20 de março de 2007

Senador Marcelo Crivella se manifesta contra projeto anti-homofobia

Senador Marcelo Crivella se manifesta contra projeto anti-homofobia

A matéria abaixo é do jornal do Senado. Mais abaixo, discurso completo do Senador Crivela.

Projeto que criminaliza opinião contra homossexualismo é criticado


Jornal do Senado, 20/03/2007

Marcelo Crivella (PRB-RJ) criticou substitutivo ao projeto de lei da Câmara dos Deputados que criminaliza – na forma de delito de opinião – manifestações contra o homossexualismo.

O projeto (PLC 122/06) tramita no Senado desde dezembro passado. Atualmente encontra-se em exame na Comissão de Direitos Humanos e tem Fátima Cleide (PT-RO) como relatora.

Para Crivella, o homossexualismo “é claramente antinatural”, e tanto os pais quanto os religiosos não podem prescindir do direito de orientar seus filhos e fiéis sobre o que seria “correto no que se refere à escolha sexual”.

— Suspeito que possa ter escapado aos senhores deputados a completa extensão da decisão que tomaram, pois ela acabou confundindo o respeito devido a uma opção individual da pessoa com o uso do poder do Estado, por meio de seu corpo de leis, para impor a todos os cidadãos um comportamento que é claramente antinatural — afirmou.

O Senador expressou seu respeito pelos homossexuais, quanto aos direitos humanos e à cidadania, porém insistiu no direito à manifestação de pensamento crítico contra o homossexualismo.

Crivella disse acreditar que, da mesma forma que o homossexual deve ser respeitado em seus direitos e em sua opção sexual, “um pai tem o direito de educar seus filhos de acordo com sua consciência, ensinando a eles que o homossexualismo é errado”.

— É uma invasão à intimidade do lar pretender coibir, por lei, esse tipo de orientação — afirma.

Crivella usou uma citação bíblica (livro do Levítico, capítulo 18, versículo 22, que diz: “O homem que deita com homem como se mulher fosse comete abominação aos olhos de Deus”) para defender que o sacerdote no púlpito também deve poder manifestar-se sobre o comportamento sexual, “já que são garantidos pela Constituição brasileira os direitos de culto e à liberdade religiosa”.

ASSISTA O VÍDEO DO PRONUNCIAMENTO:
http://www.youtube.com/watch?v=EQKHO2lYfzw
OU
http://www.marcelocrivella.com.br/videos/PL122.rm

LEIA O DISCURSO NA ÍNTEGRA:

O SR. MARCELO CRIVELLA (Bloco/PRB – RJ. Pronuncia o seguinte discurso. Sem revisão do orador.) — Sr. Presidente, Srªs e Srs. Senadores, Srs. telespectadores da TV Senado, Srs. ouvintes da Rádio Senado, senhores presentes, chega-nos da Câmara dos Deputados substitutivo a projeto de lei que criminaliza como preconceito, na forma de delito de opinião, qualquer tipo de crítica ao homossexualismo. Falo do PLC nº 122, de 2006.

Suspeito que possa ter escapado aos Srs. Deputados a completa extensão da decisão que tomaram, pois ela acabou confundindo o respeito devido a uma opção individual da pessoa com o uso do poder do Estado, através de seu corpo de leis, para impor a todos os cidadãos que aceitem, como normal, um comportamento que, claramente, é antinatural.

Não creio que a atitude de um pai ou de uma mãe orientar um filho, uma filha em termos de sexualidade possa vir ser considerada crime se apresentarem o homossexualismo como errado. É um direito inalienável, um direito de consciência dos pais, garantido pela Constituição, poderem explicar aos filhos o que a sociedade e, antes da sociedade, a própria natureza consideram como correto nas escolhas sexuais. E é uma invasão à intimidade do lar pretender coibir, por lei, esse tipo de orientação, como será inevitável caso esse projeto seja acatado pelo Senado na forma do substitutivo aprovado na Câmara.

Sr. Presidente, Senador Mão Santa, Sr. Senador Edison Lobão, quero deixar claro que respeito os homossexuais, aos quais se deve garantir os direitos, tanto no plano dos direitos humanos quanto dos direitos de cidadania. Mas não posso entender essa tentativa de punir como preconceito a manifestação de um pensamento crítico contra o homossexualismo em geral.

A tutela da lei à criança justifica-se porque ela não tem por si condições de assegurar os seus próprios direitos. Assim também acontece com os idosos. A mulher, em razão de ter menor força física do que o homem, também merece a tutela da lei. Mas o mesmo não é válido afirmar em relação aos homossexuais, sobretudo os do gênero masculino.

Srªs e Srs. Senadores, Srs. telespectadores da TV Senado, que seja respeitado o direito individual de cada um decidir a sua opção sexual, que seja respeitado o direito de o homossexual ir e vir, de não sofrer violência, de trabalhar dignamente. Mas que seja respeitado também, Sr. Presidente, no mesmo nível, o direito – e, digo, até dever legal – de um pai educar seus filhos no caminho ditado por sua própria consciência, que foi o de formar família, e de poder dizer que homossexualismo é errado, ou o direito de um sacerdote, do púlpito, dizer que homossexualismo é pecado. E que a lei não tente, Sr. Presidente, porque é garantido pela Constituição brasileira o direito de culto, a liberdade religiosa, arrancar da Bíblia palavra escrita por Moisés que nos adverte, há milênios, que o homem que deita com outro homem como se mulher fosse comete diante dos olhos de Deus uma abominação.

Sr. Presidente, eram essas as minhas palavras. Muito obrigado.

4 comentários:

Brun@ Mendes* disse...

oi bom dia
muito bom seu blog, as noticias contidas nele me ajudaram muito nas aulas da minha Escola Bíblica. pricipalmente suas noticias sobre eses fatoss polemicos que envolvem e afetam as crenças evangelicas. Parabéns

Anônimo disse...

Olá
Senador Marcelo Crivela

Gostei muito do seu discurso. Ético, porém bastante incisivo em suas colocações. Que voces políticos evangélicos que nos representam,não venham se calar diante desta lei absurda que está p/ ser aprovada.
Marta

SILVIA MASSA disse...

DEUS SEJA LOUVADO POR LEVANTAR HOMENS COMO MOISÉS NOS DIAS DE HOJE SEM MEDO DE DEFENDER AS ESCRITURAS SAGRADAS E OS DIREITOS QUE COM MUITA LUTA CONSEGUIMOS CONQUISTAR E QUE AGORA TENTAM NOS TIRAR.PODEMOS ESCOLHER SER UM INSTRUMENTO NAS MÃOS DE DEUS OU NÃO
A VERDADE É QUE ALGUNS EVAGÉLICOS ORIENTADO DE FORMA ERRADA POR SEUS PREGADORES CONDENAM A POLÍTICA NO MEIO DA IGREJA PORÉM TODA AUTORIDADE É ISTITUIDA POR DEUS.PENSE MEDITE BEM SE NÃO HOUVESSE NENHUM,NENHUM POLÍTICO DE CARÁTER CRISTÃO NESSE MEIO PARA VER OQUE ESTÃO TRAMANDO CONTRA OS DIREITOS UNIVERSAL DO POVO POR MOTIVO DE QUESTÃO POLÍTICA DE UMA ÂMBIÇÃO EM ADQUIRIR SIMPATIA E GANHAR VOTOS DE MANIFESTAÇÕES E PARADA GAY? A PONTO DE POR A NOSSA LIBERDADE DE EDUCAR NOSSOS FILHOS E FILHAS E NETOS NO CARÁTER CRISTÃO.CRIME É A OMISSÃO DOS NOSSOS GOVERNANTES EM RELAÇÃO A SAÚDE,A EDUCAÇÃO,E ALIMENTAÇÃO,PRINCIPALMENTE DO RIO DE JANEIRO PESSOAS MORRENDO COM DENGUE EPIDEMIA SIM E NOSSO SECRETÁRIO DE SAÚDE NA MAIOR CARA DE PAU DIZENDO QUE NÃO!OS HOSPITAIS PÚBLICO É UMA VERGONHA!AS ESCOLAS? TUDO QUEBRADO DISPENSANDO AS CRIANÇAS MAIS CEDO FAZENDO PROTESTO POR MELHORIAS,CRIME SÃO OS ESGOTOS A CÉU ABERTO NA CIDADE MARAVILHOSA CHEIA DE MOSQUITOS MIL E ACHAR NORMAL PESSOAS SEREM MORTAS ATÉ MESMO DENTRO DE SUAS CASAS POR BALA "PERDIDA" É REVOLTANTE! VOCÊS QUE SE DIZEM EVANGÉLICOS E SÓ SE PREOCULPA EM CRITICAR TRABALHOS DIFERENTES DE SUAS DENOMINAÇÃOES MAS QUE NO FINAL TEM O MESMO OBJETIVO DE LEVAR O EVANGÉLIO A TODA CRIATURA,A CURA LIBERTAÇÃO E SALVAÇÃO EM NOME DE JESUS, ATENÇÃO!DESPERTA Ó TU QUE DORMES!SE PREOCULPE MAIS COM OQUE OS POLÍTICOS ANDAM APRONTANDO,TANBÉM EM SEUS GABINETES SE ESTÃO SENDO PAGOS PARA TIRAR NOSSOS DIREITOS PORQUE TAMBÉM SOMOS VÍTIMAS DE CHACOTA,PIADINHAS,EM TODOS OS LUGARES É SÓ DECLARARMOS NOSSA FÉ EM CRISTO;FIQUEM ATENTOS PORQUE SE FOR PRECISO IREMOS AS RUAS,COM PASSEATAS E PROTESTO POR ESSE ABSURDO! DECLARAR CRIME SE OPOR AO HOMOSSEXUALISMO. TENHO AMIZADE COM PESSOAS COM ESSA OPÇÃO MAS NÃO QUER DIZER QUE EU CONCORDE COM TAL OPÇÃO (DEUS AMA O PECADOR E NÃO O PECADO)E ACREDITO NISTO!NOS MEUS DIREITOS, POLÍTICO ASTUTO E OUTRAS EXPRESSÕES A MAIS,NÃO MEXE VOU LUTAR POR ELES.

Anônimo disse...

O Que Acontece à Igreja Quando os Pastores Deixam de Pregar Contra o Pecado
(What Happens to the Church When Preachers No Longer Preach Against Sin)

--------------------------------------------------------------------------------
Arquivo do Texto Simples + Índice dos Sermões em Português + Capela + Subscrição + Copyright
--------------------------------------------------------------------------------

Por David Wilkerson
17 de janeiro de 2005
__________

Você provavelmente está familiarizado com a história do rei Davi e o adultério que houve com Bate-Seba. O incidente resultou na gravidez de Bate-Seba. E assim que descobriu a situação, ela envia uma nota a Davi dizendo, "Espero uma criança".
Quando Davi lê a nota, entra em pânico. Sua reputação como homem piedoso, justo - estava em risco. Cá estava um homem que havia escrito mais de 3.000 Salmos e cânticos espirituais. Havia sido o instrumento de Deus para matar os inimigos de Israel. E tinha ilustrado para o mundo o que significava ter um grande coração para Deus.

Mas agora, em pânico, Davi pensa não só na própria reputação, mas na reputação do Senhor. Se o seu pecado fosse mostrado, isso seria vinculado ao nome de Deus. Imagens de um escândalo enorme inundaram sua mente. Então Davi concebe um plano para esconder seu caso com Bate-Seba. E o pôs em ação enviando uma mensagem a Joabe, general do seu exército. A mensagem dizia, "Manda-me Urias, o heteu" (2 Samuel 11:6).

Ora, Urias era o marido de Bate-Seba, e pertencia à Infantaria do exército de Israel. É evidente que Urias era parte de um grupo de elite de soldados, pois as escrituras o citam como um dos trinta e sete homens mais fortes de Davi (v. 23:39). Quando recebeu a mensagem de Davi, Joabe deve ter começado a suspeitar de algo. Ele conhecia o coração de Davi, inclusive suas tendências lascivas. Ainda assim, o general instruiu Urias a ir a Jerusalém, para ver o quê Davi tinha para dizer.

Quando Urias chega, Davi o recebe na residência real e imediatamente o envolve em conversa militar. Pergunta, "Como está a guerra? E como está indo o seu general? Os soldados estão progredindo?". Urias deve ter se perguntado, "Do que se trata? Sou apenas um soldado da Infantaria. Não fiz nada para merecer esse tipo de atenção". Ou, também poderia desconfiar. Ele poderia ter ouvido algum comentário sobre o caso (apesar de que as escrituras não declaram que o caso era de conhecimento público).

A verdade é que Urias estava sendo enganado por Davi. O rei achou que o problema seria resolvido se apenas conseguisse pôr Urias no leito de Bate-Seba uma noite. Então Urias pensaria que ele havia provocado a gravidez da esposa. Davi lhe diz: "Você guerreou uma batalha longa, e deve estar cansado. Vá pra casa e descanse essa noite. Mandarei manjares especiais para você aproveitar". Mas quando Urias saiu, não foi para casa. Pelo contrário, dormiu na casa dos guardas fora do palácio. Quando Davi soube disso no dia seguinte, chamou Urias de volta e perguntou: "Por que você não ficou com sua esposa ontem à noite?".

Urias responde: "Joabe, meu senhor, e os servos de meu senhor estão acampados ao ar livre; e hei eu de entrar na minha casa, para comer e beber e para me deitar com minha mulher? Tão certo como tu vives e como vive a tua alma, não farei tal cousa" (2 Samuel 11:11). Urias só conseguia pensar em seus companheiros soldados. A sua lealdade deve ter fervido a cabeça de Davi.

Agora o pânico do rei cresce. Ele rapidamente ordena que Urias permaneça em Jerusalém mais uma noite. E põe em ação outro plano. Essa noite, ele iria convidar Urias para jantar, enchê-lo de muito vinho e deixá-lo bêbado. Se Urias perdesse a noção das coisas, se esqueceria dos outros soldados e iria querer dormir com a esposa.

Dá para você imaginar esse piedoso rei, um pregador da retidão, tentando deixar bêbado um de seus fiéis soldados? Foi exatamente que Davi fez. E o plano funcionou: Urias ficou bêbado. Davi instruiu os guardas do palácio, "Levem esse homem para casa, e o ponham na cama". Mas outra vez, as escrituras dizem, "À tarde, saiu Urias a deitar-se na sua cama, com os servos de seu senhor; porém não desceu a sua casa" (11:13).

A essa altura, o pânico de Davi saiu de controle. Ele sabia que tinha de fazer algo drástico. Então escreve uma carta a Joabe, ordenando que colocasse Urias na linha de frente em meio à pior das batalhas. Então, quando o exército inimigo ondulasse à frente, Joabe deveria recuar todas as tropas exceto Urias. Resumindo, Davi queria Urias morto.

Davi entrega uma carta selada nas mãos de Urias, com instruções para que fosse dada a Joabe. O leal Urias não sabia, mas o rei tinha acabado de lhe entregar a garantia da própria morte. Quando Joabe leu a carta, entendeu a idéia de Davi. Mas obedeceu a ordem do rei mesmo assim. Enviou Urias numa missão suicida. E, exatamente como Davi tinha planejado, o soldado foi morto em batalha.

É difícil conceber que um homem piedoso e justo como Davi pudesse cair num pecado tão terrível. Mesmo hoje, com todas as notícias sobre estupro, violência e morte, a história de Davi se destaca como uma das piores quedas já sofrida por um líder. Por que? Porque aconteceu com um homem de Deus, uma pessoa apaixonada pela justiça.

Provavelmente você se lembra do que aconteceu a seguir: Bate-Seba chorou a morte do marido por sete dias, segundo a lei. Aí Davi a trouxe para o palácio, onde se juntou ao seu harém de esposas (ele já tinha cinco). Posteriormente, Bate-Seba deu à luz o filho de Davi. E durante todo um ano após o assassinato, Davi não mostrou nenhum sinal de arrependimento por seus atos. Na verdade, justificou a morte de Urias junto a Joabe, dizendo que Urias tinha morrido devido aos infortúnios da guerra: "A espada devora tanto este como aquele" (11:25).

Davi pode ter visto o seu pecado com leviandade, mas Deus não. As escrituras dizem: "Porém isto que Davi fizera foi mal aos olhos do Senhor" (11:27).



--------------------------------------------------------------------------------
Graças a Deus, Davi Tinha um Pastor Que Não Temia o Homem
--------------------------------------------------------------------------------

Natã o profeta era o pastor de Davi. E não tinha medo de expor o pecado do seu rebanho, inclusive o pecado do próprio rei. Vejo Natã como um tipo de pastor piedoso que chora em cima do pecado da sua igreja. Deve ter lhe ferido profundamente que Davi, um homem a quem todo mundo olhava como piedoso e reto, estivesse encobrindo pecado.

Natã sabia tudo que Davi havia feito, pois o Espírito Santo lhe havia revelado. O rei supostamente justo tinha quebrado três mandamentos santos: havia cobiçado a mulher de outro homem e a roubado dele; havia cometido adultério com ela; e havia cometido assassinato para esconder tudo. Como Natã fez para cuidar da situação? Como esse pregador da santidade repreendeu uma pessoa que estava encobrindo um pecado terrível?

Muitos jovens pastores me têm feito perguntas similares: "Como devo tratar com o pecado na minha igreja? Tantos casais estão se divorciando, e outros estão vivendo em adultério. Sei que tenho a responsabilidade de pregar a santidade de Deus a eles. Mas tampouco quero tirar alguém da igreja".

A minha resposta a esses jovens pastores é sempre a mesma: "A igreja ouvirá qualquer coisa que você tenha a dizer, se o disser em meio a lágrimas. A sua mensagem não pode ir alem do entendimento da congregação. Eles têm de saber que o teu coração está partido. Tente levá-los ao arrependimento através da pregação da palavra de Deus. Sim, a palavra dEle é uma espada de dois gumes. Mas você tem de utilizá-la vestindo luvas de veludo".

É claro que essa não é a atitude de todos os pastores. Com regularidade recebo cartas de cristãos dizendo, "Você tem de ouvir o Reverendo Fulano de Tal pregar. Ele ataca pesado o pecado". Porém, muitas destas vezes, os tapes dos sermões são apenas tiradas zangadas contra coisas exteriores. Suas mensagens raramente incluem a misericórdia e a graça de Deus. Antes, lançam pesadas cargas sobre as ovelhas, sem nunca levantar um dedo para aliviá-las.

Creio que Natã nos fornece um exemplo maravilhoso de como um ministro piedoso mostra o pecado. Ele não tomou de assalto a presença de Davi, com os braços agitando o ar e com voz trovejante. Ele não apontou com alegria um dedo ossudo na cara de Davi gritando: "Você é o culpado!". Não, ele levou a impressionante mensagem de Deus reveladora do pecado com grande sabedoria, poder de persuasão e terna misericórdia. E usou uma parábola para fazê-lo.

Natã disse a Davi: "Um pobre homem tinha só uma ovelha. Era o bichinho de estimação da família, e amada como um membro da família. Ela se deitava no colo das pessoas, esperando ser acarinhada. Então o homem a criou e alimentou como faria com um filho. Ora, o pobre homem tinha um vizinho rico possuidor de muitos rebanhos. Um dia, o homem rico estava recebendo uma visita. Na hora do jantar, ele mandou um servo matar uma ovelha. Contudo mandou que o servo não tomasse uma cordeira de seus vastos rebanhos, mas que roubasse a ovelha do vizinho, a matasse, a temperasse e servisse ao visitante".

Quando ouviu isso, Davi ficou irado. Disse a Natã: "Esse homem rico deveria morrer!". "Tão certo como vive o Senhor, o homem que fez isso deve ser morto. E pela cordeirinha restituirá quatro vezes, porque fez tal cousa e porque não se compadeceu" (2 Samuel 12:5-6).

Nessa hora, Natã deve ter tido lágrimas nos olhos. Tremendo, ele diz a Davi, "Tu és o homem... desprezaste a palavra do Senhor... A Urias, o heteu, feriste à espada; e a sua mulher tomaste por mulher" (12:7,9).

Natã estava dizendo: "Davi, você não entende? O quê estou contando é a tua história. Você tem cinco esposas e mesmo assim roubou a mulher de outro homem. Você não teve pena; o mandou à guerra para ser morto, e assim ter a cordeira dele. Você se tornou adúltero, assassino, um ladrão. Você foi leviano com a palavra de Deus". Natã expôs cada detalhe do pecado de Davi. Mas não o fez com fúria. Antes, simplesmente falou ao rei: "Então, disse Natã a Davi" (12: 7, ênfase minha). Foi nesse momento que Davi foi atingido, e se arrebentou. Quando lemos os escritos de Davi dessa época, vemos o choro de um coração partido: "Os meus ossos estão fracos. Não consigo dormir. Toda noite cubro meu travesseiro com lágrimas". O Espírito Santo perseguia Davi, falando ao seu coração, agindo para que ele se arrependesse. Ele não conseguia fugir da misericordiosa perseguição de Deus.



--------------------------------------------------------------------------------
Ao Ler e Reler esse Relato, o Espírito Santo Não Me Deixou
Prosseguir Enquanto Não Me Mostrou uma Verdade Poderosa
--------------------------------------------------------------------------------

Após estudar esta passagem por inteiro, comecei a clamar a Deus: "Oh, Senhor, Tu vais ser misericordioso comigo como foi com Davi? Tu vais me mandar uma palavra poderosa, expondo o pecado, como fez com ele? Por favor, Senhor, se algum dia eu escorregar e fizer concessões, ponha-me sob repreensão piedosa de um profeta que não tenha medo de expor o pecado".

Eu creio que um dos maiores dons misericordiosos de Deus à igreja são os Seus ministros fiéis, que amorosamente nos repreendem por nossos pecados. Agradeço a Deus por esses "pastores do tipo de Natã", pessoas que não têm medo de ofender presbíteros, diáconos ou os membros ricos da igreja. Ficam face a face com qualquer um, para expor suas iniqüidades com carinho e amor.

Claro, não é todo mundo que quer uma repreensão assim. Algumas pessoas de nossa lista de correspondência nos dizem: "Não gosto de abrir suas cartas. Sempre me sinto desconfortável quando as leio. São muito enervantes". "Não posso servir um Deus como o teu, que está sempre apalpando a minha alma para expor coisas". "Você precisa amaciar a mensagem. Não dá pra mim".

Sei que como pastor amoroso, tenho de ser cuidadoso com o meu tom. Mas não posso me desculpar por pregar verdade condenatória. Eu pergunto, o que acontece à igreja quando os pastores não mostram mais as iniqüidades? Onde Davi teria acabado, se não tivesse Natã para mostrar sua iniqüidade?

Você tem de entender que Natã estava bem consciente de que o poderoso rei poderia mandar matá-lo a qualquer hora. Ele tinha visto Davi perdendo as estribeiras várias vezes. Então, por que Natã não disse, "Vou ser apenas amigo de Davi. Vou orar por ele e estarei presente se precisar de mim. Tenho de confiar que o Espírito Santo irá convencê-lo". O que teria acontecido?



--------------------------------------------------------------------------------

Creio que Sem a Palavra Condenatória de Natã,
Davi Teria Caído sob o Pior Julgamento Visto pela Humanidade

--------------------------------------------------------------------------------

O pior julgamento possível é Deus devolver você ao pecado, deter toda a ação do Espírito Santo em sua vida. No entanto, é exatamente isso que está acontecendo com muitos cristãos hoje. Eles escolhem ouvir apenas pregações leves, que reafirmam a carne. Onde inexiste uma Palavra que condene, não pode haver o pesar piedoso pelo pecado. E onde inexiste pesar piedoso pelo pecado, não pode haver arrependimento. E onde inexiste arrependimento, há só dureza de coração.
O apóstolo Paulo escreve à igreja de Corinto: "Me alegro não porque fostes contristados, mas porque fostes contristados segundo Deus... Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento" (2 Coríntios 7:9-10). Paulo diz que seu clamor contra o pecado dos coríntios produziu neles contristamento piedoso que os levou ao arrependimento. Por sua vez, isso produziu neles ódio pelo pecado, temor santo de Deus e desejo de vida reta. Porém isso nunca teria acontecido se ele não houvesse pregado uma palavra aguda, penetrante, condenatória.

O motivo de Paulo falar com tanta força aos coríntios foi, "para que a vossa solicitude a nosso favor fosse manifesta entre vós, diante de Deus" (7:12). Em outras palavras: "Eu não estava tentando lhes enervar ou condenar. Eu expus o seu pecado para que vissem o quanto eu os amo e me preocupo por vocês. Quando o Espírito Santo bate à porta do teu coração, às vezes soa como pancada dura. Mas é na verdade Deus mostrando Seu terno amor".

Sem uma palavra assim, Davi certamente iria cair sob tremendo julgamento. Ele já tinha passado um ano todo em seus negócios, sem alguma vez ter enfrentado o que tinha feito. Ele não ouviu nenhuma palavra de repreensão ou de correção. Então a cada dia que passava, o pecado se tornava mais fácil de tirar da mente. Mais, o seu exército estava ainda tendo vitórias decisivas. Por fora, tudo parecia estar indo bem para ele. Mas tenho certeza que Davi tinha dificuldade para dormir à noite. Ele provavelmente levantava todo dia com uma nuvem negra pairando sobre si. O fato é que ninguém que seja íntimo do Senhor pode permanecer confortável enquanto vive em pecado.

Vou lhe dar um exemplo: eu aconselhei um querido cristão irmão nosso que eu suspeitava estar tendo um caso. Quando perguntei isso, ele negou veementemente. Aí, um mês depois, ele pede para falar comigo tarde da noite. Quando o encontrei, ele estava chorando e arrasado. E confessou, "Pastor, há semanas que estou vivendo um inferno. Eu menti a ti e a Deus. Tenho vivido em adultério. Tenho sentido a repetição de todas as mensagens que já ouvi do púlpito, de cada palavra de exortação. E não consegui silenciar a Palavra de Deus". O Espírito Santo continuamente recordava a esse homem todas as pregações expositoras de pecado que ele tinha ouvido; e foi levado ao arrependimento pela lembrança desta Palavra pregada. E agora vou lhe dar um exemplo diferente. Uma irmã em Cristo me escreveu dizendo: "Irmão David, estou casada com meu marido há vinte anos. Eu o amo, mas agora provavelmente vou ter de deixá-lo, apesar de não querer isso. Eu não conseguia entender porque esse homem de Deus, que vai sempre comigo à igreja, iria começar a deteriorar tanto no caráter. Ele se tornou desonesto comigo, e uma grande muralha cresceu entre nós. Logo se tornou um estranho para toda a nossa família. Eu não podia tocar no assunto. Eu orei e fiz tudo que pude para tentar entender o porquê de ele estar se afastando. E então eu descobri o porquê: ele estava preso à pornografia desde que nos casamos, e algum tempo antes disso. Ele ainda se declara ser cristão e vai à igreja comigo. Mas se recusa a deixar isso".

Esse homem está prestes a perder a família e o lar. Diz ser nascido de novo e que vai para o céu. Você acha que ele precisa um tapinha nas costas e de uma palavra de certeza? Será que precisa ouvir um pastor dizendo, "Está tudo bem contigo, Jesus te ama"? Não, nunca! Ele precisa de um Natã, de alguém que lhe diga, "Você é o culpado!". Ele precisa ser desperto, ter o fogo do Espírito Santo ardendo sob si. Caso contrário, será entregue ao pecado, e finalmente destruído.



--------------------------------------------------------------------------------

Se Não Tivesse Havido um Natã - Se Não Houvesse uma Palavra Penetrante, Profética -
Davi Poderia Ter Acabado Como Saul: Morto Espiritualmente, Sem a Direção do Espírito,
Perdendo Toda Intimidade com Deus

--------------------------------------------------------------------------------

Ao ouvir a abrasadora palavra de Natã, ainda que amorosa, Davi se lembrou da vez em que um outro rei, anterior, fora avisado por um profeta. Davi tinha ouvido do aviso de Samuel ao rei Saul. E tinha ouvido a respeito da reação dividida de Saul, confessando: "Eu pequei". (Não creio que Saul tenha gritado do interior da alma, como Davi, "Pequei contra o Senhor!")

Davi viu por experiência própria as ruinosas mudanças que sobrevieram a Saul. Este rei - piedoso e guiado pelo Espírito - passa depois a rejeitar continuamente as palavras reprovadoras do Espírito, trazidas por um santo profeta. Logo Saul começou a andar segundo vontade própria, em amargura e rebeldia. Finalmente, o Espírito Santo se afasta dele: "Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei" (I Samuel 15:23). "O Senhor...se tinha retirado de Saul" (18:12). Saul acabou buscando uma feiticeira em busca de orientação. Ele confessa a ela, "Deus se desviou de mim e já não me responde, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso, te chamei para que me reveles o que devo fazer" (28:15).

Davi lembrou-se de toda loucura, do medonho terror cercando esse homem que impediu a entrada da palavra de Deus. De repente, a verdade penetrou o seu próprio coração: "Deus não é respeitador de pessoas. Eu pequei, como Saul. E agora cá está um outro profeta, num outro momento, me dando a palavra de Deus, como Samuel deu a Saul. Oh, Senhor, eu pequei contra Ti! Por favor não retire de mim o teu Santo Espírito, como fez com Saul".

Davi escreve, "Eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos... Purifica-me... Cria em mim...um coração puro...Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito" (Salmo 51:3-11).

Um comentarista sugere que a despeito do arrependimento de Davi, ele nunca teria se recuperado da queda. Ele aponta que a Bíblia diz muito pouco sobre qualquer vitória de Davi após esse tempo. Antes, sugere ele, Davi meramente foi se esvaecendo até a morte.

É verdade que Davi pagou sérias conseqüências por seu pecado. Na verdade, profetizou julgamento sobre si próprio! Ele diz a Natã que o homem rico que roubara a cordeira do homem pobre deveria restaurar quatro vezes. E foi exatamente isso que aconteceu com a vida de Davi: a criança à qual Bate-Seba deu à luz morreu em poucos dias. E três outros filhos de Davi - Amnom, Absalão e Adonias - todos tiveram mortes trágicas e fora de hora. Assim, Davi pagou seu pecado, com quatro de seus próprios cordeiros.

Mas a Bíblia claramente mostra que toda vez que retornamos para o Senhor em arrependimento genuíno, de coração, Deus responde trazendo reconciliação e restauração absolutas. Não temos de acabar como Saul, descendo à loucura e ao terror. Nem temos de "esvaecer" da vida, aguardando o passar do tempo em quieta vergonha até que o Senhor nos leve. Pelo contrário, o profeta Joel nos assegura que Deus se envolve imediatamente assim que voltamos para Ele: "Rasgai o vosso coração...e convertei-vos ao Senhor, vosso Deus, porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal" (Joel 2:13).

Surpreendentemente, Deus então nos dá essa incrível promessa: "Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto...Comereis abundantemente, e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor, vosso Deus, que se houve maravilhosamente convosco; e o meu povo jamais será envergonhado" (Joel 2:25-26). O Senhor promete restaurar tudo.

É preciso entender: quando essa profecia foi dada, Deus já havia pronunciado julgamento sobre Israel. Mas o povo se arrependeu, e Deus diz, "Agora farei coisas maravilhosas para vocês. Vou restaurar tudo que o Diabo roubou".

Amado, a terna misericórdia de Deus permite até ao pior dos pecadores dizer , "Não sou um viciado em drogas. Não sou um alcoólatra. Não sou um adúltero. Sou um filho do Deus vivo, com todos os direitos do céu para a minha alma. Não vivo mais sob condenação, pois o meu passado ficou totalmente para trás. E não preciso pagar por qualquer pecado passado, porque Jesus pagou o preço para mim. E mais, Ele diz que restaurará tudo para mim".

Aqui está a verdade quanto ao que aconteceu com Davi. Ele ouviu a palavra de Deus por meio de Natã, se arrependeu e obedeceu, e, como resultado, passou o resto da vida crescendo no conhecimento de Deus. O Senhor trouxe grande paz à vida de Davi. E com o tempo, todos os seus inimigos foram silenciados.

No entanto a prova mais clara da restauração de Deus na vida de Davi é o seu próprio testemunho. Leia o que Davi escreveu nos dias próximos à sua morte:

"O Senhor é a minha rocha, a minha cidadela, o meu Libertador...o meu rochedo em que meu refugio; o meu escudo, a força da minha salvação, o meu baluarte e o meu refúgio" (2 Samuel 22:2-3). Isso não é o testemunho de alguém que tenha se esvaecido.
"Clamei a meu Deus...ele...ouviu a minha voz...me tomou; tirou-me das muitas águas... Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque ele se agradou de mim" (22: 7,17,20). Acabamos de estudar tudo que Davi fez para desagradar ao Senhor. Contudo, mesmo depois de tudo isso, Davi foi capaz de dizer, "O Senhor se agrada de mim".
Eis porque Davi para sempre será conhecido como um homem "segundo o coração de Deus". É porque rápida e genuinamente ele se arrependia de seus pecados. Provérbios nos diz:
"O que guarda a repreensão será honrado" (Provérbios 13:18). Deus irá lhe honrar, se você amar e obedecer à repreensão divina.
"Desprezaram toda a minha repreensão. Portanto, comerão do fruto do seu procedimento...Os néscios são mortos por seu desvio" (1:30-32). Se você ficar surdo à repreensão piedosa, isso acabará lhe destruindo.
"As repreensões da disciplina são o caminho da vida" (6:23). Simplificando, a Palavra condenatória de Deus produz vida.
Prezado santo, a verdade em relação à "pregação dura" - se pregada em meio à lagrimas - é que na verdade ela é a "pregação da graça". Se você está sendo sondado pela Palavra de Deus - se o Seu Espírito não está lhe deixando confortável em seu pecado - então está lhe sendo mostrada misericórdia. É o profundo amor de Deus agindo, atraindo-o para sair da morte e entrar na vida.
Você vai responder a Ele como Davi fez? Se assim fizer, conhecerá restauração e reconciliação reais. E Deus irá lhe restaurar tudo que o inimigo roubou. Aleluia!