30 de novembro de 2005

Evangélicos de Paris Sentem as Pressões da Perseguição Muçulmana

Evangélicos de Paris Sentem as Pressões da Perseguição Muçulmana


Chad Groening
30 de novembro de 2005

(AgapePress) — Uma igreja evangélica de 300 membros na França poderá ser despejada de seu prédio graças à pressão da crescente população muçulmana da área. O contrato de aluguel do atual prédio da igreja expira hoje (30 de novembro).

A Igreja Temple de Paris localiza-se no subúrbio parisiense de Bagnolet. Nos 11 anos passados, a congregação precisou mudar de endereço seis vezes. Agora sua capacidade de continuar a fazer suas reuniões em seu atual local de 1.000 metros quadrados por 8.000 euros por mês está em perigo. Christine Thabot, a esposa do pastor da igreja, diz que a igreja vem trabalhando durante os meses passados para obter a autorização legal devida para comprar o prédio. Mas então um clérigo muçulmano local exigiu a autorização a fim de transformar o local em mesquita.

De acordo com Thabot, o imã exigiu essencialmente que se a igreja for atendida em seu pedido de autorização, ele também deve ser atendido em seu pedido de permissão para estabelecer uma mesquita. Então, segundo a esposa do pastor, a prefeitura decidiu: “Tudo bem, se isto é um problema tão grande assim, então queremos ambos fora dali agora”.

Thabot diz que a igreja acabou ganhando uma decisão judicial para manter sua autorização — mas então os muçulmanos ameaçaram o dono do prédio. Ela afirma que um grupo muçulmano fez pressão sobre o dono, dizendo-lhe que ele deveria despejar a igreja do prédio depois que o contrato de aluguel expirar em 30 de novembro, “caso contrário, infernizaremos a sua vida”.

“Ele nos enviou uma carta dizendo que em 30 de novembro de 2005 teríamos de sair do prédio, porque essas pessoas o estavam ameaçando”, afirmou ela.


O dono deu à igreja a opção de alugar o prédio para propósito que não sejam igreja, declarou ela. Mas se realizarem cultos, eles arriscam problemas com as autoridades. “Se quisermos continuar no prédio, temos de alugá-lo de novo não como igreja, mas como pessoas particulares — e então ficar ali à força e ter de lutar”, revela ela.

De acordo com Thabot, eles têm a intenção de permanecer. “Muitos, muitos pastores deixaram essa região e então os muçulmanos tomaram o controle desses prédios”, diz ela. “Por isso, agora queremos ficar — e essa é nossa decisão”. Mas eles ficam pensando por quanto tempo conseguirão fazer cultos antes de serem despejados pelas autoridades.

Traduzido e adaptado por Julio Severo: www.juliosevero.com


Chad Groening, colaborador regular de AgapePress, trabalha como jornalista da American Family Radio News.

© 2005 AgapePress all rights reserved


Fonte:
http://headlines.agapepress.org/archive/11/302005b.asp

3 comentários:

Anônimo disse...

não se pode deixar que isso aconteça tem que ter um ato de denuncia que o que está acontecendo na frança em plena europa

Efraim disse...

É em plena Europa sim... mas essa Europa caminha cada vez mais para o ateísmo e o misticismo oriental (incluindo também os muçulmanos que adoram um dos muitos antigos ídolos da Caaba)Hoje eles representam uma força política muito forte...Veja o que aconteceu tempos atrás com aquela charge na Dinamarca. Aqui no Brasil, esses muçulmanos falam em liberdade religiosa na maior hipocresia, mas assim que começam dominar começam uma perseguição cruel principalmente em cima dos cristãos, o verdadeiro Povo de Deus.Mas só no Vale do Armagedom veremos que tem razão...

Maya disse...

Freqüentei por mais de um ano a igreja de David (que na verdade se chama Didier) e Christine Thabot, sua mulher. neste tempo eles se situavam em Paris, não na periferia. São pessoas irresponsáveis com os membros, insultam e distorcem fatos. Inúmeros, inúmeros foram os que saíram da igreja humilhados, decepcionados e se afastaram do cristianismo por conta do testemunho deplorável de christine e David Thabot. O que eles querem? Uma igreja que continue a manter seu alto padrão de vida, com direito a carro importado, filha da Christine Thabot estudando nos EUA (ela tem uma filha já adulta, de uma relação anterior), carro importado e caro etc. tenho contatos em Paris, vários, que podem contar melhor que são esses dois vigaristas, mentirososos e difamadores.