5 de outubro de 2006

Loucuras e tragédias modernas: Rir para não chorar?

Loucuras e tragédias modernas: Rir para não chorar?

Julio Severo

Quem achava que cometer insanidades era característica apenas do governo do Brasil se enganou.

Robert Emberson, um jovem inglês de 18 anos, adora animais. Por isso, ele achou que estava fazendo uma boa ação ao adotar um gato perdido, que estava recolhido num abrigo de animais.

Ele levou o gato para casa e lhe deu todos os cuidados. Mas, para sua surpresa, um dia ao atender à porta ele se depara com assistentes sociais e dois agentes da polícia para garantir a volta do gato ao abrigo.

A enérgica medida das autoridades ocorreu porque numa visita anterior, para verificar o bem-estar do animal, um dos assistentes sociais constatou uma pulga no gato. Não é brincadeira: apenas uma única pulga foi encontrada. Uma única pulga acionou os assistentes sociais e a polícia para protegerem o gato adotado de seu novo dono! Essa loucura ocorreu no Reino Unido.

Enquanto isso, no mesmo Reino Unido, a polícia enfrenta dificuldades enormes para rastrear e descobrir meninas de até 12 anos de idade que são trazidas de países como a Eslováquia. No Reino Unido, essas meninas imigrantes ilegais, sem proteção e sem ninguém a quem recorrer, são forçadas a trabalhar como prostitutas. Onde é que estão os assistentes sociais quando se precisa deles?

O número de meninas trazidas para o Reino Unido continua aumentando, e o governo inglês não sabe como localizá-las nos locais de abuso. Talvez se elas fossem do tamanho de uma pulga… ou então se pelo menos elas tivessem tanto valor quanto um gato abandonado…

Brincadeiras de lado, os problemas de exploração sexual de crianças na sociedade são enormes. E muito pouco se faz para proteger, muito menos rastrear e descobrir, crianças ameaçadas.

Contudo, os mesmos assistentes sociais que não são tão ativos em áreas que deveriam conseguem mostrar agilidade notável em questões inúteis. Com a ajuda do ECA, os assistentes sociais do Brasil são famosos por criarem problemas para famílias evangélicas que educam os filhos em casa. Criam problemas não só porque não sabem resolver os problemas graves que já existem (como prostituição infantil), mas também para justificar os salários que recebem de nossos impostos.

No exemplo do jovem inglês e seu amor por um gato abandonado, dá para ver a loucura que guia as autoridades. Enquanto os assistentes sociais e a polícia se ocupam com questões mínimas como pulgas em gatos e educação escolar em casa, a prostituição infantil se alastra no Brasil e no Reino Unido, envolvendo milhares de crianças.

Se os assistentes sociais quiserem fazer de tudo a fim de provar que suas ocupações têm realmente alguma utilidade, então deveriam deixar suas loucuras de lado e dar atenção às crianças que estão sob risco de abuso sexual e outros problemas sérios.

Fonte: www.juliosevero.com.br

Um comentário:

Anônimo disse...

Gostei do seu comentário, os tais são condutores cegos, ou se fazem de cegos, pois coam um mosquito e engolem um camelo. (Mt 23:24) - AURIFLAMA/SP.