e seu avô eram também pastores, da velha linha pentecostal, que pregava o inferno em chamas. Aos 16 anos, ele já expulsava demônios. Seu amor pela Palavra de Deus era tão intenso que ele matriculou-se na Universidade Oral Roberts, conhecida instituição pentecostal de ensino nos EUA.

Com o passar dos anos, ele teve a oportunidade de pregar para estádio lotados e audiências de TV. Sua igreja em Tulsa, Oklahoma, cresceu tanto que semanalmente 16.000 pessoas costumavam freqüentar os cultos. Ele também era convidado a participar dos grandes eventos evangélicos, e chegou a dar aconselhamento aos presidentes Clinton e Bush.

Durante todo esse tempo, Pearson pregava a mensagem cristã essencial: Todos nascem pecadores. Todos estão indo para o inferno… a menos que aceitem Jesus como Salvador.

Uma pregação dele na década de 1990 deixava bem claro para o público ouvinte: “Graças a Deus, não preciso ir para o inferno, muito embora eu mereça o inferno”, ele pregou. “Mas Jesus me substituiu por sacrifício vicário, conquistou a morte, o inferno e o túmulo, e hoje eu tenho a vitória”.

Seu foco, porém, era principalmente a prosperidade material.

Contudo, ao se dedicar ao estudo profundo da Bíblia em grego e hebraico, Pearson passou a experimentar uma crise espiritual. Quanto mais ele estudava a Bíblia nas línguas originais, mais ele a via não como a Palavra de Deus, mas como um livro sobre Deus escrito por homens.

Sua experiência de família também contribuiu para sua crise. Ele começou a se angustiar com o destino espiritual de seus familiares que não eram cristãos. “Como é que dá para eu amar um deus que está torturando minha avó no inferno?” desabafou ele. Ele revoltava-se também com o fato de que seus avós, tão ativos em pregações, “se desviaram”, cometendo adultério e aprendendo a amar o vício do álcool. Estariam eles no inferno também?

Em seus questionamentos, Pearson ouviu uma voz que lhe disse que o inferno é aqui na terra. Ele creu nessa voz. Desde então, ele prega uma mensagem diferente do que ele dizia no passado: “O amargo tormento da idéia de um Deus irado, irracional, distante, severo, duro, irredutível, implacável e intolerante é o próprio inferno. É paganismo, superstição”.

As revistas evangélicas o condenaram. Sua denominação o considerou herético. Da sua igreja de 6.000 membros só sobraram menos de 300 pessoas. Os líderes pentecostais não mais o convidaram para suas conferências e eventos.

Pearson considerou essa fase difícil um inferno.

Mas ele persistiu na nova mensagem e aos poucos sua igreja está crescendo. Muitas pessoas de outras denominações, que também são rotuladas de heréticas, estão se juntando a Pearson. “Eu acho que o inferno é um estado da mente”, disse Teresa Reed, membra da igreja de Pearson.

Num domingo recente, Pearson pregou: “Podemos passar por um inferno, mas ninguém vai para o inferno. Minha esperança é que as pessoas aprenderão a se amar, a se aceitar e a se celebrar. Isso é algo bem dramático, mas penso que salvará o planeta”.

Se o inferno não existe, então não faz sentido os cristãos lutarem contra o pecado e pregarem o Evangelho da salvação aos pecadores. Por isso, não é de estranhar que, de acordo com o site homossexual The Advocate, recentemente o Bispo Pearson liderou centenas de pastores evangélicos dos Estados Unidos num comício para pressionar o Congresso americano a aprovar uma lei antipreconceito que dará autoridade para o governo federal investigar e punir crimes com base na real ou percebida orientação sexual, gênero, identidade de gênero das pessoas. Na ocasião, ele declarou: “A questão não é direitos especiais, mas direitos iguais para os filhos de Deus que amam o mesmo gênero. Essa questão é da mais elevada importância moral…”

Pearson é autor do livro The Gospel of Inclusion (O Evangelho da Inclusão), um termo que, junto com diversidade, tem muito apelo entre os ativistas homossexuais. A mensagem do livro é essencialmente universalista. O universalismo ensina:

  • A morte de Jesus na cruz e Sua ressurreição pagaram o preço para que toda a humanidade tenha vida eterna no céu, sem necessidade de que alguém se arrependa de pecados e receba salvação.

  • Não é necessário que alguém creia em Jesus Cristo para ir para o céu. A salvação é incondicional, garantida pela graça de Deus a todos os seres humanos.

  • Toda a humanidade terá seu destino no céu, quer percebam esse fato ou não.

  • Toda a humanidade irá para o céu, independente de religião, inclusive aqueles que acreditam em religiões falsas ou adotam alguma outra forma de crença religiosa ou que não tenham nenhuma crença religiosa.

O Evangelho da Inclusão inclui a todos e não exclui ninguém ou, como diz a própria propaganda do livro: “No Evangelho da Inclusão, o Bispo Pearson corajosamente explora as doutrinas das principais religiões, que pregam exclusão, e conclui que de acordo com a evidência da Bíblia e a lógica irrefutável, elas não podem ser verdadeiras. Em vez disso, ele nos oferece o Evangelho da Inclusão — a verdade simples e chocante de que todos já estão salvos pelo sacrifício de Jesus Cristo”.

Uma coisa que Pearson percebeu é que ao pregar que quem pratica o homossexualismo não vai para o inferno, muitos homossexuais começaram a aparecer em sua igreja.

Pearson deixa bem claro para eles: o inferno é aqui na terra e os demônios do inferno são, entre outras opções, a chamada “homofobia” — toda e qualquer aversão ou oposição ao homossexualismo.

Seu sonho é conhecer Nelson Mandela que, conforme ele mesmo diz, já está no céu. Como socialista radical, Mandela abriu as portas da África do Sul para leis favorecendo o aborto, o homossexualismo e a bruxaria. Por algum motivo estranho, o Evangelho pregado por Pearson abre antecipadamente as portas do céu para indivíduos como Mandela.

Embora seus amigos pentecostais do passado o tenham abandonado, ele descobriu que ao abraçar a ideologia esquerdista novos amigos surgiram — e os esquerdistas não o acusam de herético. Aliás, com muita simpatia, a grande mídia esquerdista americana lhe dá destaque e oportunidades, sem nenhuma condenação. Com a ajuda desses novos amigos, o Bispo Carlton Pearson pretende levar seu Evangelho da Inclusão ao mundo inteiro.

Fonte: www.juliosevero.com.br; www.juliosevero.com

4 comentários:

Anônimo disse...

Lamento discordar desta visão das coisas. Afinal Jesus Alerta-nos para a necessidade do novo nascimento em João Cap. 3, a bíblia nos revela que o lugar para os demónios é o inferno e que para vão quem não conhece a JESUS, conforme nos é apresentada a separação entre bodes e ovelhas... mas este pastor mesmo antesd de se iniciar nesta visão já não andava nada bem com a teoria da prosperidade, afinal, cadê os sofredores da montanha?

Anônimo disse...

Este homem a Deus cabe Julgar, esta sendo usado por satanas, pra enganar a muitos, pois ninguen gosta de ouvir a verdade,o Inferno existe i `e real, SE nao Jesus nunca o mencionaria,acho que este home acabou virando homosexual tambem, Somente Jesus pode livrar- nos do Inferno, Jesus `e a vida o caminho e a luz, ninguen vai ao pais se nao por ele, que cara idiota falar que nao precisa reconhecer Jesus como salvador, que todos ja sao salvos, nao se deixem enganar por falsos profetas meus irmao, olha o que o apostolo Joao disse gente, leia a biblia povo, e nao caia nesta! este homem sem duvida alguma `e um falso profeta e do diabo!

Marcus Paulo Rycembel Boeira disse...

Julio: a Palavra diz que no fim dos tempos muitos falsos profetas apareceriam. Não é de se espantar com esse rapaz. Abraço, Marcus Boeira.

Jardim Secreto do Meu Coração disse...

Só não consigo (e nem quero por prevenção) entender como podem simplesmente ignorar a clareza que a bíblia diz sobre todas essas coisas. Um cara que foi criado no evangelho e só para aliviar o peso no coração em saber que pode ser que entes queridos estejam sofrendo no inferno, pega tudo que aprendeu e joga para o alto, aceitando uma mentira... Tenho pena dele... Precisa conhecer Deus de verdade... Deus tenha misericórdia dele...