18 de fevereiro de 2006

Líderes Evangélicos Formam Aliança Profana com os Globalistas Pró-Homossexualismo e Pró-Aborto para Lutar contra o Aquecimento Global?

Líderes Evangélicos Formam Aliança Profana com os Globalistas Pró-Homossexualismo e Pró-Aborto para Lutar contra o Aquecimento Global?

Comentário de Brannon S. Howse

Você soube da notícia? Oitenta e cinco líderes “evangélicos” se uniram e formaram uma coalizão para trazer atenção a uma questão. Qual é essa questão? É sobre aborto e casamento homossexual? É sobre treinar os cristãos a evangelizar conforme a Bíblia? É sobre chamar as igrejas a voltar à Bíblia? Não! É triste dizer, mas esse grupo de 85 líderes “evangélicos” não se organizou para confrontar alguma dessas questões sérias que a sociedade ou a igreja está enfrentando. Esses líderes se organizaram para nos salvar de nos queimarmos devido ao aquecimento global. Como se isso não fosse suficientemente sério, a iniciativa desses líderes cristãos está sendo financiada por instituições globalistas a favor do aborto e do casamento gay.

Muitos no grupo dos 85 líderes são pastores e líderes cristãos que raramente, se é que realmente já fizeram isso, tomariam uma posição pública em questões morais como aborto e homossexualismo. No entanto, agora eles estão liderando uma cruzada que está fazendo manchetes nacionais num assunto que não só é uma questão “política”, mas também uma questão adorada pelos membros da esquerda secular, como o ex-vice-presidente Al Gore e os piores lunáticos de Hollywood.

Durante uma conferência de imprensa no Clube Nacional de Imprensa em Washington, organizada pela Rede Ambiental Evangélica, uma coalizão recém formada chamada a Iniciativa Evangélica do Clima, divulgou uma declaração assinada por mais de 85 líderes “evangélicos”.

Alguns dos inquietos e desorientados defensores da causa do aquecimento global que assinaram o documento Mudança Climática: Um Chamado Evangélico para a Ação incluem Rick Warren, autor de Uma Vida com Propósitos e pastor da Igreja Saddleback; o pastor principal da Igreja Wooddale em Eden Prairie, MN; o ex-presidente da Associação Nacional de Evangélicos, Leith Anderson; o presidente da Visão Mundial Rich Stearns; o comandante nacional do Exército da Salvação, Todd Bassett; o editor de Christianity Today David Neff e o editor executivo Timothy George; e o presidente da Faculdade Wheaton Duane Litfin.

Em janeiro de 2006, vinte líderes evangélicos escreveram uma carta ao presidente da Associação Nacional de Evangélicos, Ted Haggard, aconselhando-o a não adotar “nenhuma posição oficial” sobre as mudanças do clima porque os “evangélicos que crêem na Bíblia… discordam sobre a causa, gravidade e soluções para a questão do aquecimento global”.

Os que assinaram a carta para Haggard incluem Charles W. Colson, fundador de Prison Fellowship Ministries; James C. Dobson, presidente de Focus on the Family; Rev. D. James Kennedy do Coral Ridge Ministries; Rev. Richard Land da Convenção Batista do Sul; Donald E. Wildmon, diretor da Associação Americana da Família; e o Rev. Louis P. Sheldon, diretor da Coalizão em prol dos Valores Tradicionais.

Paul Driessen, consultor sênior de política no Congresso de Igualdade Racial e autor do livro Eco-Imperialism: Green Power Black Death (Eco-Imperialismo: Poder Verde, Morte dos Negros), declarou recentemente: “Ao tornar a energia menos barata e acessível, a redução forçada (das emissões de gás estufa) levaria a um aumento no preço dos produtos ao consumidor, sufocaria o crescimento econômico, reduziria o número de empregos e imporia efeitos prejudiciais principalmente para as pessoas mais pobres da terra”.

Enquanto o grupo dos 85 líderes não menciona o Protocolo de Kyoto, eles parecem ignorar os danos que ocorreriam para a nossa economia com tal tratado antiamericano e anticapitalista. O Protocolo de Kyoto, que combate as emissões do gás estufa, é um acordo internacional perigoso. Esse tratado daria passe livre para alguns dos maiores poluidores do mundo, como a China e a Índia, e deixaria os Estados Unidos sob o comando da ONU e muitos de seus países membros antiamericanos.

No entanto, em justiça precisamos entender que há alguma negligência no grupo dos 85 líderes, pois a maioria deles não é composta de homens de negócios que vivem no “mundo real”. Esses 85 líderes são em grande parte um grupo de gente envolvida na área acadêmica e literária, gente envolvida com entidades sem fins lucrativos, gente que não saberia nem mesmo como começar a administrar uma empresa de grande porte que gera lucros.

Já é bastante grave que tantos extremistas ambientalistas “evangélicos” tenham infectado nossas igrejas, faculdades, universidades e evangelicalismo com sua marca liberal de cristianismo. Agora eles querem prejudicar o sistema de livre empresa em nosso país dificultando que as empresas compitam no mercado mundial.

De acordo com o jornal New York Times, a iniciativa do grupo está sendo financiada por tais organizações liberais como o Fundo dos Irmãos Rockefeller e a Fundação Hewlett. O Fundo dos Irmãos Rockefeller costuma dar verbas para tais grupos ambientalistas radicais como o Greenpeace. É preciso lembrar também que foram os Rockefellers que doaram o terreno para a ONU e construíram a ONU.

De acordo com uma nota à imprensa dada pelo grupo pró-vida Human Life International, o Fundo dos Irmãos Rockefellers dá apoio financeiro para muitas organizações e causas anticristãs, inclusive a Cúpula de Paz do Milênio da ONU:

A Cúpula de Paz do Milênio da ONU convocou as religiões organizadas para apoiar as metas de paz mundial das Nações Unidas. Entre os itens para consideração está a Carta para a Democracia Mundial, que é descrita como os novos “Dez Mandamentos” para o mundo. A cúpula é um projeto da Iniciativa das Religiões Unidas (IRU), junto com outros grupos. A IRU favorece o aborto, a educação sexual, o casamento gay e o controle populacional. O evento está sendo financiado, entre outras entidades privadas, pela Fundação das Nações Unidas e pelo Fundo dos Irmãos Rockefellers.

De acordo com o site de LifeSite.Net, em 2001 a Fundação William e Flora Hewlett aprovaram uma verba de 600 mil dólares para a Federação Internacional de Planejamento Familiar, a maior organização abortista do mundo, para fornecer “serviços de saúde sexual e reprodutiva para os adolescentes do Brasil, Equador e Peru”.

Num artigo no Crosswalk.com, escrito por David Thibault, lemos:

Eric Brown, diretor de comunicações da Fundação Hewlett, que contribuiu 2 milhões de dólares para o Centro de Direitos Reprodutivos durante os últimos três anos, se recusou a comentar sobre a decisão evidente da fundação de evitar o uso da palavra “aborto” em seu site. A Fundação Hewlett, de acordo com seu site, “dá verbas para lidar com os problemas sociais e ambientais mais graves que a sociedade enfrenta… A fundação coloca um valor elevado em instituições de sustento e melhoria que fazem contribuições positivas para a sociedade”.

Preciso lhe dar mais evidências de que a iniciativa ambiental que está sendo promovida pelo grupo dos 85 líderes evangélicos vem sendo financiada por uma aliança profana? Não é preciso ser um cientista espacial para fazer uma pesquisa básica dos grupos que estão financiando a causa ambientalista evangélica e descobrir os valores antibíblicos que eles adotam e financiam.

Por que é que eu sou o primeiro e único colunista até agora a expressar essas perguntas e apontar a cosmovisão dos que estão financiando o grupo dos 85 líderes? Por que esse grupo não fez uma boa pesquisa antes de aceitar as verbas e se alinhar com extremistas anticristãos que amam a ONU e que financiam o aborto e o casamento homossexual? Será que é porque eles estão de acordo com essas organizações, suas políticas e campanhas?

Eis, meus amigos, como anda o discernimento espiritual de importantes líderes por trás de algumas das principais igrejas, faculdades, publicações e organizações cristãs de hoje.

Esse tipo novo de Cristianismo está ajudando e dando credibilidade para grupos que promovem o globalismo, o fim da independência dos países, a tirania e no fim a perseguição dos cristãos. Vamos ser realistas: a iniciativa ambiental de muitos dos líderes evangélicos populares de hoje está sendo financiada pelas organizações globalistas mais anticristãs e antiamericanas. Siga o rastro de dinheiro.

O grupo de 85 líderes não é nada mais do que um Cavalo de Tróia da esquerda que foi colocado dentro dos círculos evangélicos. A pergunta é: Esse grupo de líderes evangélicos não sabe que eles estão sendo usados? Se sabem, o que isso mostra sobre o caráter deles? Se eles não sabem que estão sendo usados, o que isso mostra sobre a capacidade que eles têm de discernir? Será que você realmente conseguirá seguir esses líderes “evangélicos” que são cúmplices ou ignorantes em seu envolvimento com tais organizações globalistas anticristãs?

Num artigo escrito por Paul Nussbaum no jornal Philadelphia Inquirer publicado em 8 de janeiro de 2006, intitulado “O Pastor com um Propósito”, lemos algo que revela muito sobre o tipo de Cristianismo de Rick Warren:

Warren prediz que o fundamentalismo, de todas as variedades, será “um dos grandes inimigos do século XXI”.

No artigo, Warren diz:

O fundamentalismo muçulmano, o fundamentalismo cristão, o fundamentalismo judaico, o fundamentalismo secular — todos eles são motivados pelo medo. Medo uns dos outros.

O que é que Warren está dizendo? Será que fundamentalistas conservadores como Albert Mohler do Seminário Batista do Sul, Dr. D. James Kennedy da Igreja Presbiteriana Coral Ridge, Don Wildmon da Associação da Família Americana, John MacArthur da Igreja Comunidade da Graça e da Faculdade do Mestre, o escritor R.C. Sproul, ou Dr. Ravi Zacharias são alguns dos fundamentalistas cristãos que são os “inimigos do século XXI”? Sobre quem Warren está falando e como é que os fundamentalistas cristãos são uma ameaça ao século XXI? Como é que o governo deveria se opor a essa ameaça?

A todos os meus amigos que estão tendo dificuldade de compreender o que Rick Warren e outros líderes estão fazendo: não me digam que eu não os avisei muito tempo antes para pararem de comprar o que eles estão vendendo.

Oro para que este artigo revele que muitos dos autores, palestrantes, pastores e líderes “cristãos” mais populares de hoje são realmente ocos, lhes faltando discernimento bíblico e um mínimo de bom senso.

Lamentavelmente, muitos desses líderes queridinhos das igrejas evangélicas americanas têm pouco, se é que têm mesmo, compromisso com a verdade da Bíblia, a infalibilidade da Bíblia, o plano bíblico da salvação, o evangelismo bíblico e a definição bíblica de um cristão verdadeiro. Esses são só alguns dos pontos fundamentais da fé cristã.

A Bíblia nos avisa para termos cuidado com os falsos mestres e também para suspeitarmos bastante dos que são populares e louvados entre as multidões. Quando o livro de Warren vendeu milhões de exemplares e o tornaram o queridinho dos meios de comunicação liberais, já comecei a suspeitar.

Dê uma olhada nas muitas entrevistas de rádio e TV, projetos e organizações e indivíduos com quem Warren se envolve e você verá que se Warren é de opinião que os cristãos fundamentalistas são os “inimigos do século XXI” então é porque ele não é um evangélico conservador.

Se você ama e serve o Senhor Jesus Cristo, se você entregou sua vida a Ele, se você é eternamente grato que Ele Se ofereceu como sacrifício e derramou Seu sangue para expiar nossos pecados, então convido você a rejeitar e se opor às filosofias vãs dos emergentes líderes cristãos dos EUA.

Peço que os pastores, os líderes cristãos e os leigos rejeitem as novidades, os livros da moda e as causas politicamente corretas e voltem para suas igrejas, faculdades, universidades, seminários, aulas de estudos da Bíblia e escola dominical para lerem, ensinarem e pregarem somente a Palavra de Deus.

Os evangélicos não podem ser dar ao luxo de se orientar por gente como Rick Warren e outros líderes envolvidos no grupo dos 85, que mostraram tanto discernimento não bíblico.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: http://www.juliosevero.com.br/

Fonte: http://www.worldviewweekend.com/secure/cwnetwork/article.php?&ArticleID=486

Um comentário:

Efraim disse...

Vai haver um aquecimento global! Será?...Qualquer estudo do clima deve considerar pelo menos 30 anos para poder indicar uma tendência (normal climatológica). No entanto, não temos 30 anos ainda de estudo sobre o Aquecimento Global e derepente isto é tido como uma verdade! Tudo começou em Al Gore (Nobel da Paz 2007!!) e a mídia começou a promover seu documentário (Uma verdade "indescente", descupe incoveniente)afinal de contas, Gore representa o sonho do anti-cristãos e gays norte-americanos de ter um presidente que apoie o casamento homossexual e o aborto!
No fundo, o tema Aquecimento Global é um prato cheio para os newsagers e sua espiritualidade mística oriental, como também para os adeptos da Teoria de Gaia (nada mais que um retorno a mitologia grega e politeista)
Como cristãos devemos sim preservar o que o Senhor criou!!! O problema é quem está na vanguarda desse movimento ambientalista, no fundo, não querem simplesmente proteger a natureza, e sim, implantar uma nova sociedade com uma nova consciencia (anticristã!)É por isso que o discursso deles fala-se tanto em desenvolvimento humano e evolução social... Independente se a Terra vai esquentar ou não, eu sei que o Senhor guardará a minha vida e de todos que a Ele servem. E disto eu tenho certeza!