1 de dezembro de 2005

Quando o poder de Deus se revela


Quando o poder de Deus se revela

O ministério do pastor luterano Johann Christoph Blumhardt

A vida e o ministério do Rev. Johann Christoph Blumhardt (1805-1880) são um dos exemplos mais notáveis do poder e amor de Jesus Cristo sendo liberados em resposta à fé e oração. Seu trabalho extraordinário em favor dos necessitados era uma demonstração clara de que “Deus ainda é o Deus vivo, e hoje, assim como há milhares de anos, Ele ouve as orações de Seus filhos” e salva, ajuda e cura todos os que põem sua confiança nEle.
Christoph Blumhardt nasceu na Alemanha em 1805 e depois de uma preparação completa tornou-se pastor luterano. Embora as universidades estivessem geralmente fazendo pouco caso das verdades evangélicas e da fé simples no Senhor Jesus Cristo, ele passou pelos seus cursos teológicos inteiramente treinado, porém com a fé intacta.
Não há dúvida de que toda a sua vida cristã foi edificada de uma maneira fantástica durante os vários anos que ele passou trabalhando ligado à Escola de Treinamento Missionário em Basel. Aí o fervor missionário foi implantado e ele teve oportunidade de ver o poder da verdade do Evangelho.
A característica marcante desse homem nessa fase de sua experiência foi uma forte fé em Deus, uma fé que se apegava completamente às promessas da Palavra de Deus e descansava nelas com calma confiança. Ele aparentava ser um homem de autoridade, mas tinha maneiras serenas, bondosas e atraentes, e no convívio social ele sempre demonstrava interesse e amor por todas as pessoas. Deus estava preparando coisas surpreendentes para ele, e então veio o chamado para trabalhar em outro lugar.
Após um breve serviço como pastor em Iptingen, em 1838 ele se mudou para Mottlingen. Mottlingen era uma vila luterana na Floresta Negra, no reino de Wurtemberg. No começo de seu trabalho ali, ele casou com Johanna Dorothea Kollner, que veio a ser uma dedicada esposa e ajudante.
Muitos riam dele e desprezavam sua simples confiança em Jesus, mas o jovem pastor começou corajosamente a pregar onde seu Mestre havia começado antes dele, com aquele primeiro e muitíssimo importante Evangelho para os pecadores: “Arrependam-se, pois o Reino de Deus está perto”. Logo sua seriedade e ardor deram frutos e multidões se aglomeravam para ouvir a simples Palavra de Deus. Um reavivamento foi brotando, e junto veio oposição e conflitos, mas ele avançou com calma e firmeza e se esforçou para guiar no caminho da dedicação a Deus todos os que criam.
Sem exagero na comparação, pode-se dizer seguramente que Blumhardt tinha a mesma fibra espiritual de pregadores como John Wesley, George Muller e Charles Finney. Ele tinha uma confiança sem limites na redenção de Cristo para a alma e para o corpo, e jamais se sentia envergonhado de declarar abertamente a sua fé.
Deus muitas vezes nos ensina por meio de alguma crise espiritual. Blumhardt aprendeu a caminhar pela fé com mais perfeição quando se deparou com um caso em sua experiência que nem mesmo a oração parecia estar conseguindo resolver alguma coisa.
Havia uma jovem em sua congregação que tinha um padecimento físico bastante estranho. Ela parecia realmente estar possuída por demônios, pois em seu muito tormento ela costumava primeiro falar com uma voz e então com outra voz estranhamente diferente. Mandaram chamar os médicos e ao fazerem os exames eles perguntaram se não havia alguém que soubesse orar, já que esse não parecia ser um caso para tratamento médico.
Esse caso veio como um desafio para Blumhardt, e a pressão foi aumentando quando alguns membros de sua congregação, que haviam aceitado seu ensino sobre o poder da oração, foram até ele e disseram que essa era sua oportunidade. Não havia tempo para bater em retirada — e ele passou a se dedicar a orações intensas.
No começo, suas orações não pareciam estar alcançando nenhum resultado. A jovem piorou. Em suas visitas à moça ele muitas vezes levava consigo o prefeito, que via com os próprios olhos o fenômeno fora do comum que se manifestava nessa jovem alucinada e encolerizada, mas todas as suas orações e visitas pareciam não estar sendo de utilidade alguma.

Jesus É Vencedor!

Depois de algum tempo, sua atenção foi atraída para aquela passagem da Bíblia que diz que “esse tipo de demônio só pode ser expulso com oração e jejum” (veja Mateus 17:21). Em seu desespero, ele se dedicou à oração e ao jejum e então mandou que novamente trouxessem a doente e, no nome de Jesus, ordenou que os espíritos maus saíssem.
Ela foi liberta imediatamente, e com uma voz sobrenaturalmente alta, que pôde ser ouvida por toda a vila, ela exclamou: “JESUS É VENCEDOR!” Um dos membros do corpo dela era consideravelmente mais curto que o outro, mas na mesma hora se alongou e ela foi totalmente curada!
Não foi somente a extraordinária cura que exaltou o poder e a glória de Deus, mas aquele grito “JESUS É VENCEDOR” foi ouvido por um homem devasso que estava passando perto da casa dela naquele momento. Ele caiu em tal estado de convicção e arrependimento por seus pecados que foi procurar o Pastor Blumhardt e acabou entregando o coração a Jesus Cristo. Ele passou o resto da vida levando pessoas a conhecer o amor de Deus.
O Pastor Blumhardt passou meses ocupado dando assistência espiritual aos necessitados. Por meio dessa resposta à oração, sua própria confiança em Deus aumentou, e Deus começou não só a salvar almas, mas também a curar os doentes de um modo tão marcante que muitos homens e mulheres de diferentes partes da Alemanha começaram a ir até ele. Às vezes multidões se acampavam no gramado da igreja, e ele lhes pregava o Evangelho e orava por eles.
Todas as acomodações ficavam lotadas de pessoas que estavam buscando alguma bênção espiritual ou física. Isso fez com que ele colocasse toda essa situação diante do Senhor em suas orações, e pelo fato de que as multidões continuavam aumentando e muitos estavam vindo de outros países, ele procurou um lugar maior onde pudesse lhes ministrar.
Nas casas de banho de Boll havia sido construído um enorme lugar de diversão que ia ser usado inteiramente para a depravação e jogatina. Por algum motivo, o projeto não teve êxito financeiro e o lugar foi retido pelo governo, que o pôs à venda. Deus agiu providencialmente de tal maneira que o Pastor Blumhardt teve condições de comprar esse enorme lugar e dar-lhe um pouco de beleza.
Aí, por muitos anos, chegavam visitantes de todas as partes da Alemanha. Aliás, de todas as partes do mundo. Seus visitantes representavam todas as classes de pessoas: ricos e pobres, camponeses, generais e muitos da nobreza. Alguns vinham buscando bênção e alívio espiritual e muitos vinham em busca de cura física.
O rei e as autoridades da Alemanha mandavam donativos para o seu trabalho, por causa dos resultados benéficos e da simples fé cristã que estava sendo propagada.
Rev. Johann Christoph Blumhardt
O Pastor Blumhardt era um pregador e músico de talento. Seu semblante jovial e alegre, suas palavras de esperança e espírito de oração tocavam a todos. Obras poderosas estavam sendo realizadas — tão grandes que muitos duvidavam, e outros vinham para ver com os próprios olhos.
Um professor de uma grande universidade fez uma visita especial e perguntou: “Que provas há de que Deus está curando de modo tão fenomenal os doentes?” O Pastor Blumhardt o levou a uma mesa cheia de cartas.
O professor teve a liberdade de ficar ali e examinar as cartas. Ele ficou pasmo e mais do que convencido ao ler carta após carta relatando a maneira incrível como Deus estava agindo em resposta à simples oração de fé.
O Pastor Blumhardt cria naqueles versículos do capítulo 16 de Marcos que dizem: “Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados” (NVI).

Jesus é o Mesmo Ontem, Hoje e Sempre

Blumhardt sentia que a Igreja estava em necessidade de um novo derramamento do Espírito Santo, tal qual ocorreu no dia de Pentecostes, e que sem isso nada seria de duração. Eis o que ele mesmo disse:
“Isso me levou a orar pedindo um derramamento do Espírito, e essas eram orações incessantes, principalmente porque os sinais pareciam indicar que não estávamos longe dos últimos tempos. Quanto mais vejo a corrupção e as diversas deficiências da atual Cristandade, mais difícil se torna eu deixar de suplicar por sua renovação, o que só poderá ser realizado mediante uma atuação especial do Espírito de Deus. Após um estudo minucioso de Joel 3 e Apocalipse 14, posso e tenho de acreditar que os tempos anticristãos, conforme profetiza a Palavra de Deus, serão precedidos por reavivamentos no mundo inteiro. Meu coração se entristece quando olho para o mundo, mas se alegra quando olho pra o céu e para as profecias da Bíblia. Oh, que as abominações e sofrimentos da terra fossem logo aniquilados”.
Ele tinha profundo interesse na atividade missionária, e por intermédio dele muitos donativos fluíam para as diferentes missões do mundo, e para o sustento do Instituto de Treinamento Missionário em Basel.
Blumhardt era um homem que não pensava em si mesmo, um homem inteiramente dedicado a Deus, um homem que orava intensamente. Ele era um servo de Deus extraordinariamente rico no poder e amor de seu Mestre, e tinha um jeito muitíssimo fora do comum de aplicar as passagens da Bíblia de um modo que vinham ao encontro das necessidades espirituais e mentais dos aflitos. Ele também sabia mostrar como as passagens da Bíblia tinham profunda relação com cada detalhe da vida diária das pessoas. Esse dom de pregação era mais conhecido entre o povo do que sua intercessão em favor dos doentes.
Na verdade, ele nunca declarava publicamente que tinha capacidade, nem mesmo por meio da oração, de curar as graves enfermidades físicas dos homens e mulheres que iam até ele. Mas ele tinha uma confiança simples e inocente na misericórdia e amor do Pai celestial em favor de Seus filhos que estavam sofrendo e sendo tentados. Ele ensinava que havia um significado divino por trás de todo sofrimento da vida.
Quando o Pastor Blumhardt colocava gentilmente as mãos sobre a cabeça de um doente, e derramava sua oração diante de Jesus Cristo, o doente sentia claramente o afeto do pastor por ele. Quando ele exortava os homens e as mulheres a examinar seus corações, a revelar e confessar seus pecados secretos, ele jamais fazia isso como um padre. Sua orientação era que eles deviam confessar seus pecados a Deus.
Ele também os ensinava a reconhecer os erros que haviam cometido contra os outros, e a fazerem restituição, onde isso fosse possível. Mas mesmo quando ele exortava, sentia-se que seu coração se compadecia profundamente das pessoas.
A fé simples que ele tinha apegava-se firmemente à Bíblia como Palavra inspirada por Deus. Ele viveu até alcançar boa velhice, e no ano de 1880 partiu para estar na presença de seu Senhor, deixando o exemplo de sua vida como inspiração. Dois de seus filhos que o ajudavam como pastores ficaram para levar adiante seu grande trabalho.
As orações do Pastor Blumhardt muitas vezes eram batalhas contra as forças das trevas. Mas para ele e por meio dele, JESUS ERA VENCEDOR!
A época na qual estamos vivendo precisa de um testemunho semelhante. Tantos valores e comportamentos errados deste mundo estão infiltrando e enfraquecendo as vidas dos cristãos e fazendo murchar o testemunho de muitas igrejas. O poder de Deus precisa ser revelado! A atividade sobrenatural de Deus é necessária numa época em que se duvida da veracidade da inspiração da Palavra de Deus.
A Igreja precisa de pastores e membros que aprenderam a orar, que sabem tomar posse das promessas de Deus e que sabem que Satanás é um inimigo que já está derrotado, pelo poder da Cruz de Jesus Cristo.
À medida que vai se aproximando o dia do Senhor, temos o direito de esperar maiores manifestações da atuação sobrenatural de Deus!
Que a memória do Pastor Christoph Blumhardt nos incentive a confiar no poder do precioso sangue de Jesus e a nos apossar das promessas de Deus para a salvação das almas perdidas, para a cura dos doentes e para as poderosas ações sobrenaturais de nosso Deus! Que o exemplo de sua vida nos incentive a viver vidas cheias do mesmo Espírito Santo que o usou!
E que nós aprendamos que não só “todas as coisas são possíveis para Deus”, mas também que “todas as coisas são possíveis para quem crê” (veja Mateus 19:26 e Marcos 9:23).
Traduzido e adaptado por Julio Severo, com a devida permissão, do artigo original “When God’s Arm is Revealed, The Ministry of Pastor Blumhardt”, publicado na edição de maio de 1993 do jornal americano Herald of His Coming.

2 comentários:

Eliel disse...

Que biografia inspiradora! Que Deus me use como este irmão nos nossos dias. Glória a Deus por vida tão preciosa.

Anônimo disse...

Parabéns Eliel, que Deus te conceda isto meu irmão. Amém, e amém.