5 de agosto de 2006

O poder que Fidel Castro não pôde deter

Nota de Julio Severo: Depois de décadas de injustiças, perseguições e muito derramamento de sangue, a ditador múmia de Cuba chega ao fim de seu poder, e é bom lembrar que Lula sempre foi amigo e bajulador da múmia. Os evangélicos progressistas do Brasil jamais condenaram essa amizade, e a Editora Vida, para vergonha do Evangelho, mantém como articulista Frei Betto, amigo de Lula e da múmia.

O poder que Fidel Castro não pôde deter

J. Lee Grady

O ditador comunista duro de matar passou 47 anos tentando exterminar o Cristianismo em Cuba. Agora ele entregou o poder — e as igrejas evangélicas em Cuba estão mais fortes do que nunca.

Todo o mundo sabia que chegaria o dia em que Fidel Castro perderia as forças em sua opressão asfixiante sobre Cuba. Mas o que os repórteres de jornais e de TV não anunciaram nessa semana foi que a entrega de poder que Fidel fez para seu irmão Raúl ocorreu logo depois de um esforço de último momento para deter a rápida propagação do Cristianismo na ilha isolada.

Em setembro de 2005, Fidel implementou a Diretiva 43 e a Resolução 46 — leis restritivas que exigiam que as muitas “casas igrejas” de Cuba se registrassem junto ao governo comunista. De acordo com um relatório que será divulgado pela revista Charisma, as leis proibiam lares não registrados de serem usados como lugares de adoração.

Vi o movimento de casas igrejas com os próprios olhos há 11 anos, quando passei uma semana em Havana. Um culto que visitei foi realmente realizado no quintal da frente de um lar, e o culto de adoração pentecostal de três horas atraiu mais de 125 pessoas. Muitas vezes as tão chamadas igrejas casas são bem grandes, mas os membros não podem se reunir em edifícios de igrejas porque o governo de Fidel Castro vem limitando as liberdades religiosas desde que ele começou a governar em 1959.

Fiquei também sabendo durante minha visita a Cuba que o tipo de comunismo de Fidel é uma estranha mistura de ideologia marxista e feitiçaria caribenha. Em Cuba muitos sabem que ele consulta bruxos da Santeria — uma religião que os escravos africanos importaram para Cuba e se misturou com práticas católicas. Fidel ergueu estátuas e santuários honrando Santeria na entrada de muitas vilas na nação de 11 milhões de pessoas.

Um missionário carismático que conversou com Charisma disse que ele acha que as recentes medidas de Fidel para restringir as igrejas ocorreram porque “o diabo está totalmente furioso”. Apesar de 47 anos de dominação comunista, e apesar de prender milhares de pastores e cristãos ativos durante muitos anos, as igrejas evangélicas vêm crescendo exponencialmente.

As Assembléias de Deus são a maior denominação evangélica da ilha, tendo várias centenas de igrejas estabelecidas bem como milhares de células de grupos ou “casas de culto”, como são chamadas. O repórter Lukins descobriu que há entre 10.000 e 15.000 dessas casas igrejas em funcionamento em Cuba hoje.

Muitos pastores cubanos com quem me encontrei ali em 1995 haviam passado algum tempo ou na prisão ou em campos comunistas de trabalhos forçados. A mesma opressão religiosa cruel ocorre hoje.

“As igrejas evangélicas de Cuba têm passado por uma longa história de perseguição, e essa perseguição contribuiu para sua saúde”, disse um missionário que trabalha em Cuba desde 1999.

Missionários americanos que trabalham em Cuba bem como pastores cubanos relataram para a revista Charisma recentemente que o reavivamento cristão tem atingido até mesmo a família de Fidel. Um de seus sobrinhos, ao que se informa, freqüenta uma dinâmica igreja evangélica na ilha e chegou até a convidar o presidente doente para freqüentar a igreja.

Os relatos também revelam que grande número de autoridades do governo cubano estão se tornando cristãos e deixando seus empregos no governo comunista.

O que o futuro reserva para as igrejas evangélicas de Cuba? Autoridades do Departamento de Estado dos EUA não estão prontas para declarar que Cuba está livre, mas muitos observadores dizem que duvidam que Raúl Castro conseguirá manter em lugar o sistema autocrático de seu irmão — principalmente se Fidel morrer logo. A democracia está pronta para decolar em Cuba, abastecida não só pelos patriotas que amam a liberdade, mas também pelos corajosos cristãos que querem levar sua fé ao exterior.

Um pastor disse para Charisma: “Esse é o tempo dos crentes cubanos na história. Eles acreditam que foram equipados por Deus através do sofrimento a levar o evangelho aos lugares mais difíceis do mundo”.

Predigo que eles estarão logo se mobilizando para começar essas viagens missionárias. O experimento comunista de Fidel não funcionou, seus duros esforços para exterminar o Cristianismo foram um tiro pela culatra, e nossos irmãos e irmãs de Cuba logo estarão se espalhando aos quatro cantos do mundo como prova de que Jesus sempre tem a última palavra.

J. Lee Grady é editor da revista Charisma.

Artigo original: Charisma Online: The Power That Fidel Castro Couldn’t Stop, 4 de agosto de 2006. Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com; www.juliosevero.com.br

Um comentário:

Anônimo disse...

Ola! meu nome é Helia, até chorei quando li este artigo dizendo que toda luta e crueldade liberada contra a igreja do Senhor Jesussó ajudou o crescimento do evangelho naquele lugar, glória à Deus por isso!!!! pois assim vejo que muitos não morreram em vão!!!!

Que Deus abençoe Cuba!!!!