31 de janeiro de 2005

Mundo Louco

Julio Severo

Por muitos anos houve uma campanha intensa para que as mulheres tivessem o direito de realizar ligadura de trompas. A maioria dessas mulheres era perfeitamente saudável, porém elas queriam ter o direito de não ter filhos. O desejo delas foi atendido. A esterilização agora é permitida por lei.

Lutaram tanto para que mulheres saudáveis tivessem facilidade de fazer ligadura de trompas, e agora estranhamente estão lutando para que mulheres com uma doença infecciosa letal e envolvidas em comportamento imoral tenham dificuldade de fazer tal ligadura!

Preocupado evidentemente com crianças inocentes que poderiam ser expostas à AIDS pela própria mãe, um deputado federal criou um projeto de lei que dá para as mulheres aidéticas o direito à ligadura gratuita das trompas. O deputado propõe que essas mulheres tenham o direito à esterilização gratuita, sem coerção, com o devido consentimento.

Por incrível que pareça, grupos que defendem os direitos homossexuais se manifestaram contra o projeto, argumentando que dar às mulheres aidéticas acesso gratuito à esterilização poderia dar a “impressão” de que ter AIDS é uma anormalidade. Na verdade, os ativistas gays têm verdadeira obsessão com a questão da AIDS, sabendo muito bem que essa doença mortal continua se espalhando pela sociedade devido principalmente às escolhas erradas de indivíduos que vivem na imoralidade. Eles temem que uma preocupação social adequada com a AIDS leve a questionamentos, preocupações e políticas legítimas que poderiam restringir os fatores principais de transmissão do vírus da AIDS, colocando em risco o que é mais importante para eles: seu estilo de vida sexual antinatural.

Para proteger os direitos homossexuais desses questionamentos, preocupações e políticas, há o esforço obsessivo para tratar a questão da AIDS da maneira mais política e ideológica possível.

Se a propagação dessa doença mortal não tem como um de seus fatores principais o homossexualismo, então por que os ativistas gays dominam com unhas e dentes o debate e as políticas sobre AIDS? Por que em todas as discussões políticas sobre a AIDS os grupos gays brigam a ferro e fogo para que essa doença seja tratada apenas do jeito que eles querem?

Mais importante do que proteger bebês inocentes da exposição à AIDS é proteger um dos principais estilos de vida por trás da propagação dessa terrível doença. Pelo menos, essa é a visão dos grupos que defendem o homossexualismo em nome dos direitos humanos.

Parece que a questão da AIDS é só a ponta de um vergonhoso e sombrio iceberg de inúmeros problemas morais perfeitamente evitáveis que muitos escolheram e escolhem não evitar.


Copyright 2005 Julio Severo. Permitida a reprodução deste artigo, desde que seja citada na íntegra a fonte, autoria e site do autor. Julio Severo é autor do livro O Movimento Homossexual, publicado pela Editora Betânia. Para conhecer outros de Julio Severo, visite: http://www.juliosevero.com.br/