19 de novembro de 2005

Supremo Tribunal da Suécia julga pastor

Julgamento de Pastor Sueco Acusado de Crime de Ódio contra os Homossexuais Utilizado como Oportunidade para Evangelizar

John-Henry Westen e Terry Vanderheyden

ESTOCOLMO, Suécia, 15 de novembro de 2005 (LifeSiteNews.com) — O pastor sueco Ake Green, aparecendo diante do Supremo Tribunal da Suécia em 9 de novembro para responder à acusação de “crime de ódio” por pregar um sermão sobre o homossexualismo em 2003, aproveitou a ocasião para evangelizar a nação.

O representante da entidade evangélica Focus on the Family nas Nações Unidas, Thomas Jacobson, relatou que o julgamento foi providencialmente transmitido pela televisão nacional, dando assim para Green a oportunidade de apresentar e defender seu sermão original para toda a nação através da televisão. “Isso foi sem precedente na história da Suécia”, Jacobson disse, “que uma audiência do Supremo Tribunal seja transmitida para toda a nação”.

“Todos ouviram primeiramente seu sermão original, então subseqüentemente o ouviram falar por 45 minutos”, declarou Jacobson. “Exatamente como ocorreu com o Apóstolo Paulo, quando ele era detido e às vezes preso, (o Pr. Green) teve a oportunidade de declarar a verdade e declarar o Evangelho de Jesus Cristo — e a compaixão e o perdão que são disponíveis — de um modo que nunca se viu antes”.

A Suécia está precisando urgentemente ser evangelizada na questão. Jared N. Leland, porta-voz e conselheiro legal do Fundo Becket — uma entidade internacional, interdenominacional e de interesse público de advogados dedicados a proteger a livre expressão de todas as tradições religiosas — escreveu um artigo defendendo o pastor. O artigo foi amplamente publicado na Suécia no ano passado. O Relatório Chalcedon citou Leland expondo a reação que ele recebeu. “Os colunistas dos jornais suecos reagiram com muita hostilidade”, disse ele. “Todos eles declaram: ‘Você não entende a cultura sueca. Esse homem [Pr. Green] deveria ir para a cadeia por dois anos — não seis meses!’”

Em 31 de outubro de 2005, o Fundo Becket apresentou seu depoimento para educar o Tribunal sobre a obrigação da Suécia de respeitar a prática religiosa, a expressão religiosa e a proteção igual das leis — direitos que são garantidos pelos Artigos 18, 19 e 26 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual a Suécia é signatário. Veja aqui o depoimento em inglês:
http://www.becketfund.org/files/e160b.pdf

O Pr. Green foi condenado de crime de ódio e sentenciado por um tribunal distrital a um mês de prisão em 20 de junho de 2004 por pregar um sermão em que ele disse: “O que essas pessoas precisam, que vivem debaixo da escravidão da imoralidade sexual, é de graça abundante. Ela existe. Portanto, encorajaremos os que vivem desse jeito a olhar para a graça de Jesus Cristo. Não podemos condenar essas pessoas. Jesus jamais fez pouco caso de ninguém. Ele lhes oferecia graça”. (Leia aqui o sermão completo do Pr. Green em inglês:
http://www.akegreen.com/sermon_transcript.htm)

A Corte de Apelos da cidade de Gota derrubou a condenação em 11 de fevereiro de 2005, mas o promotor público recorreu, a fim de que o caso fosse tratado pelo Supremo Tribunal. Se for condenado, o Pr. Green poderia enfrentar até dois anos de prisão.

De acordo com a cobertura da BBC, como parte de sua defesa pela televisão o Pr. Green declarou: “Penso que o homossexualismo e esse estilo de vida é anormal e eu quero ser livre para dizer isso. Minha mensagem é que os homens devem viver de acordo com as leis da criação, que significa a família normal constituída de uma mulher, um homem e crianças”. Ele também disse que, se for condenado, preferia prisão a serviço comunitário.

Publicado originalmente por LifeSiteNews.com, com o título “Homosexual Hate Crime Trial of Swedish Pastor Used as an Opportunity for Evangelization”. Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com

(c) Copyright: LifeSiteNews.com is a production of Interim Publishing. Permission to republish is granted (with limitation*) but acknowledgement of source is *REQUIRED* (use LifeSiteNews.com).

Outros artigos sobre a questão homossexual na Suécia:

Aconteceu em 2002: Suécia Adota Medidas para Tornar Crime a Oposição ao Homossexualismo

Aconteceu em 2004: Pastor Sueco é Condenado à Prisão por Pregar sobre o Homossexualismo

Aconteceu em 2004: Pastor Processado por Alegado Discurso Discriminatório Encoraja a Igreja a Evitar a Timidez

Aconteceu em 2005: Pastor Sueco Vence Processo que o Condenava por Crime de Preconceito Homossexual

Supremo Tribunal da Suécia Reverá Decisão que Inocentou Pastor Condenado por “Crime de Preconceito” por Pregar contra o Homossexualismo

Nenhum comentário: