18 de dezembro de 2018

Médium espírita louvado por Oprah Winfrey torna-se caso de polícia enquanto mais de 500 mulheres, até o momento, relatam que foram vítimas de seus abusos sexuais


Médium espírita louvado por Oprah Winfrey torna-se caso de polícia enquanto mais de 500 mulheres, até o momento, relatam que foram vítimas de seus abusos sexuais

Julio Severo
Um médium espírita famoso que se tornou uma sensação internacional em 2012 quando Oprah Winfrey o entrevistou para seu programa de entrevistas Super Soul Sunday está preso, depois que mais de 500 mulheres o denunciaram ao Ministério Público, acusando-o de violência sexual. Mulheres, adolescentes e até crianças — inclusive sua própria filha — estão entre as alegadas vítimas do médium. Ex-pacientes de todo o Brasil, bem como dos EUA, Alemanha, Holanda e Austrália estão entrando em contato com as autoridades.
João de Deus e Oprah Winfrey
A Embaixada dos EUA no Brasil publicou um alerta orientando as pessoas a entrar em contato com as autoridades brasileiras se elas sofreram abusos nas mãos de João Teixeira de Faria, 76.
Acusações contra Faria vieram à tona na semana passada, quando várias mulheres apareceram em um programa da Rede Globo, alegando que ele abusou sexualmente delas. Desde o programa, o número de vítimas vem disparando dia após dia.
Na esteira do escândalo sexual, promotores públicos também estão investigando como as contas bancárias dele acumularam quantias extraordinárias de milhões de reais.
Faria havia trabalhado como médium espírita nas últimas quatro décadas no Brasil sob o apelido de “João de Deus.” Ele ficou famoso por conduzir “cirurgias psíquicas” que, segundo ele, podiam curar doenças, inclusive o câncer.
As mulheres que o acusam incluem a filha adulta de Faria, Dalva Teixeira, que disse que, sob o pretexto de tratamentos místicos, ele abusou dela e a estuprou entre as idades de 10 e 14 anos.
“Meu pai é um monstro,” disse ela.
Faria atraiu seguidores desesperados de todo o mundo, todos em busca de orientação espiritual ou cura para aflições.
Depois de entrevistá-lo em 2012, Oprah Winfrey escreveu que ficou impressionada com a experiência de vê-lo cortar no peito de uma mulher sem anestesia e que ela saiu sentindo “uma enorme sensação de paz.”
Na época, ela disse à mídia brasileira: “Foi tão forte que tive de me sentar porque senti que ia desmaiar.”
Depois do escândalo enorme de abuso sexual, vídeos e artigos relacionados a Faria foram apagados do site Oprah.com.
Muitas das acusadoras de Faria dizem que foram estupradas quando eram crianças. Um tribunal indeferiu uma ação de 2010 envolvendo um alegado abuso sexual de uma adolescente de 16 anos cometido por Faria, depois que os advogados dele argumentaram que não havia provas suficientes para processá-lo.
Como é que todos os casos ficaram impunes por tanto tempo? Os médiuns espíritas no Brasil controlam um poder espiritual das trevas que a maioria das pessoas não entende.
Bruce Douglas, correspondente no Brasil da Bloomberg, disse que quando a polícia brasileira interrogou Faria, coisas estranhas aconteceram. Ele disse: “Um teclado que estava teclando sozinho; um curto-circuito de um cabo elétrico e um misterioso acidente na estrada: uma série de eventos assustadores interrompeu o primeiro interrogatório policial de João de Deus.”
É compreensível, então, o medo das vítimas de quebrar seu silêncio sofrido para falar sobre agressões sexuais cometidas por um homem com tanto poder espiritual das trevas.
A mesma imprensa de esquerda brasileira que não demonstra relutância em denunciar sistematicamente escândalos sexuais de padres católicos ou pastores evangélicos que abusaram de uma ou duas vítimas mostrou uma relutância persistente e extraordinária em revelar os escândalos sexuais de um médium espírita que estuprou mais de 500 vítimas. No Brasil, os médiuns espíritas gozam não apenas grande poder espiritual, mas também grande poder político. Como muitas autoridades políticas e sociais secretamente se encontram com eles, eles são especialmente protegidos.
Tradicionalmente, até mesmo presidentes católicos brasileiros consultam médiuns espíritas e outros ocultistas. O caso de Faria não é diferente. Consultado por presidentes e celebrado por celebridades internacionais, inclusive Oprah Winfrey, Faria se consagrou como o curandeiro preeminente do Brasil, oferecendo cirurgia para os doentes, guiados apenas por espíritos das trevas. O médium visitou o presidente Michel Temer no hospital no ano passado, enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva procurou ajuda dele durante o tratamento para o câncer.
Como é que um médium espírita se tornou uma celebridade no Brasil, a maior nação católica do mundo?
A realidade é que o sincretismo religioso é generalizado entre os católicos brasileiros. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Fórum do Centro de Pesquisas Pew sobre Religião e Vida Pública, mais de 60% da população urbana do Brasil afirma filiação católica. No entanto, há uma capa de religiões afro-brasileiras (como o candomblé, a quimbanda e a umbanda) com crenças e práticas católicas, que muitos brasileiros católicos não consideram incompatíveis com sua fé.
Astrólogos, médiuns espíritas e videntes são imensamente populares no Brasil. Paulo Coelho, um autor esotérico brasileiro que é visto como um “católico místico,” tem vários livros publicados em todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos. Até mesmo Bill Clinton, quando era presidente dos EUA, tinha seus livros como leitura favorita. A fanpage de Coelho no Facebook tem cerca de 30 milhões de seguidores.
Paulo Coelho é, de longe, o maior escritor esotérico do Brasil. Uma pequena busca de Google dá 23 milhões de resultados para o nome dele.
O falecido médium Chico Xavier dá quase 6 milhões.
Há muitos outros nomes brasileiros envolvidos no ocultismo, inclusive o autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho, que tem sido um imigrante auto-exilado nos EUA há mais de 15 anos.
Em 2017, o nome de Carvalho, que foi um famoso astrólogo no Brasil, dava quase 800 mil resultados no Google, mas com a intensa propaganda que o novo presidente Jair Bolsonaro vem fazendo para ele, o número disparou para 2.800.000.
Hoje, a fanpage de Facebook do astrólogo Olavo tem um pouco mais de 500 mil seguidores, praticamente o mesmo número de fãs de Walter Mercado, astrólogo porto-riquenho que ficou famoso na TV brasileira com seu bordão “Ligue Djá!” na década de 1990. A fanpage de Facebook do porto-riquenho tem pouco mais de 500 mil seguidores.
Astrólogos, médiuns espíritas e videntes no Brasil têm um histórico de encontros com políticos e artistas proeminentes, que os consultam em busca de soluções espirituais.
Ninguém sabe o número real de adeptos do espiritismo e do ocultismo no Brasil e seu número pode ser significativamente maior do que o censo oficial, já que muitos deles tradicionalmente disfarçam sua religião no sincretismo “católico romano.” Esse é o caso de João Teixeira de Faria. Ele tem uma religião ocultista incompatível com o Cristianismo, mas sob o sincretismo católico ele é “João de Deus,” quando suas atividades e crenças não têm nada a ver com Deus e tudo a ver com Satanás.
Os católicos brasileiros são muito mais propensos a acreditar em amuletos de boa sorte, cartomantes, médiuns espíritas e astrologia do que os convertidos à religião evangélica.
O evangelicalismo, principalmente os pentecostais e neopentecostais, tem resistido ao sincretismo mais do que outras igrejas cristãs no Brasil diversificado e tem estabelecido uma presença significativa no Brasil. Os evangélicos com dons espirituais sobrenaturais proclamam o Evangelho de Jesus Cristo, curam os doentes e expulsam demônios, em nome de Jesus. Sua crescente presença está ajudando a romper a escravidão espiritual dos médiuns espíritas e outros ocultistas, que são consultados e protegidos por presidentes e autoridades, na sociedade brasileira.
Um grande número de ex-médiuns espíritas, que foram libertos de demônios, dá hoje testemunho de que encontraram paz e salvação somente por meio de Jesus Cristo, conforme proclamado por evangélicos com dons sobrenaturais.
Com informações de Associated Press, Bloomberg, Globo and Wikipedia.
Leitura recomendada:

17 de dezembro de 2018

Facebook rejeita meu reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel?


Facebook rejeita meu reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel?

Julio Severo
Meu perfil no Facebook (https://www.facebook.com/julio.severo) foi bloqueado por 30 dias (a partir de sábado, 15 de dezembro de 2018) devido à minha postagem a seguir:
Jerusalém é a capital eterna de Israel. Os EUA e a Guatemala, sob presidentes evangélicos, já fizeram esse reconhecimento e mudaram suas embaixadas para Jerusalém. A Rússia fez esse reconhecimento, antes de Trump, no início deste ano, mas não mudou sua embaixada até agora.
Contudo, todos esses reconhecimentos só se aplicam à Jerusalém ocidental. EUA, Guatemala e Rússia só reconheceram Jerusalém ocidental, deixando a parte oriental de Jerusalém sem reconhecimento e aberta a negociações para se tornar a futura capital de um espúrio Estado palestino.
Benjamin Netanyahu, que é o primeiro-ministro direitista pró-aborto e pró-sodomia de Israel, não reclamou dos reconhecimentos parciais talvez achando que metade é melhor do que nada.
Se Bolsonaro reconhecer Jerusalém inteira (tanto a parte ocidental quanto a parte oriental) como capital de Israel, o Brasil passará a perna nos EUA, Guatemala e Rússia.
Um reconhecimento total protege Jerusalém oriental de cair nas mãos dos palestinos terroristas.
Publiquei este post no meu perfil do Facebook e em todas as páginas do Facebook administradas por mim em 15 de dezembro de 2018. O Facebook excluiu essa postagem na minha página “Blog Julio Severo,” explicando: “Removemos uma de suas postagens porque ela não segue os Padrões Comunitários do Facebook.”
Como é que pode um post defendendo Jerusalém como a capital de Israel ser deletado como ofensivo quando o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, é um judeu-americano?
Expliquei ao Facebook que o meu post não tinha nada de errado, e o Facebook respondeu “Lamentamos que tenhamos cometido um erro. Revisamos sua postagem novamente e ela realmente segue nossos Padrões Comunitários.”
Meu post foi restabelecido. Isso é boa notícia. Mas, ao mesmo tempo, minha conta pessoal de Facebook foi imediatamente bloqueada por 30 dias. Isso é má notícia!
Enviei esta mensagem para o Facebook:
Você havia removido meu post onde eu opinava que Jerusalém é a capital de Israel. Você removeu minha postagem em uma das minhas páginas e bloqueou minha conta. Pedi uma revisão, e depois de alguns minutos você me respondeu assim: “Lamentamos que tenhamos cometido um erro. Revisamos sua postagem novamente e ela realmente segue nossos Padrões Comunitários.” Obrigado por devolver minha postagem. No entanto, você não desbloqueou minha conta após a revisão. Se, de acordo com sua revisão, meu post realmente segue seus Padrões Comunitários, não existe necessidade de manter minha conta bloqueada. Por favor, desbloqueie minha conta o mais rápido possível.
Contudo, não tenho recebido nenhuma resposta. Meu perfil pessoal de Facebook continua bloqueado.
Por que o Facebook faz tamanha confusão com conservadores como eu? Como o fundador do Facebook é judeu, ele deveria ter a capacidade de entender minhas opiniões conservadoras, que são baseadas nas Escrituras judaicas. Por exemplo, defendo Jerusalém como capital de Israel porque a Escritura judaica faz isso. Eu me oponho à agenda homossexual porque a Escritura judaica condena o comportamento homossexual.
Sim, sigo as Escrituras judaicas. E faço muito mais: sigo um Judeu chamado Jesus Cristo. Há algo ofensivo para o judeu Zuckerberg quando ele me vê seguindo as Escrituras judaicas e o judeu Jesus Cristo?
Apesar da minha fidelidade às Escrituras judaicas, o Facebook vem implacavelmente me importunando por minhas posições conservadoras. Desde junho de 2017, o Facebook me puniu várias vezes com seus infames bloqueios de 30 dias. Você pode encontrar mais informações aqui: Facebook censura comentário sobre lésbicas, mas não censura comentários homossexuais contra Jesus Cristo.
Talvez um dos atos mais vergonhosos do Facebook contra mim foi censurar Levítico 18:22, um famoso versículo da Bíblia, entre judeus e cristãos, que eu publiquei no meu perfil, mas o Facebook não gostou e o removeu. Veja meu artigo: Socorro! O Facebook está censurando versículos da Bíblia
Nesse versículo sagrado, Deus diz: “Não se deite com um homem como com uma mulher. É abominação.”
Essa censura contra um versículo da Bíblia imediatamente se tornou manchete no WND (WorldNetDaily), numa reportagem intitulada “Famoso versículo da Bíblia intolerável demais para o Facebook.”
Devido a esse escândalo, o Facebook entrou em contato com o WND com esta mensagem:
“Logo que fomos notificados do problema, começamos a investigar e restauramos o conteúdo logo que pudemos identificar o erro. O conteúdo foi restaurado já que não violava nossos padrões. Informamos ao Sr. Severo acerca do restabelecimento e fizemos um pedido de desculpas pelo erro.” (Veja a reportagem traduzida do WND “Facebook finalmente responde sobre sua censura a versículo picante da Bíblia”)
No entanto, o post da Bíblia não foi restaurado e eu nunca recebi nenhum pedido de desculpas do Facebook.
A única vez que o Facebook recuou em seu assédio e intimidação contra mim foi quando uma organização jurídica conservadora na Califórnia enviou uma carta para o Facebook. Veja: Facebook reconhece sua própria censura contra Julio Severo. E agora?
Não sei se a atitude simultânea do Facebook de restabelecer minha postagem pró-Jerusalém e bloquear minha conta é uma confusão deliberada para evitar ações judiciais usando, no final, sua desculpa padrão: “Lamentamos que tenhamos cometido um erro.”
O que sei é que tal confusão sempre atinge os conservadores.
Querendo ou não, sou vítima da tendenciosidade esquerdista do Facebook.
Leitura recomendada sobre censura do Facebook:
Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:
Outra leitura recomendada:

16 de dezembro de 2018

Pastor de mega-igreja compra carro de luxo de quase 800 mil reais para esposa. Como não criticar tal desperdício?


Pastor de mega-igreja compra carro de luxo de quase 800 mil reais para esposa. Como não criticar tal desperdício?

Julio Severo
Um pastor da Carolina do Sul, EUA, está tentando se defender depois de comprar para sua esposa um Lamborghini Urus de US$ 200 mil (quase 800 mil reais) como presente de aniversário de casamento.
Pastor John Gray, o líder da Igreja Implacável em Greenville, S.C., foi criticado por dar de presente para sua esposa, Aventer, o veículo caro. Um vídeo que viralizou, e já foi excluído, mostrava o pastor surpreendendo sua esposa com as chaves do veículo de luxo na semana passada, informou o jornal Charlotte Observer.
O pastor foi criticado por usuários de mídia social questionando como é que ele pôde pagar por um carro tão caro. Em um vídeo do Facebook ao vivo quinta-feira, Gray defendeu a compra, enquanto derramava lágrimas às vezes.
“Usei algum dinheiro da igreja para fazer isso?” Gray perguntou. “E a resposta é não. Absolutamente não. E Deus, tire minha vida nesta transmissão ao vivo, se eu fiz isso.”
O pastor explicou que o carro foi comprado com dinheiro que ele economizou de seu segundo contrato de livro e a quarta temporada de seu reality show “O Livro de John Gray,” que é transmitido pelo canal OWN.
Então, enquanto os membros da igreja são incentivados a sacrificar seu dinheiro para missões e outras causas cristãs, os pastores economizam milhões para comprar um carro de luxo? Os pastores não podem também fazer seus próprios sacrifícios por amor ao Reino de Deus?
Os apóstolos de Jesus deram tudo — inclusive suas vidas — para proclamar o Evangelho de Jesus Cristo. Como é que as pessoas hoje podem usar o Novo Testamento escrito pelos Apóstolos para justificar gastos elevados em seus estilos de vida egoístas, não em missões, enquanto bilhões de pessoas estão perecendo sem saber que Jesus morreu por seus pecados?
Já li de empresários cristãos dando uma parte significativa de seus lucros para causas cristãs. Os pastores deveriam fazer menos?
Deus nos dá prosperidade para abençoar as pessoas em suas necessidades, não para mimar as pessoas em seus desejos egoístas e ganância.
Os Apóstolos de Jesus expressaram sacrifícios por meio de sua pregação e vida pessoal. Os pastores hoje são incapazes de seguir o bom exemplo deles?
Há cristãos tendo visões e sonhos de pastores indo para o inferno. Acredito em visões e sonhos sobrenaturais. Mas você precisa deles para discernir que uma vida egoísta contrária à vida altruísta dos Apóstolos está rumando para o inferno?
Com informações da FoxNews.
Leitura recomendada:

15 de dezembro de 2018

Os EUA estão cometendo suicídio com sua dívida nacional que está subindo nas alturas?


Os EUA estão cometendo suicídio com sua dívida nacional que está subindo nas alturas?

Michael Snyder
Se os EUA não mudarem de rumo, esta outrora grande nação será destruída por uma dívida que cresceu descontroladamente.
Os americanos estão enfrentando uma crise de dívida sem precedentes que literalmente ameaça acabar com os EUA, mas os políticos americanos estão quase totalmente silenciosos sobre essa questão em 2018. Aliás, os republicanos e os democratas trabalharam juntos para aprovar outro grande projeto de orçamento no Congresso que na verdade vai aumentar o ritmo em que os EUA estão se endividando.
O que os republicanocratas estão fazendo não é apenas errado. Para ser honesto, a verdade é que eles estão cometendo crimes contra a humanidade, e estão destruindo completamente o futuro brilhante que nossos filhos e netos deveriam ter. Como no mundo os EUA deveriam ser “grandes de novo” quando estão enterrados em tanta dívida que as futuras gerações nunca poderão ter qualquer esperança de se libertar dela?
O ano fiscal do governo federal vai de 1º de outubro a 30 de setembro. Durante o ano fiscal que acabou de terminar, a dívida nacional americana aumentou em US$ 1,271 trilhão.
O total da dívida federal começou o ano fiscal em US$ 20.244.900.016.053,51, de acordo com o Ministério da Fazenda dos EUA, e terminou o ano fiscal em US$ 21.516.058.183.180,23.
Essa é uma das razões pelas quais eu quis ser deputado federal no Congresso dos EUA. Nossos atuais deputados, que deveriam nos representar, estão nos deixando na mão de forma completa e total.
Era uma vez, pelo menos os membros do movimento conservador Tea Party se levantariam e diriam alguma coisa, mas hoje em dia ninguém parece se importar que o futuro dos EUA esteja sendo sistematicamente destruído. Os republicanos controlam as duas casas do Congresso, mas os problemas americanos de dívida continuam a piorar cada vez mais. E a verdade é que os orçamentos que foram aprovados desde que Donald Trump se tornou presidente são simplesmente orçamentos ligeiramente revisados de Obama. Os republicanos permitiram que os democratas fizessem o que queriam de tempos em tempos, e tem sido absolutamente repugnante de assistir.
Em oito dos últimos 11 anos fiscais, a dívida nacional dos EUA aumentou em mais de US$ 1 trilhão, e a dívida nacional dos EUA está agora registrando um recorde histórico de US$ 21,52 trilhões.
O que os EUA estão fazendo é literalmente louco, e se nós americanos quisermos que nossa nação sobreviva, precisamos mudar de rumo imediatamente.
Hoje em dia, há muita discussão sobre os ganhos políticos que os “socialistas democratas” vêm fazendo em toda a América, e os republicanos estão tentando nos assegurar de que o povo americano não quer o socialismo.
Mas sabe de uma coisa?
Os EUA já percorreram a maior parte do caminho em direção ao socialismo. Acho que Ron Paul explicou isso muito bem em seu artigo mais recente.
Nós sabemos que o socialismo não funciona. É um sistema econômico baseado no uso da força, e não na liberdade econômica de escolha. Mas enquanto muitos americanos parecem estar em pânico com os fracassos do socialismo na Venezuela, eles não parecem estar tão preocupados que aqui o presidente Trump acabou de sancionar um projeto de lei de gastos de US$ 1,3 trilhões que oferece o socialismo em uma escala que os venezuelanos não conseguiram nem mesmo imaginar. Aliás, esse gasto é três vezes o produto interno bruto da Venezuela! Senti falta de todos os americanos que protestavam contra esse socialismo de Estado de bem-estar social.
Se você é realmente contra o socialismo, você deveria estar lutando para que o governo federal seja bastante reduzido em tamanho e escopo.
Mas tão poucos americanos parecem acreditar em real governo limitado nos dias de hoje.
Seria um ótimo primeiro passo se realmente tentássemos começar a viver dentro de nossos limites. Mas se $ 1,271 trilhão de gastos do governo fossem retirados da economia nos últimos 12 meses, o resultado seria uma terrível depressão econômica. E os políticos não gostam de crises econômicas, porque, quando as coisas ficam ruins, os eleitores tendem a não votar em seus governantes. Então, eles continuam se endividando e continuam empurrando o problema com a barriga.
Mas se os EUA continuarem no caminho em que estão atualmente, a CBO diz que os Estados Unidos terão uma dívida de US$ 99 trilhões até 2048.
É claro que os EUA nunca chegarão a 99 trilhões de dólares em dívidas. Os EUA deixarão de existir muito antes de chegarem a essa marca.
Se quisermos salvar os EUA, precisamos agir agora, mas muito poucas pessoas parecem se importar com a crescente dívida americana neste momento.
E não é apenas a dívida nacional dos EUA que é o problema. A dívida dos governos estaduais e locais está em níveis recordes em todo o país, a dívida das empresas dobrou desde a última crise financeira e os consumidores dos EUA estão com dívidas de mais de US$ 13 trilhões.
Se você somar a dívida pessoal de cada americano — o que eles devem em suas hipotecas, cartões de crédito, empréstimos estudantis e muito mais — o total é inacreditável. Coletivamente, os EUA estão no vermelho em US$ 13,2 trilhões. Essa é a maior dívida de todos os tempos, segundo o Fed de Nova York.
Contudo, ninguém parece estar em pânico. Talvez seja porque não possamos compreender 13 trilhões de dólares. Imagine comprar todos times de futebol. E todos os times de basquete. E todos os times de hóquei. E todos os times de beisebol. Mas isso só soma US$ 191 bilhões.
Os EUA estão cometendo suicídio em câmera lenta, e é uma coisa absolutamente dolorosa de se ver.
É quase como se nos faltasse a vontade de sobreviver como nação. Tudo o que parece que nos importa é o nosso nível de conforto neste momento, e não queremos que ninguém nos diga que temos de reduzir custos em nada. Acho que Chris Martenson resumiu as coisas muito bem em seu artigo mais recente…
 “Nada cresce para sempre. O câncer tenta, mas sempre se derrota no processo. O fermento faz a festa até que todo o açúcar no barril se vá ou corrompa-se até desaparecer de uma existência ativa.
Os seres humanos podem fazer melhor? O júri ainda está fora disso. Mas até agora, os sinais dizem que, como um grupo, nos falta a capacidade de nos organizar efetivamente contra desafios grandes e complexos. Especialmente se isso exigir que escolhamos viver uma vida com menos. Estamos simplesmente muito viciados em ter mais.
Não podemos continuar a descer essa ladeira.
Porque no final dessa ladeira há não apenas colapso econômico. O que estamos falando é literalmente o fim dos Estados Unidos da América.
Ao longo da história, grandes sociedades foram erguidas pela ganância, indolência, corrupção e preguiça, e os EUA estão seguindo exatamente o mesmo caminho. Se os EUA quiserem sobreviver, uma cirurgia de emergência é necessária, mas neste momento ninguém está cuidando do paciente que está morrendo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista pentecostal Charisma: Is America Committing Suicide With the Skyrocketing National Debt?
Leitura recomendada:

13 de dezembro de 2018

Rússia isolada e o Policial do Mundo


Rússia isolada e o Policial do Mundo

Julio Severo
Em sua campanha presidencial de 2016, o então candidato Donald Trump indicou várias vezes sua intenção de parceria com a Rússia, especialmente contra o terrorismo islâmico. Tal intenção encorajou os russos e enfureceu os ativistas anti-russos.
Por causa da enorme pressão dos neocons, a quem Trump se opunha, a parceria sonhada e esperada nunca aconteceu.
Em 2016, Trump foi um bom visionário. A Rússia havia sido isolada pelo presidente dos EUA, Barack Hussein Obama, supostamente por anexar a Crimeia, da Ucrânia, que foi russa por 800 anos. No entanto, mesmo antes da anexação, Obama, seu governo e a grande mídia dos EUA zombavam da Rússia por sua lei que proíbe a propaganda homossexual para crianças e adolescentes.
O Dr. Scott Lively explicou que as pesadas sanções impostas por Obama à Rússia foram causadas por um Obama pró-sodomia contra uma Rússia antissodomia, e a anexação da Crimeia foi apenas uma desculpa. Obama até convocou a União Européia socialista para impor pesadas sanções. Tais sanções isolaram a Rússia e aleijaram sua economia.
Era altamente esperado que Trump, cumprindo seus próprios desejos em 2016, iria quebrar a repressão socialista de Obama e da UE contra a Rússia. Mas ele tem sido incapaz de prevalecer sobre os neoconservadores. Na verdade, Trump tem feito exatamente o que a vigarista Hillary Clinton prometeu fazer: apoiar o regime ucraniano que, por golpe de Estado, foi imposto por Obama, George Soros, Hillary e John McCain.
Embora, geograficamente, seja a maior nação do mundo, a Rússia tem um exército fraco, em comparação com os EUA e a Europa, e não tem para onde correr. Os EUA têm cerca de 800 bases militares em 148 países — e o mundo tem apenas 196 países.
Portanto, mais da metade das nações do mundo estão sob o controle dos EUA. Esse é um enorme poder supranacional, que George Washington e outros Fundadores da América nunca buscaram ou sonharam, embora os maçons americanos sempre tivessem buscado e sonhado com a América como um império estabelecendo a Nova Ordem Mundial. Seus sonhos foram cumpridos.
Isolada, a Rússia está “fazendo contato com outros países como parte do esforço do governo russo de mostrar que não está isolado,” disse o ex-embaixador dos EUA na Ucrânia, Steven Pifer.
Devido aos esforços russos para reagir à interferência de Obama, Soros e os neocons na Ucrânia em 2014, os EUA e a UE isolaram a Rússia por meio de sanções.
Pifer acredita que a Rússia está desenvolvendo potenciais parcerias econômicas e militares com outras nações isoladas como resposta ao seu atual isolamento internacional.
Uma dessas possíveis parcerias econômicas e militares é com a Venezuela, cujo petróleo tem sido cobiçado por americanos, russos e outros. Aliás, os EUA têm sido um dos principais compradores do petróleo venezuelano.
Embora eu possa, como evangélico conservador, apoiar a lei russa contra a doutrinação homossexual de crianças e adolescentes, não posso de forma alguma apoiar o envolvimento russo na Venezuela, porque o povo venezuelano está sofrendo muito com o socialismo, que foi escolhido por uma nação 96 por cento católica e onde a Igreja Católica é tradicionalmente apoiadora da Teologia da Libertação.
Os russos poderiam usar como desculpa para tal envolvimento o fato de estarem isolados, mas não há desculpa para isso, de uma perspectiva cristã.
Entretanto, se a Rússia, que está isolada, não tem desculpa, o mesmo acontece com os EUA, que não estão isolados, mas mantêm a Arábia Saudita em uma parceria privilegiada enquanto os sauditas bombardeiam escolas e hospitais no Iêmen, já tendo matado mais de 80.000 crianças.
Há uma tragédia humanitária na Venezuela, por causa do socialismo. E há uma tragédia humanitária maior no Iêmen, por causa dos sauditas e das armas dos EUA. Aliás, a guerra saudita no Iêmen é considerada a maior tragédia humanitária do mundo.
Ainda que alguns ativistas de direita conjecturem que uma parceria entre a Venezuela e a Rússia é uma conspiração comunista, quando até mesmo Trump nunca chamou a Rússia moderna de “comunista,” isso não é sobre capitalismo e comunismo. Não é sobre ideologia. É apenas sobre ganância por petróleo, exatamente como a parceria entre os EUA e a Arábia Saudita é apenas sobre ganância por petróleo. O petróleo é a alma da insanidade política em nossa época. Está também por trás de muitas guerras sangrentas.
Em 2016, Trump acusou a vigarista Hillary e Obama, auxiliados pelos sauditas, de criar o ISIS, que estuprou e matou milhares de cristãos. Aliás, o ISIS foi a principal máquina de genocídio contra os cristãos nos últimos anos. Trump tem sido incapaz de castigar a Arábia Saudita, Obama e Hillary por essa criação criminosa.
O papel dos EUA como Policial do Mundo tem sido desastroso para os cristãos no mundo. No rastro de invasões e interferências militares dos EUA, há derramamento de sangue cristão, e o Iraque, a Síria, a Líbia e o Afeganistão são tristes exemplos.
Obama e outros presidentes de esquerda dos EUA usaram o governo dos EUA e seu poder como um mau Policial do Mundo. Outros Obamas e esquerdistas piores chegarão à presidência dos EUA. Assim, o mau Policial do Mundo estará sempre visitando o mundo, isolando nações e criando máquinas de matar como o ISIS.
Um relacionamento com a Arábia Saudita é muito pior do que um relacionamento com a Venezuela. Mesmo assim, os EUA e a Rússia estão errados em suas relações, com isolamento ou não.
Se a Rússia não estivesse isolada, teria relacionamentos melhores? Então, por que os EUA, que não estão isolados, não têm relacionamentos melhores?
A Rússia deveria deixar toda a interferência na Venezuela por petróleo, e os EUA deveriam deixar toda interferência na Crimeia e na Ucrânia, que é o berço da civilização e do Cristianismo russo.
Não é saudável manter a Rússia isolada apenas porque Obama, Soros e os neocons decidiram dessa forma anos atrás. Trump deveria quebrar essa repressão injusta, exatamente como ele queria fazer em 2016.
Não é também saudável ser Policial do Mundo. Os EUA têm um sistema governamental praticamente rotativo. O socialista Obama governou os EUA e o mundo por 8 anos, impondo, por lei, diplomacia e propaganda, a homossexualidade. O Departamento de Estado de Trump está mantendo essa má obra de Obama, assim como Trump está mantendo e aumentando sobre a Rússia as mesmas sanções que Obama impôs. Isso não é saudável e vai contra o que George Washington queria para os EUA.
É muito difícil apoiar as medidas conservadoras de Trump enquanto ele apoia a ditadura islâmica da Arábia Saudita. É também muito difícil apoiar as medidas conservadoras de Putin enquanto ele apoia a Venezuela de Maduro. É uma decisão em que você deve rejeitar tudo ou apoiá-los parcialmente. Eu escolho a última opção. Escolho apoiar apenas as medidas conservadoras deles, não suas insanidades políticas.
Nicolas Maduro, o ditador comunista na Venezuela, deveria ser derrubado. A Arábia Saudita, principal patrocinadora do terrorismo islâmico no mundo, deveria ter uma mudança completa de regime, mas como isso pode ser feito se a Arábia Saudita é protegida por bases militares americanas? Como isso pode ser feito se a Arábia Saudita é o principal comprador de armas dos EUA?
Ao apoiar a Arábia Saudita, Trump e seu governo são cúmplices dos crimes sauditas. Ao apoiar Nicolas Maduro, Putin e seu governo são cúmplices de seus crimes.
Não apoio isolamento para os EUA e a Rússia, apesar de apoiar isolamento para a Arábia Saudita e a Coreia do Norte. O isolamento de Obama contra a Rússia está provocando hoje muitas consequências.
Minha perspectiva é espiritual e evangélica. Anos atrás conheci o profeta americano Chuck Pierce no Brasil. Ele disse que se o Brasil se aproximasse mais de Israel, Deus iria dar a unção ao Brasil. Então ele teve uma visão sobre o que aconteceria se o Brasil começasse a se desenvolver e desse os primeiros passos para se tornar uma potência mundial: Ele viu o governo dos EUA cercando e sufocando o Brasil economica e militarmente. Ele viu os EUA cheios de inveja. Ele viu os EUA totalmente determinados a impedir a ascensão econômica do Brasil.
O que o Brasil faria se fosse isolado pelos EUA, que hoje tem cerca de 800 bases militares em 148 países? Sob as sanções dos EUA, o Brasil buscaria uma parceria com o Zimbábue e o Burundi?
Enquanto os EUA não isolados usam a Ucrânia para provocar a Rússia e a Rússia isolada usa a Venezuela para provocar os EUA, pessoas inocentes estão sofrendo.
A China é hoje a maior nação comunista do mundo e os EUA não têm trabalhado para isolar a China. Alguns presidentes de direita dos EUA, como George H.W. Bush, até ignoram os enormes crimes comunistas chineses. Desde Nixon (direitista), os EUA vêm dando à China comunista um status econômico privilegiado. Por que isolar a Rússia que deixou o comunismo há quase 30 anos? Por que esse antagonismo feroz?
Os EUA, como um império maçônico, estão em guerra contra a América que foi fundada por uma população 98% evangélica. Estão em guerra também, desde Obama, contra a Rússia e seu conservadorismo, isolando-a e aleijando sua economia.
Como Trump pode usar os EUA como um bom Policial do Mundo se ele está sob a opressão dos neocons? Como Trump pode ter sua parceria sonhada com a Rússia se ele está sob a opressão de neocons, que são anti-russos? Como a Rússia pode se mover como uma nação sob uma opressão neoconservadora imposta originalmente por Obama, a vigarista Hillary e os neocons?
Só Deus pode ajudar uma nação isolada. E somente Deus pode lidar com os EUA por isolar nações para atender aos interesses de Obama, Soros e os neocons.
Que Deus livre Trump da opressão dos neocons e o use para afastar os EUA da ambição maçônica de tornar da América o Policial do Mundo, um império e motor da Nova Ordem Mundial. Que Deus use Trump para tornar a América grande novamente como uma nação cristã e abençoada que lê a Bíblia, exatamente como era a América em sua fundação.
Com informações da revista NewsWeek.
Versão em inglês deste artigo: Isolated Russia and the World’s Policeman
Leitura recomendada: