17 de novembro de 2006

Rick Warren provoca polêmica, de novo

Rick Warren provoca polêmica, de novo

Julio Severo

Jesus era muitas vezes polêmico, pelos padrões religiosos de sua época, pelo simples fato de que ele acolhia os pecadores, a fim de salvá-los. Além disso, os pecados deles eram sempre expostos, no processo de convicção que ocorre quando alguém se aproxima de Jesus. Por isso, quando mesmo homens importantes chegavam às reuniões de Jesus, eles não eram adulados com oportunidades para se dirigir às multidões alcançadas por Jesus. As multidões de Jesus eram só para Jesus e seu ministério de libertação. Políticos sem salvação ou santidade tinham de fazer o que toda a multidão fazia: sentar-se aos pés do Mestre e ouvir, a fim de aprender.

Entretanto, a polêmica que ronda hoje muitas igrejas é diferente da polêmica em torno do ministério de Jesus. As multidões de nossos dias que se reúnem nas igrejas são exploradas por pastores que as colocam não aos pés de Jesus, mas aos pés dos ímpios. Nas últimas eleições municipais, numa reunião de líderes da Igreja Renascer, Marta Suplicy, defensora declarada do aborto e do homossexualismo, teve oportunidade de falar do púlpito. Talvez essa seja uma fraqueza das megaigrejas e superapóstolos: envolver-se, principalmente em questões políticas e eleitorais, em polêmicas que favorecem a glória dos ímpios, não a glória de Deus.

É polêmico (e politicamente incorreto) hoje dizer que a Bíblia condena o homossexualismo e oferece esperança para os homossexuais que se entregam a Jesus. Mas esse tipo de polêmica as megaigrejas e superapóstolos e superbispos evitam com vigilância máxima.

Recentemente, Rick Warren, autor do livro “Uma Vida Com Propósitos”, envolveu-se em pelo menos duas grandes polêmicas. Ele viajou a Síria e louvou esse país como se fosse uma nação onde há paz e onde cristãos e muçulmanos convivem pacificamente. Warren simplesmente preferiu se manter em silêncio quanto ao papel da Síria no patrocínio do terrorismo sistemático contra Israel e a antiga interferência síria no Líbano, fortalecendo e equipando os muçulmanos radicais contra os cristãos e contra Israel.

Com sua igreja de mais de 30 mil membros, Warren sente que o púlpito não pertence somente a ele… Pastores verdadeiramente consagrados sabem que o púlpito não pertence a eles. Pertence exclusivamente a Jesus, e só homens com compromisso sério com Jesus podem ocupá-lo. Mas não é exatamente dessa forma que Warren pensa. Para comprovar que é diferente, Warren convidou o senador Barack Obama para falar do púlpito à sua enorme congregação da Igreja Saddleback na Califórnia, em 1 de dezembro de 2006.

Obama é conhecidos nos EUA por não respeitar os valores da Palavra de Deus. Quando era legislador estadual, Obama trabalhou ativamente para preservar a disponibilidade do aborto em todos os nove meses de gravidez. Há muito tempo, Obama apóia o avanço do lobby ativista homossexual em seus esforços de destruir o casamento tradicional. Ele apoiou a criação de direitos especiais para indivíduos que se engajam no homossexualismo com o único propósito de privilegiá-los nas questões de moradia, emprego, etc. Ele vem patrocinando de modo firme leis antipreconceito que acabarão amordaçando os pastores que crêem, conforme a Bíblia, que a conduta homossexual é errada.

Quando uma enfermeira conscienciosa chamada Jill Staneck denunciou publicamente que um hospital de Chicago deixava morrer de fome e negligência bebês que nasciam vivos de operações de aborto, o poderoso político Obama se levantou para atacar a simples enfermeira.

Assim, Obama não tem as qualidades bíblicas para ocupar o púlpito de uma igreja que glorifica o Senhor Jesus. Claro que as portas de todas as igrejas precisam estar abertas para ímpios como Obama, Marta Suplicy, Bill Clinton, Lula, etc. Mas o lugar para eles não é o púlpito, onde nada de bom eles têm para pregar. O lugar deles é o banco, para exclusivamente ouvir a mensagem libertadora do Evangelho.

Aos megaapóstolos brasileiros, que cedem o púlpito para tipos como Martas Suplicy, e aos megapastores americanos, que cedem o púlpitos para tipos como Obama, uma megaverdade da Palavra de Deus:

“Não participem das coisas sem valor que os outros fazem, coisas que pertencem à escuridão. Pelo contrário, tragam todas essas coisas para a luz.” (Efésios 5:11 NTLH)

Fonte: www.juliosevero.com; www.juliosevero.com.br

7 comentários:

escravo livre do teu amor Senhor disse...

Olá, Julio Severo, gostaria apenas de lhe fazer uma pergunta,concordando em extremo com tudo o que escreveu aqui, no entando gostaria apenas de questionar um fato, o Sr Obama não é cristão? Ele também não frequenta uma igreja? se estiver errado me perdoe ok? mas ate agora o que eu sei é que ele é cristão assim como o Bill também no entanto todos esses e concordo contigo estão mais pra impios do que pra justos servos de Deus, gostaria que me ajudasse a entender se é que tu tens a informação que o Sr Obama é de fato um "impio"!??

Julio Severo disse...

Olá! A resposta que você procura encontra-se num artigo mais recente do meu blog. Para acessá-lo, siga este link: http://juliosevero.blogspot.com/2008/08/bill-keller-comenta-sobre-frum-poltico.html

Ralffer Barbosa disse...

Eu posso publicar este texto em meu blog?

Julio Severo disse...

Sem dúvida! Só não esqueça, por favor, de mencionar autor e referência do meu blog: www.juliosevero.com

Um grande abraço!

William B. Santos disse...

"Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem HONRA, HONRA." (Romanos 13:7)
Bom pelo que eu estou sabendo Barack Obama teve uma oportunidade para falar ao povo, como um político, sobre algo de interesse para a igreja e não para dirigir o culto ou uma das congregações do Pr. Warren.
"TODOS os servos que estão debaixo do jugo estimem a seus senhores por dignos de toda a honra, para que o nome de Deus e a doutrina não sejam blasfemados." (I Timóteo 6:1)
Um mal servo, que não honra seu senhor o induz a blafemar contra o povo de Deus, não há mal em honrar a quem nos honra, não há coerência em impedir alguém de nos fazer o bem.
"TODA a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ORDENADAS por Deus." Romanos 13:1)
As autoridade foram ordenadas por DEUS, não devemos teme-los pois não devemos nada a justiça, que temam os que a trangridem e não lhe estão sujeitas. Concordo com quase tudo que foi citado pelo irmão Julio, só algumas afirmações que discordo em parte, a Marta suplicy por exemplo, tem uma posição tão antagonica aos princípios bíblicos que, não há porque arriscar uma oportunidade a ela, ainda mais se tratando de púlpito, o líder da congregação deve analizar e decidir quem pode ou não ter uma oportunidade, pois a ele foi concedido este direito(posição), o próprio Jesus o conferiu este poder de decisão, e a Jesus e sua congregação Warren deve prestar contas e dar satisfação, o que encaro e considero como afronta a Deus e, (fogo estranho) no meio de seu povo, é dar a oportunidade da Palavra(pregação) a um ímpio ou cristão não ordenado, não idôneo e capacitado para trazer a Palavra, ou seja, dar o direito de pregar a um ímpio ou cristão não consagrado para aquilo. Me lembro de um exemplo que ocorreu na minha igreja, o Pastor permitiu que um ímpio falasse ao povo sobre um canal exclusivo para cristãos, dando o número de contato para mais informações e explicando como funcionaria a tecnologia, mas jamais para trazer a palavra. Portanto prefiro não tirar conclusões precipitadas nem julgar, pois não estava no culto e nem ouvi o discurso. "Cada situação é como um cubo, alguns só veem um lado, outros tem uma visão privilegiada e conseguem ver três lados de uma só vez, mas tem ainda um outro, que ao mesmo tempo vê os seis lados, por dentro e por fora, e conhece também a composição química, este é Jesus Cristo."
"Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça." (João 7:24)
"Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós." (Mateus 7:2)

Anônimo disse...

Pulpito das igrejas não é lugar de politico para fazer campanha ou benificar ministérios(placa)seja ele conhecedor da palavra ou não,púlpito da igreja é para pregar a palvra doa aquem doer. Concordo contigo plenamento Júlio E Deus te abençoe Poderosamente.

Marcos Ferreira disse...

Se preucupamos muitas vezes com tantas coisas e se esquecemos da nossa fé,a minha conviccao é a seguinte:olhemos somente para Jesus,sua vida e seus feitos.
Estes sim nunca se confudirao...