3 de março de 2006

A Meta da Educação Escolar em Casa

A Meta da Educação Escolar em Casa

Fred Worth

O que você busca realizar na sua educação escolar em casa? Qual é sua meta número um?

“Quero que meus filhos tenham uma boa caligrafia”.

“Quero que meus filhos tenham bons conhecimentos matemáticos”.

“Quero que meus filhos saibam como estudar bem”.

“Quero que meus filhos aprendam lições úteis que lhes sirvam a vida inteira”.

Todas essas coisas são boas. São todas as coisas que devemos procurar incentivar. Mas nenhuma delas é a coisa que deve ser a meta número um da mãe ou pai cristão que dá aulas escolares no próprio lar. A meta número um da mãe ou pai cristão que educa em casa é aquilo que tem de ser a meta número um de toda mãe ou pai cristão. A meta é preparar nossos filhos para serem adultos dedicados a Deus. Não podemos viver nossas vidas por eles. Eles não podem viver suas vidas baseados na nossa fé e convicções. Mas a meta número um deve ser incutir em nossos filhos os recursos necessários para que eles sejam adultos dedicados a Deus.

Creio que posso sustentar essa afirmação biblicamente.

Provérbios 22:6 nos diz: “Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele.” (Provérbios 22:6 NTLH) Isso significa que devemos ajudar nossos filhos a entender que há um padrão de conduta e uma direção na vida que devemos seguir. Devemos lhes mostrar que a dedicação a Deus é o caminho que eles devem seguir.

Entendo que a “dedicação a Deus” nem sempre soa como um caminho muito eletrizante na vida. Mas devemos ajudar nossos filhos a entender a verdade de 1 Timóteo 6:6, onde somos ensinados que a dedicação a Deus “com contentamento é grande fonte de lucro” (NVI).

“Certamente, essas coisas são importantes, mas o que têm a ver com os detalhes da educação escolar em casa?” Considere Deuteronômio 6:4-9:

“Ouça, ó Israel: O SENHOR, o nosso Deus, é o único SENHOR. Ame o SENHOR, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças. Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar. Amarre-as como um sinal nos braços e prenda-as na testa. Escreva-as nos batentes das portas de sua casa e em seus portões” (NVI).

A Bíblia e os mandamentos básicos de Deus têm de ser o ponto central da educação escolar que damos em casa. A Bíblia e os mandamentos básicos de Deus não devem ser somente algo que é importante no domingo. Ora, não estou sugerindo que você deve colocar textos do livro de Deuteronômio na entrada da sua casa (embora estou certo de que isso não faria mal algum). Mas os versículos acima mostram que as coisas de Deus têm de ser o centro de toda a nossa vida de família. Não só aos domingos. Não só um tema de aula na educação escolar em casa. Mas a principal força por trás de toda a vida da família.

Sabemos que sem repetição, nossos filhos nem sempre se lembram das coisas muito bem. Deuteronômio 4:9 nos diz: “Apenas tenham cuidado! Tenham muito cuidado para que vocês nunca se esqueçam das coisas que os seus olhos viram; conservem-nas por toda a sua vida na memória. Contem-nas a seus filhos e a seus netos” (NVI). Deus entende que a menos que regularmente (veja Deuteronômio 6:4-9 acima) digamos essas coisas para nossos filhos, eles (e nós) poderão esquecê-las.

Esteja preparado para responder às perguntas de seus filhos quando surgirem.

“No futuro, quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘O que significam estes preceitos, decretos e ordenanças que o SENHOR, o nosso Deus, ordenou a vocês?’ Vocês lhes responderão: ‘Fomos escravos do faraó no Egito, mas o SENHOR nos tirou de lá com mão poderosa. O SENHOR realizou, diante dos nossos olhos, sinais e maravilhas grandiosas e terríveis contra o Egito e contra o faraó e toda a sua família. Mas ele nos tirou do Egito para nos trazer para cá e nos dar a terra que, sob juramento, prometeu a nossos antepassados. O SENHOR nos ordenou que obedecêssemos a todos estes decretos e que temêssemos o SENHOR, o nosso Deus, para que sempre fôssemos bem-sucedidos e que fôssemos preservados em vida, como hoje se pode ver. E, se nós nos aplicarmos a obedecer a toda esta lei perante o SENHOR, o nosso Deus, conforme ele nos ordenou, esta será a nossa justiça’”. (Deuteronômio 6:20-25 NVI)

Permita-me fazer um rápido argumento aqui. Essa responsabilidade não é só da mãe. Efésios 6:4 fala com os pais: “Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor” (NVI).

Um versículo popular nos lares cristãos é Provérbios 13:24, que diz: “Aquele que poupa a vara odeia seu filho, mas aquele que o ama tem o cuidado de discipliná-lo”. Quero me concentrar na segunda parte desse versículo. “Disciplinar” significa mais do que ação corretiva. Significa também tornar as ações positivas (como leitura e estudo da Bíblia, oração, adoração, conduta que agrada a Deus) um modelo de conduta em nossas vidas e trabalhando para torná-lo parte da conduta dos nossos filhos. Se os filhos não virem a mãe e o pai participando dessas condutas, não será de estranhar se eles decidirem que essas coisas não são importantes.

Considere as palavras “discípulo” e “disciplina”. Ambas as palavras vêm do latim discipulus, que significa “aluno”. Queremos disciplinar nossos filhos de modo que eles se tornem discípulos de Jesus Cristo.

Por ultimo, vamos dar uma olhada em Provérbios 4:23: “Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida” (NVI). Como pais, temos uma responsabilidade imensa de cuidar do coração de nossos filhos também. “Acima de tudo” diz que mais importante do que leitura, história, ciência e, sim, até mesmo matemática, é guardar o coração de nossos filhos e equipá-los para que eles mesmos guardem o coração. “Guardar o coração” envolve tanto evitar coisas negativas que nos prejudicariam o coração quanto fazer coisas positivas que o protegeriam. Não leia, não assista nem escute coisas que prejudicariam seu coração. Leia sua Bíblia, estude sua Bíblia, ore, adore e tenha comunhão com outros irmãos a fim de fortalecer seu coração e sua capacidade de resistir às coisas negativas que vêm contra o coração. Do coração “depende toda a sua vida”.

Considere Marcos 7:17-23:

Depois de deixar a multidão e entrar em casa, os discípulos lhe pediram explicação da parábola. “Será que vocês também não conseguem entender?”, perguntou-lhes Jesus. “Não percebem que nada que entre no homem pode torná-lo ‘impuro’? Porque não entra em seu coração, mas em seu estômago, sendo depois eliminado”. Ao dizer isso, Jesus declarou “puros” todos os alimentos. E continuou: “O que sai do homem é que o torna ‘impuro’. Pois do interior do coração dos homens vêm os maus pensamentos, as imoralidades sexuais, os roubos, os homicídios, os adultérios, as cobiças, as maldades, o engano, a devassidão, a inveja, a calúnia, a arrogância e a insensatez. Todos esses males vêm de dentro e tornam o homem ‘impuro’” (NVI).

Sua responsabilidade como mãe ou pai que dá educação escolar em casa é preparar seus filhos lhes guardando o coração e equipando-os de modo que eles possam também fazer isso. Se fizermos isso, quer ou não nossos filhos sejam os melhores estudantes da nação não é importante. Se não fizermos isso, não é consolo nenhum ter um filho que é premiado como o melhor estudante do país.

Não há dúvida, mesmo que façamos o melhor, nossos filhos podem ainda escolher estragar tudo. Mas precisamos ter a certeza de que podemos olhar para trás e dizer: “Pela graça de Deus e com a ajuda de Deus, fiz o melhor que pude”.

O Dr. Fred Worth é professor do departamento de matemática da Universidade Estadual Henderson, em Arkadelphia, Arkansas, EUA.

Título do original: The Goal of Homeschooling

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com.br

Nenhum comentário: