28 de julho de 2004

Lula lança campanha da auto-estima

Lula lança campanha da auto-estima

Julio Severo

No mês de julho, o Presidente Lula lançou em São Paulo uma campanha nacional de auto-estima, que utilizará anúncios de TV para dar um referencial positivo de ânimo para o povo brasileiro. De acordo com o Estadão Online:

Para o presidente, vários dos problemas da sociedade brasileira estão concentrados em suas residências, com a desagregação familiar e, por isso, seria importante recuperar valores “religiosos, familiares e de amizade”. Em uma frase longa, no discurso de improviso, o presidente Lula misturou o cantor e compositor Cazuza com desagregação familiar e o desvio do comportamento padrão. Esta é a frase: “Ontem, estava assistindo o filme do Cazuza e estava pensando. Não é apenas a questão financeira que leva o jovem a fazer isso ou a fazer aquilo. Acho que as coisas estão muito mais ligadas à família, ao meio ambiente em que a pessoa vive, mas a família é a célula principal. Se um pai, uma mãe, o presidente da República, o governador, a prefeita, os deputados, se os juízes não servirem como referência, por que esses jovens vão se apegar para ter uma referência e dizer: olha, acho que eu posso. E a partir daí, ele chega lá”.[1]

Participou da campanha da auto-estima a prefeita de São Paulo Marta Suplicy, conhecidíssima por seu apoio explícito às causas gays mais radicais.

Lula acertou quando disse que um presidente e prefeita precisam servir de referência. No entanto, que tipo de referência ele e a prefeita de São Paulo estão dando aos jovens do Brasil com seu financiamento das paradas gays? Nenhum político do Brasil tem feito mais para promover as questões homossexuais do que Lula e Marta Suplicy.

Lula também acertou quando disse que seria importante recuperar valores religiosos e familiares. Contudo, as pretensões dos xiitas gays radicais (inclusive casamento homossexual, adoção de crianças, etc.) são agressões contra os valores bíblicos e familiares, e ele e Marta não têm escondido o fato de que entre valores bíblicos e valores homossexuais, eles preferem mostrar seu favoritismo pelo estilo de vida homossexual, que leva geralmente ao final de vida infeliz que teve Cazuza. É desse jeito que ele pretende “recuperar valores religiosos e familiares” e servir de referência?

[1] http://www.estadao.com.br/agestado/noticias/2004/jul/19/54.htm

Fonte: http://www.juliosevero.com.br

Nenhum comentário: