16 de novembro de 2005

Valeu a Pena Lutar pela Eleição de Lula?

Valeu a Pena Lutar pela Eleição de Lula?

Julio Severo

O Movimento Evangélico Progressista (MEP) vem lutando há anos para promover sua versão cristã do socialismo e atrair as ovelhas evangélicas do Brasil para os pastos socialistas.
Lula e o PT foram um dos grandes "beneficiados" por seus esforços, recebendo o voto de muitos eleitores evangélicos devido ao desempenho dos evangélicos progressistas nos bastidores políticos. A vitória eleitoral de Lula e do PT em 2002 também foi a mais importante vitória do MEP.

No entanto, qual é agora a reação do MEP diante dos graves escândalos de Lula e do PT? O site oficial do MEP oferece a seguinte resposta intitulada Refletindo sobre um Princípio Ético:


Nas disputas das CPIs percebemos um discurso que se fundamenta no fato de que as ações empreendidas não tinham interesses pessoais, mas a consolidação de um partido, que sempre lutou pelo direito e a justiça dos menos privilegiados. Em nome desta missão, quase que em uma síndrome "robinwood", justifica-se usar de caminhos escusos para ajudar "os mais necessitados". Isso é diferente do político que, consciente de sua desonestidade, tira para si o que não lhe próprio. O grande problema é que os primeiros acham que por estarem a serviço dos "menos privilegiados", colocam-se para além da lei e da ordem, não consideram sua atitude réproba, enquanto que os outros têm consciência de seus atos criminosos.

A declaração está até certo ponto boa, mas não revela nem retrata
a participação do MEP na consolidação do mencionado partido através da busca do voto dos evangélicos nas eleições de 2002. O MEP em momento algum parou para expressar arrependimento por ajudar a colocar no governo do Brasil um partido que, além de todas as muitas denúncias de corrupção, tem feito mais para promover o aborto e o homossexualismo do que qualquer governo já fez em nossa nação. A declaração do MEP só se limitou a sugerir que até quando roubam, os esquerdistas o fazem pelo bem dos menos favorecidos. Todos os outros ladrões roubam somente para se beneficiar, enquanto os ladrões socialistas roubam exclusivamente para ajudar os pobres. Até no roubo os socialistas são altruístas! Para o MEP, o roubo é errado, mas de todos os ladrões, os socialistas são diferentes, porque não pensam em si, mas só nos pobres.

Em vez de usar e abusar do Evangelho para defender e promover a ideologia socialista entre os evangélicos, os evangélicos progressistas deveriam fazer o que todo cristão genuíno é chamador a fazer: pregar o Evangelho a toda a criatura. Essa é a única paixão que vale a pena.

Contudo, o socialismo está bem no coração do Movimento Evangélico Progressista. Assim o Dicionário Aurélio define o termo progressista:


Diz-se de quem, não pertencendo a um partido socialista ou comunista, aceita e/ou apóia, no entanto, os princípios socialistas ou marxistas.

A paixão do MEP pelo socialismo é tão incontrolável e absurda que seu site na Internet contém até mesmo um link direto para o site do radical MST.

Em vez de rebaixarem o Evangelho por amor à causa socialista, eles deveriam rebaixar o socialismo por amor ao Evangelho. Enquanto a ideologia socialista é inegavelmente responsável por incontáveis milhões de assassinatos de vítimas inocentes e suas bandeiras costumem representar, com toda justiça, o vermelho de todo esse sangue derramado, o Evangelho tem, através do sangue derramado do Senhor Jesus Cristo, transformado incontáveis milhões de pessoas que foram verdadeiramente libertas do cativeiro do pecado. Só o Evangelho liberta, inclusive do cativeiro das ideologias humanas e satânicas.

Fonte:
www.juliosevero.com

2 comentários:

Emanuel disse...

Quem rebaixa o Evangelho por amor a causa socialista, sua postura ideológica equivale exatamente ao que está escrito no Livro dos livros, a Bíblia que nos informa que nos últimos tempos surgiriam em nosso meio lobos vestidos de ovelhas. Quem defende o assassinato de inocentes indefesos através do aborto e o homossxualismo como estilo normal de vida, nada mais justo do que assumir que não tem nenhum compromisso com Deus e sair da hiporisia imigrando para as fileiras socialistas, que aqui no Brasil carecem de transparência, haja vusta tantos escandalos eclodidos neste atual Governo, tendo como protagonistas "companheiros" com um passado, salvo honrosas exceções, maculados por ações ilícitas, partidários do ideal que os fins justificam os meios. Lançando um olhar "en passant" sobre "companheiros" de outros paises que apresentam os mesmos ideais dos "companheiros" pátrios, vê-se invariavelmente um contundente e contínuo desrespeito aos direitos humanos através de prisões sumárias por crime de consciência,seguidas de torturas, existência de campos de trabalho forçado, perseguições a minorias, principalmente os cristãos, enfim todo sistema governamental socialista que ao contrário do que prega na teoria, está comprometido com a opressão da população numa linha dura, cruel e sanguinária, exemplificando, China, Coréia do Norte, Cuba, Mhiamar, etc.
Vamos dar valor ao nosso voto, exercendo a cidadania e nas próximas eleições votar de modo consciente, procurando saber o histório do candidato enquanto político, se a opinião dele a respeito de diveras questões é compartilhada pela do eleitor, somente dessa forma resgataremos este País do pântano de lama que se encontra. Resgatemos o patriotismo, os verdadeiros valores morais e éticos.
É de causar preocupação o futuro dos nossos filhos, pois pelo andar da carruagem, logo surgirá outros movimentos fazendo apologia a liberação do uso das drogas, a exemplo desses movimentos que recentemente tentaram fazer uma passeata aqui em S. Paulo e graças a Deus que ainda temos verdadeiros defensores da ética e principios morais que norteiam as decisões emanadas do Poder Judiciário que proibiu esta passeata espúria.
Uma nação tão somente torna-se fortalecida quando o pilaar da sociedade o núcleo familar é preservado e protegido e o País que não adota medidas salutares para solidificar a familia está contribuindo para os caos social. É certo que para alguns, quanto pior, melhor, alcançando, dessarte, o seu objetivo excuso, talvez transformar este Brasil numa ditadura socialista, usando os menos favorecidos como "boi de piranha" para obter vantagens escusas. A Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5º consagra os direitos e garantias fundamentais da pessoa humana nos seus diversos incisos, sendo inclusas todos os cidadãos brasileiros, independentemente de sexo, raça, religião. Se os homossexuais se queixam de violênciaas contra eles, que na maioria das vezes ocorrem entre eles mesmos, podem acionar o Estado procurando uma Delegacia de Polícia para que seja apurado o autor do crime e sua susequente condenação pelo Poder Judiciário enquadrando o criminoso num dos diversos dispositivos penais do Código Penal Brasileiro. Portanto, Portanto, entendo, incabível a aprovação do PEC 122/06, por já haver leis que regulamentam o direito dos cidadãos. Estão pretendendo impor uma mordaça através desta PEC, esta é a verdade. Apesar do respeito e do amor cristão que nutro pelos homosexuais, não compartilho e não concordo com o seu estilo de vida, por quê? Porque Deus na sua Palavra abomina o pecado de Sodomia, todavia Ele ama os homosexuais, os ateus, os incrédulos, pois até mesmo proveu um meio de resgatar essas pessoas, através de um arrependimento sincero do pecador e alcançando o perdão de seus pecados através de Jesus Cristo que morreu por todos nós pecadores na Cruz do Calvário, derramando o seu precioso sangue.

marcelo disse...

Srs,
O processo eletivo nacional atual é pernicioso para a nação, pois permite que pessoas que nunca ouviram falar em administração pública (ignorantes) sejam empossados em cargos de fundamental importância para a sobrevivência das pessoas, famílias, sociedades e da própria nação. Ainda mais se considerarmos que tais cidadãos indoutos são, normalmente, patrocinadas por cartéis e pelas FORÇAS OCULTAS para defesa de interesses escusos.
Não seria melhor empossar, nesses cargos, pessoas que já vivem o dia-a-dia da Administração Pública? Ou seja, os cargos que hoje são "eletivos" seriam ocupados por cerca de 40 representantes de carreira das diretorias dos órgãos da Administração Pública brasileira, nos níveis Federal, Estadual e Municipal, tais como: Banco do Brasil, Ministérios/Secretarias, TCU, FFAA, órgãos do Poder Judiciário, Polícia Federal/Polícias Estaduais, Caixa Econômica Federal, etc.
Vejam só: ao invés de apenas 40 representantes com conhecimentos úteis, atualmente são 513 Deputados Federais e 81 Senadores, na maioria indoutos e testas de ferro, entre os quais palhaços, traficantes, etc.
Dessa forma, teríamos um COLEGIADO de pessoas que possuem uma carreira na Administração Pública, cujos órgãos centrais, na esfera federal, na sua maioria, já se encontram em Brasília; tais profissionais seriam apenas destacadas para prestar serviço no Congresso Nacional e na Presidência da República, por quatro ou cinco anos, sem que a nação tivesse que arcar com valores absurdos para manter uma CURRIOLA de aproveitadores.
Nas esferas estadual e municipal, o processo repetir-se-ia de forma similar, escolhendo-se os órgãos da Administração Pública que fariam parte do tal Colegiado.
A Presidência da República/Governo Estadual/Prefeitura, por sua vez, seriam assumidos de forma alternada por um representante da DIRETORIA desses mesmos órgãos.
Poderiam ser incluídos nesse rol um representante da Federação do Comércio, outro da Federação da Indústria, um representante religioso e outros órgãos de reconhecida atuação no campo social. Todavia deixar a nação nas mãos de pessoas que vivem de conchavos e outras alianças espúrias é permitir que o desgoverno se alastre e tome conta do nosso querido país.
Seria o FIM DOS POLÍTICOS DE PLANTÃO desta nação.