23 de junho de 2019

Noventa e dois por cento dos ativistas esquerdistas vivem com seus pais e um em cada três está desempregado, de acordo com estudo de manifestantes de Berlim, Alemanha


Noventa e dois por cento dos ativistas esquerdistas vivem com seus pais e um em cada três está desempregado, de acordo com estudo de manifestantes de Berlim, Alemanha

Dave Burke para o MAILONLINE
A vasta maioria dos manifestantes esquerdistas presos por suspeita de crimes politicamente motivados em Berlim, Alemanha, são jovens que moram com os pais, de acordo com uma reportagem recente.
As estatísticas, publicadas no jornal Bild, revelaram que 873 suspeitos foram investigados pelas autoridades entre 2003 e 2013.
Desses, 84% eram homens e 72% tinham entre 18 e 29 anos.
Mais da metade das detenções foram feitas nos distritos de Friedrichshain, Kreuzberg e Mitte em Berlim, principalmente durante as manifestações.
Um terço deles estava desempregado e 92% ainda moram com os pais.
As estatísticas publicadas no jornal de Berlim dizem que dos crimes cometidos contra pessoas, em quatro de cada cinco casos, as vítimas eram policiais.
Em 15% desses casos, as vítimas eram ativistas de direita.
As novas estatísticas foram divulgadas pelo Departamento Federal de Proteção da Constituição (BfV).
Entre 2009 e 2013, afirma a reportagem do Bild, assassinos esquerdistas tentaram cometer 11 assassinatos.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do jornal britânico Daily Mail: 92% of left-wing activists live with their parents and one in three is unemployed, study of Berlin protesters finds
Leitura recomendada:

22 de junho de 2019

Fundador calvinista da Sociedade Bíblica da Terra Plana é preso por exploração sexual de um menor depois que investigação policial descobriu que ele tinha um estoque de pornografia infantil em seu computador


Fundador calvinista da Sociedade Bíblica da Terra Plana é preso por exploração sexual de um menor depois que investigação policial descobriu que ele tinha um estoque de pornografia infantil em seu computador

Julio Severo
Um apologeta calvinista que fundou a “Sociedade da Terra Plana Bíblica” foi indiciado em 56 acusações de exploração sexual de um menor e agora enfrenta prisão perpétua.
Philip Stallings, de 40 anos, foi preso em 19 de junho de 2019, com base em 28 acusações de exploração sexual de um menor e 28 acusações de exploração sexual em terceiro grau de um menor.
A prisão ele ocorreu depois de uma investigação conjunta da Delegacia do Município de Durham e do Ministério de Segurança Nacional dos EUA, e se deve à pornografia encontrada em seu computador, supostamente de menores envolvidos em atividades sexuais.
Em seu próprio site, Stallings se identifica como um “apologeta cristão reformado, teonomista.”
Em seu artigo “Apóstolos e Profetas São para hoje?” Stallings rejeita totalmente a posição de apóstolo e de profeta para hoje, acrescentando que as revelações cessaram quando a Bíblia se completou dois mil anos atrás. Os calvinistas usam o título de “apologeta” frequentemente para significar que eles defendem sua interpretação calvinista da Bíblia, especialmente contra neopentecostais e pentecostais. Portanto, não é de admirar que Stallings se identifique como “apologeta” e defenda os teólogos cessacionistas Sproul e John MacArthur, autor de “Fogo Estranho,” contra neopentecostais e pentecostais.
Stallings também defende a teoria da Terra plana. Em seu artigo “A Terra Plana Bíblica: A Agenda dos Illuminati,” ele disse:
Muitas pessoas me perguntam sobre o motivo e o objetivo por trás de acobertar a Terra plana. Além disso, muitos perguntam por que a elite iria querer que pensássemos que a Terra é redonda e giratória e que pousamos na lua?
Sabemos que satanás é o “pai da mentira” e busca enganar através de tramas e agendas falsificadas (João 8:44).
A posição heliocêntrica está certamente ligada à adoração do Sol, que remonta a Nimrod e à torre de Babel.
Então Stallings diz que as mesmas elites que “acobertam a Terra plana” defendem “esterilização, casamento sodomita, vírus Zika, geoengenharia, rastros químicos, aborto (infanticídio), guerras no Oriente Médio, organismos geneticamente modificados, multiculturalismo e vacinas.”
A Grande Mídia, que é intolerante aos evangélicos conservadores, poderia facilmente amontoar todas as posições conservadoras, pró-vida, pró-família e evangélicas junto com a teoria plana da Terra e rotular injustamente todos os evangélicos conservadores como fanáticos da Terra Plana, especialmente porque o alegado pedófilo também tem vídeos contra “feministas, travestis, sodomitas e mulheres nas forças armadas.”
Stallings tem um número substancial de 6 mil seguidores em um canal do YouTube com vídeos sobre a teoria da Terra Plana.
Parece que a sua recusa em deixar Deus o dirigir sobrenaturalmente o deixou aberto a direções demoníacas. Na verdade, ele não deixou Deus falar com ele através da Bíblia e através do Espírito Santo.
A prisão dele é parte de uma investigação mais ampla do Ministério de Segurança Nacional dos EUA sobre pornografia infantil na internet. Ele teria duplicado e adquirido imagens de menores realizando atos sexuais.
Um juiz estabeleceu sua fiança em 500.000 dólares (quase 2 milhões de reais em 2019).
Se ele pagar a fiança, ele está proibido de entrar em contato com crianças e usar computadores ou outros dispositivos que permitam a coleta de fotos ou vídeos.
O suposto pedófilo tem várias condenações anteriores entre 1996 e 2008, inclusive agressão a mulheres, prender ilegalmente alguém em sua casa, fraude com cartão de crédito, roubo, agressão a um policial e dirigir embriagado, de acordo com registros do Departamento de Segurança Pública do estado.
Com informações do DailyMail e site pessoal do Philip Stallings.
Leitura recomendada:

21 de junho de 2019

O berço do Cristianismo nos EUA é agora uma região longe do Cristianismo


O berço do Cristianismo nos EUA é agora uma região longe do Cristianismo

Julio Severo
A região nordeste dos Estados Unidos abrigava no passado os puritanos (calvinistas, ou como eles gostam de ser chamados, “reformados”) e outros cristãos devotos que vieram para o Novo Mundo para praticar o Cristianismo em liberdade.
Hoje, é a região dos EUA que mais está se distanciando do Cristianismo, de acordo com uma nova pesquisa do Grupo Barna.
O estudo mais recente do Barna revela que as cidades do nordeste estão entre as oito primeiras das dez cidades que mais estão se distanciando do Cristianismo dos Estados Unidos.
As 10 principais cidades americanas pós-cristãs incluem:
* Springfield-Holyoke, MA
* Portland-Auburn, ME 
* Providence, RI
* New Bedford, MA 
* Burlington, VT 
* Boston, MA
* Manchester, NH 
* Albany-Schenectady-Troy, NY 
* Hartford-New Haven, CT 
* Rochester, NY 
* Santa Barbara-Santa Maria-San Luis Obispo, CA 
* Seattle-Tacoma, WA
No estudo, Barna define “pós-cristão” de acordo com 16 características, inclusive se os indivíduos se identificam como ateus, nunca se comprometeram com Jesus, não frequentaram a igreja no último ano ou não leram a Bíblia na última semana.
A pesquisa foi realizada ao longo de um período de 10 anos. Os dados foram coletados de 21.378 pessoas.
Barna escreveu em 2017 que “o papel da Cristianismo na vida pública vem diminuindo lentamente, e a igreja não funciona mais com a autoridade cultural que tinha no passado.”
Um triste exemplo é a igreja protestante que George Washington, o primeiro presidente dos Estados Unidos, frequentava e ajudou a fundar. Embora Washington fosse conservador, a igreja dele é hoje pastoreada por uma mulher que prega o feminismo e a teologia da libertação.
Enquanto nos EUA os descendentes de calvinistas e outros protestantes tradicionais abandonam suas igrejas, cujos templos hoje estão vazios e muitas vezes são vendidos para muçulmanos, o único tipo de Cristianismo que avança nessas regiões agora longe do Cristianismo é a igreja carismática, a igreja pentecostal e a igreja neopentecostal. Se não fosse por essas igrejas mais avivadas, as regiões que outrora eram calvinistas, reformadas e protestantes tradicionais seriam hoje praticamente não-cristãs.
A diferença é que as igrejas calvinistas, reformadas, luteranas e metodistas que estão diminuindo são, de modo geral, muito mais liberais e esquerdistas, enquanto as igrejas carismáticas, as igrejas pentecostais e as igrejas neopentecostais são de modo geral muito mais conservadoras.
O Presidente Donald Trump é um exemplo do enfraquecimento do protestantismo tradicional nos EUA. Ele nasceu em lar presbiteriano tradicional, casou-me mais de uma vez e hoje está casado com uma católica.
Embora ele tenha um interesse óbvio pelo neopentecostalismo, não passa de interesse, sem nenhum compromisso. Como é tradição entre muitos presbiterianos, ele só vai à igreja em ocasiões muito especiais. Nem da data da comemoração dos 500 anos da Reforma protestante, em 17 de outubro de 2017, ele se lembrou. Ele preferiu celebrar o Dia das Bruxas.
Assim andam os presbiterianos e outros protestantes tradicionais dos EUA.
Com informações da Rede de Televisão Cristã.
Leitura recomendada:

20 de junho de 2019

Televangelista da teologia da prosperidade, que é conselheira espiritual de Trump, inaugura oficialmente a campanha de reeleição de Trump com oração espiritualmente destruindo a rede demoníaca contra o presidente e dizendo que sua vitória em 2020 está assegurada em nome de Jesus Cristo


Televangelista da teologia da prosperidade, que é conselheira espiritual de Trump, inaugura oficialmente a campanha de reeleição de Trump com oração espiritualmente destruindo a rede demoníaca contra o presidente e dizendo que sua vitória em 2020 está assegurada em nome de Jesus Cristo

Julio Severo
Paula White, uma das mais proeminentes televangelistas da teologia da prosperidade nos Estados Unidos e conselheira espiritual evangélica do presidente Donald Trump, fez uma oração poderosa no início da campanha de reeleição do presidente em 2020, em 18 de junho de 2019.
Paula White
Enquanto a televangelista pedia aos milhares de apoiadores de Trump reunidos em Orlando, Flórida, que se unissem às pessoas a seu lado, ela atacou as forças espirituais que se opõem a Trump como uma “rede demoníaca.”
“Oro para que o Espírito do Senhor esteja sobre nosso presidente, e permita que Seu favor faça com que seu chifre, seu poder, seja exaltado de acordo com o capítulo 89 do Salmo, versículo 17,” White orou diante do comício lotado. “Pai, tu levantaste o Presidente Trump para um tempo como este.”
“Agora, eu preciso que você realmente acompanhe o que vou orar,” disse ela para a multidão. “Que todo véu maligno de engano do inimigo seja removido dos olhos das pessoas.”
Ela também disse para a multidão de Trump em Orlando: “Vou lidar com alguns principados agora,” e então ela passou a orar a partir de Efésios 6:12 (KJA), que diz: “Porquanto, nossa luta não é contra seres humanos, e sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste sistema mundial em trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.”
Ela continuou sua oração forte, dizendo: “Que toda rede demoníaca que vem se alinhando contra o propósito, contra o chamado do Presidente Trump, seja quebrada, seja demolida em nome de Jesus. Que o conselho dos ímpios seja arruinado agora mesmo.”
A televangelista neopentecostal usou essa linguagem no passado em referência a Trump. Enquanto dava palestra na Casa Branca para o Dia Nacional de Oração no mês passado, ela exigiu que “toda rede demoníaca fosse debandada agora.”
“Declaro que o presidente Trump vai vencer todas as estratégias do inferno e todas as estratégias do inimigo — todas as estratégias — e ele cumprirá seu chamado e seu destino,” White orou.
Durante sua fervorosa oração de quase cinco minutos, White profetizou que nenhuma arma seria capaz de se formar contra Trump. Ela também profetizou que foi a vontade de Jesus que Trump fosse presidente e que Sua vontade era que ele voltasse a vencer em 2020.
“Mobilizo a mão de Deus para operar em favor dele,” profetizou White. “Em nome de Jesus, asseguro seu chamado, asseguro seu propósito, asseguro sua família e asseguramos a vitória no nome que está acima de todos os nomes — o nome de Jesus Cristo.”
Paula White orando na posse de Trump
A televangelista da teologia da prosperidade não ocupa nenhum cargo oficial no governo Trump, mas lidera um conselho consultivo evangélico da Casa Branca e fez a oração na posse de Trump.
Trump tem muito apoio dos evangélicos conservadores americanos, mas a teologia de White é polêmica, mesmo entre os evangélicos, que também discordam dela porque acreditam que a Bíblia não autoriza mulheres a liderar igrejas.
Apesar de Trump ter nascido presbiteriano e raramente frequentar uma igreja presbiteriana, ele não entende as questões espirituais. Mesmo assim, ele tem sido generosamente aberto aos evangélicos. E ele sente nas orações de White um poder espiritual que ele não estava acostumado a ver na igreja presbiteriana.
Trump com Paula White
Antes de começar a oração, White disse que conhece Trump e sua família há 18 anos. A amizade deles começou depois que Trump telefonou para ela para elogiar suas pregações na TV.
Paula White menciona em um comentário para a Rede de Televisão Cristã dos EUA, “o compromisso extraordinário do Presidente com a liberdade religiosa tem sido óbvio desde o início de sua presidência — apenas duas semanas depois de sua posse, Donald Trump participou do Café da Manhã Nacional de Oração onde ele enfatizou a importância de preservar e valorizar valores religiosos.”
Em maio, White deixou o cargo de pastora na megaigreja City of Destiny (Cidade de Destino), em Apopka, Flórida. Ela disse que quer focar em abrir uma universidade cristã e 3.000 igrejas nos Estados Unidos.
Por alguma razão, Trump escolheu White para fazer a oração de abertura de sua campanha de reeleição. Foi uma oportunidade muito importante, que White não desperdiçou. Sua oração foi extraordinariamente impactante.
Parece que os apoiadores evangélicos de Trump — inclusive teleevangelistas neopentecostais, presbiterianos, batistas e outros — têm medo de perder a chance de serem ouvidos por Trump se mencionarem as posturas esquerdistas dele sobre as questões gays.
A oração de Paula White foi interessante e poderosa. E sua oração, e as orações de outros líderes evangélicos dos EUA, poderiam ser muito mais interessantes quebrando, em nome de Jesus, toda rede demoníaca que influencia Trump para apoiar a mesma causa homossexual demoníaca que Obama apoiou por 8 anos.
White poderia ter acrescentado à sua poderosa oração: “Que todo véu maligno de engano do inimigo seja removido dos olhos de Trump em relação à celebração do Mês do Orgulho LGBT e uma campanha global para legalizar a sodomia em todo o mundo.”
Ainda que você discorde totalmente de White e de como ela vive a Bíblia, não há como negar que sua oração foi poderosa.
Deus já deu uma grande vitória a Trump por causa de seus conselheiros espirituais evangélicos: Ele livrou Trump de Steve Bannon, um conselheiro ocultista que estava tentando usar Trump para promover seu movimento fascista esotérico.
Com as poderosas orações de White e de outros, Deus pode fazer muito mais para libertá-lo da rede demoníaca de forças homossexualistas.
Com informações do DailyMail, CBN News e Charisma.
Leitura recomendada: