23 de fevereiro de 2006

Mais de 500 Cientistas Doutorados Proclamam Suas Dúvidas Acerca da Teoria de Darwin

Mais de 500 Cientistas Doutorados Proclamam Suas Dúvidas Acerca da Teoria de Darwin

SEATTLE, EUA, 22 de fevereiro de 2006 (LifeSiteNews.com) — Mais de 500 cientistas doutorados assinaram uma declaração que expressa publicamente seu ceticismo acerca da teoria contemporânea da evolução darwiniana.

A declaração diz: “Somos céticos das afirmações defendendo a capacidade da mutação casual e seleção natural para explicar a complexidade da vida. Deve-se incentivar um exame cuidadoso da evidência em prol da teoria darwiniana”.

A lista dos 514 signatários inclui cientistas membros da Academia Nacional de Ciências da Rússia e dos EUA. Os signatários incluem 154 biólogos, a maior disciplina científica representada na lista, bem como 76 químicos e 63 físicos. Os signatários têm doutorados em ciências biológicas, física, química, matemática, medicina, ciência da computação, e disciplinas relacionadas. Muitos são professores ou pesquisadores em importantes universidades e instituições de pesquisas tais como o MIT, o Instituto Smithsoniano, a Universidade de Cambridge, a Universidade da Califórnia em Los Angeles, a Universidade da Califórnia em Berkeley, a Universidade de Princeton, a Universidade da Pensilvânia, a Universidade Estadual de Ohio, a Universidade da Geórgia e a Universidade de Washington.

O Instituto Discovery publicou pela primeira vez sua lista de Dissidência Científica contra o Darwinismo em 2001 para desafiar falsas declarações sobre a evolução darwiniana feitas na promoção da série “Evolution”, transmitida pelo canal PBS. Na época a série afirmava que “virtualmente todos os cientistas do mundo crêem que a teoria é verdadeira”.

“Os darwinistas continuam a afirmar que nenhum cientista sério duvida da teoria. Contudo, aqui estão 500 cientistas que estão dispostos a tornar público seu ceticismo acerca da teoria”, disse o Dr. John G. West, diretor associado do Centro de Ciência & Cultura do Instituto Discovery. “Os esforços dos darwinistas para usar os tribunais, os meios de comunicação e os comitês acadêmicos para suprimir a dissidência e reprimir o debate estão na verdade inflamando mais dissidência ainda e inspirando mais cientistas a pedir sua inclusão na lista”.

De acordo com West, foi o crescimento rápido no número de dissidentes científicos que incentivou o Instituto a lançar um site — http://www.dissentfromdarwin.org — para dar à lista um lugar permanente. O site é a resposta do Instituto à demanda de informações e acesso à lista por parte do público e de cientistas que querem que seus nomes sejam acrescentados à lista.

“A teoria da evolução de Darwin é o grande elefante branco do pensamento contemporâneo”, disse o Dr. David Berlinski, um dos signatários originais, que é matemático e filósofo científico no Centro de Ciência & Cultura do Instituto Discovery. “A teoria de Darwin é volumosa, quase completamente inútil, e objeto de veneração supersticiosa”.

Outros signatários proeminentes incluem o Dr. Philip Skell, membro da Academia Nacional de Ciências dos EUA; o Dr. Lyle Jensen, membro da Associação Americana para o Avanço da Ciência; o Dr. Stanley Salthe, biólogo evolucionário e autor de livros escolares; o Dr. Richard von Sternberg, biólogo evolucionário do Instituto Smithsoniano e pesquisador do Centro Nacional de Informações de Biotecnologia dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA; o Dr. Giuseppe Sermonti, editor da Rivista di Biologia, a mais antiga revista do mundo sobre biologia ainda em circulação; o Dr. Lev Beloussov, embriologista da Academia de Ciências Naturais da Rússia.

Veja a lista completa aqui:
http://www.discovery.org/scripts/viewDB/filesDB-download.php?command=download&id=660

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com.br

Fonte: http://www.lifesite.net/ldn/2006/feb/06022204.html

2 comentários:

portugal disse...

A Teoria da Evolução de Darwin fundamenta-se em cinco ou seis axiomas que não são unviersalmente válidos.
Que a evolução se dá do mais simples para o mais complicado; nem sempre é verdadeiro, pois há organismos extremamente simples que aoareceram muito depois de seres muito mais complexos. Que a evolução se dá do menos capaz para o mais capaz de resistir às condições do meio; não é sempre verdadeiro, pois, mesmo dentro do mesmo género, convivem seres com capacidade extremamente diferente de resisitirem ao meio. E, por aí adiante.
A teoria da evolução foi uma ferramenta que impulsionou o conhecimento, mas à medida que ia fazendo este impulso, ia mostrando as suas fragilidade.
Para além do mais, a Teoria da Evolução, pode ser útil para explicar como a vida tomou formas diferentes (com reservas), mas não explica como se formou a vida

Anônimo disse...

O mais interessante é que se trata de uma "teoria", não uma lei, ou seja, é só uma explicação para algumas evidências. Como o Dr. Craig disse, a explicação para as evidências é completamente diferente da evidência em si. A teoria da evolução é só uma explicação para uma evidência, não é uma lei científica irrefutável, mas uma explicação cheia de brechas, recheada de especulações e não-reprodutível em laboratório.