12 de julho de 2020

Novo ministro da Educação é pastor presbiteriano e já está atraindo a fúria da esquerda ao pregar que crianças precisam da vara da disciplina


Novo ministro da Educação é pastor presbiteriano e já está atraindo a fúria da esquerda ao pregar que crianças precisam da vara da disciplina

Julio Severo
O presidente Jair Bolsonaro escolheu, em 10 de julho de 2020, Milton Ribeiro para ser o novo ministro da Educação.
Presidente Jair Bolsonaro e Rev. Milton Ribeiro, novo ministro da Educação
Pastor da Igreja Presbiteriana em Santos, Ribeiro é advogado, militar da reserva e tem formação em teologia e foi vice-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Entre as qualidades que fizeram com que fosse escolhido, está o “apreço à família e aos valores.”
Um desses valores, que é detestado pelo feminismo, é o papel do marido como cabeça da família. Ribeiro disse que a figura paterna é que deve dar o direcionamento da casa, através da imposição. “Quando o pai é ausente dentro da casa, o inimigo ataca,” disse Ribeiro. “O pai, segundo a Bíblia, é que aponta o caminho que a família vai.”
Talvez a maior fúria da esquerda contra ele veio porque em 2016, dentro de uma igreja presbiteriana, ele fez uma pregação intitulada “A Vara da Disciplina.” Nessa pregação, ele fez declarações que horrorizaram esquerdistas. Entre as declarações, estão:
“Essa ideia que muitos têm de que a criança é inocente é relativa.”
“Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-la.”
“Não estou aqui dando uma aula de espancamento infantil, mas a vara da disciplina não pode ser afastada da nossa casa.”
“Talvez uma porcentagem de crianças muito pequena, de criança precoce, superdotada, é que vai entender o seu argumento. Deve haver rigor, desculpe, severidade. E vou dar um passo a mais, talvez algumas mães até fiquem com raiva de mim: devem sentir dor.”
Contudo, essa postura bíblica está em descordo com a atual lei brasileira, que proibe todo tipo de disciplina física em filhos, inclusive mediante tapa, chinelada ou vara. Essa lei foi aprovada por socialistas durante o governo da socialista Dilma Rousseff em 2014.
Esquerdistas costumam tratar a disciplina física como “violência,” mas ficam chocados quando a realidade mostra que o aborto provocado, que eles defendem apaixonadamente, é violência real, com muita dor, sofrimento e derramamento de sangue. Abortar uma criança inocente é um milhão de vezes pior do que levar varadas de correção e qualquer indivíduo que defende o aborto deveria ser preso por abuso infantil. Indivíduos que defendem doutrinação homossexual para crianças também deveriam ser presos por abuso infantil. Mas são exatamente esses indivíduos desequilibrados e violentos que pregam que a vara da disciplina usada pelos pais é “violência.”
Só pela coragem do Pr. Milton Ribeiro defender a vara da disciplina sob risco de ser linchado por socialistas que adoram trucidar bebês por meio do aborto, ele merece o apoio dos cristãos.
Só tenho algumas dúvidas. Como ele foi vice-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, ele nunca pôde deter ou pelo menos protestar contra professores marxistas, homossexualistas e abortistas ali? A Universidade Presbiteriana Mackenzie chegou a contratar a professora Márcia Tiburi, uma das maiores ativistas abortistas do Brasil.
A Universidade Presbiteriana Mackenzie é tão liberal na contratação de professores esquerdistas que um pastor presbiteriano, que se identifica como ativista gay, defendeu essa universidade e me atacou.
Qual é a postura do Pr. Ribeiro com relação ao notório liberalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie? Não sei.
Além disso, como calvinista, Ribeiro não representa o perfil dos evangélicos brasileiros, que são predominantemente pentecostais e neopentecostais. Mesmo sendo uma minoria entre os protestantes brasileiros, os calvinistas não foram eleitores proeminentes de Bolsonaro. No entanto, a maioria dos neopentecostais e pentecostais votaram nele por falta de opção e porque odeiam o ativismo homossexualista e o aborto no governo brasileiro.
Talvez o Presidente Jair Bolsonaro tenha nomeado Ribeiro como ministro da Educação por respeito aos evangélicos, que foram seus principais eleitores em 2018. Mas parece que esse respeito não é muito grande. Ao que tudo indica, ele não quer deixar os evangélicos influenciarem muito o Ministério da Educação.
Logo antes de nomear Ribeiro, Bolsonaro nomeou vários adeptos de Olavo de Carvalho para o Conselho Nacional da Educação, a fim de garantir que a influência de Carvalho prossiga na educação brasileira.
O Conselho Nacional de Educação é um órgão colegiado integrante da estrutura do Ministério da Educação que atua na formulação e avaliação da política nacional de educação. Dessa forma, o MEC estará sob direção de um presbiteriano, mas a formulação da política nacional de educação estará na prática sob a direção de olavistas.
A nomeação de olavistas no Conselho Nacional da Educação pode indicar que Bolsonaro se encontra hipnotizado pelo fascismo esotérico de Carvalho, pois todas as suas nomeações de olavistas foram um fracasso. Não há justificativa para continuar tais fracassos.
Não é de hoje que os evangélicos, que foram considerados vitais para a eleição de Bolsonaro, ansiavam um cargo de ministro da Educação. Logo no início de 2019, o televangelista Silas Malafaia havia recomendado o evangélico Guilherme Schelb para o Ministério da Educação, mas sua recomendação virou pó diante da influência do guru esotérico Olavo de Carvalho, que indicou seu adepto Ricardo Vélez.
Uma boa qualidade de Vélez: ele não gostava do socialismo. Duas péssimas qualidades dele: Ele não gostava de Trump, mas gostava de Hillary Clinton.
Quando Vélez virou desastre no Ministério da Educação, o próprio Bolsonaro confessou que o havia escolhido cegamente. Ele disse:
“Errei no começo quando indiquei Ricardo Vélez como ministro. Foi uma indicação do Olavo de Carvalho? Foi, não vou negar… Depois liguei para ele: ‘Olavo, você conhecia o Vélez de onde?’”
Mesmo com o fracasso de Vélez, Bolsonaro deu nova oportunidade a Carvalho, que indicou Abraham Weintraub em maio de 2019. Sem demora, Weintraub anunciou que uma de suas prioridades seria aumentar o número de creches. Minha reação veio no artigo “Ministro da Educação Abraham Weintraub e seu socialismo de direita ou estatismo de direita,” em que eu disse:
“O conceito de creche — de afastar a criança da mãe o mais cedo possível — é um conceito adotado, defendido e amplamente praticado no socialismo.”
Supõe-se que Bolsonaro não tenha dado a Carvalho oportunidade de fazer uma terceira indicação (desastrosa) porque logo no ínicio de junho de 2020, Carvalho chamou o governo Bolsonaro de “merd*,” dizendo que pode derrubá-lo.
Em junho, Bolsonaro escolheu o batista tradicional negro Carlos Decotelli. Foi uma escolha desastrosa, pois Decotelli se mostrou desonesto. Bolsonaro parece incapaz de fazer escolhas que não sejam desastrosas no Ministério da Educação, e de longe os maiores desastres vieram os adeptos de Carvalho.
Em janeiro de 2020, Bolsonaro demitiu Roberto Alvim, a principal autoridade da cultura brasileira, depois que Alvim citou o nazista Goebbels enquanto falava sobre arte nacionalista em um vídeo que tinha o compositor favorito de Hitler tocando ao fundo. Alvim é um adepto fiel de Carvalho.
Para a Fundação Nacional de Arte, Bolsonaro nomeou Dante Mantovani, um fiel adepto de Carvalho. Depois que Mantovani falou sobre o que ele nunca deveria falar, ele foi demitido. Depois de intensa pressão de Carvalho, ele foi reempossado e novamente demitido.
Entre declarações estúpidas de Mantovani estão:
“Terrabolistas são ótimos em fazer piadinhas acerca da auto-evidente planicidade da superfície terrestre, mas são absolutamente incapazes de apresentar um único argumento ou prova da delirante esfericidade da Terra. O mais próximo que chegam de um argumento em favor da bola giratória são as imagens de computação gráfica feitas pela agência de desinformação e propaganda da Guerra Fria, a NASA, cujos próprios autores já vieram a público dizer que é tudo fake.”
Olavo de Carvalho, o guru de Mantovani, Alvim e outras autoridades do governo brasileiro, finalmente reconheceu que fez uma recomendação errada no caso do ministro da Educação. Ele confessou que recomendou Vélez a Bolsonaro, apesar de não ter contato com Vélez há mais de 20 anos! Essa foi a desculpa dele.
No entanto, no caso de Ernesto Araújo, a quem ele recomendou a Bolsonaro como ministro de Relações Exteriores, ele disse que acertou na mosca. Araújo elogiou abertamente Julius Evola, o guru do ditador fascista italiano Benito Mussolini. Evola é autor de vários livros de direita, antimarxistas e ocultistas. Sim, ele defendia ao mesmo tempo a ideologia anti-marxista de direita e a bruxaria.
Tenho certeza de que ele acertou na mosca, porque Araújo tem as mesmas preferências ocultistas que Carvalho tem.
Se o ocultismo deu azar para Evola e Mussolini, como pode representar boa sorte para o Brasil?
O Brasil não precisa de olavistas no Conselho Nacional da Educação para continuarem trazendo desastres.
O Brasil não precisa de pessoas com histórico ocultista para prejudicar sua sociedade.
O Brasil precisa de integridade e verdadeiro Cristianismo — sem sincretismo.
O Brasil precisa de um encontro com Cristo.
Espero que o pastor presbiteriano Milton Ribeiro seja melhor do que Decotelli, do que os olavistas e do que o notório liberalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. E espero também que ele continue pregando sobre a importância da vara da disciplina, que os pais podem usar para corrigir seus filhos e que Deus pode soberanamente usar para disciplinar governanates.
Com informações de UOL, BBC e G1.
Leitura recomendada:

10 de julho de 2020

África chama os negros americanos para voltarem para seu lar original na África


África chama os negros americanos para voltarem para seu lar original na África

Julio Severo
Enquanto uma onda de supremacismo negro está varrendo os Estados Unidos, com militantes negros usando qualquer injustiça real ou percebida para saquear, destruir, estuprar e matar, uma nação na África está oferecendo uma solução que pode apaziguá-los: viver em uma nação dominada por negros.
Ruas aglomeradas de Accra, Gana
Aproveitando as tensões provocadas pelo supremacismo negro que está fervilhando nos Estados Unidos, Gana está incentivando os negros americanos a abandonar os EUA para voltar ao seu lar original — a África.
O apelo é uma continuação da iniciativa “Ano do Retorno” feita por Gana, lançada oficialmente em setembro de 2018. No lançamento, a presidente de Gana, Nana Akufo-Addo, elogiou os negros americanos, pedindo aos americanos de ascendência africana que considerassem voltar para a África.
O ano de 2019 foi escolhido porque marcou 400 anos desde que os primeiros escravos africanos chegaram à colônia inglesa da Virgínia em 1619.
“Conhecemos as extraordinárias realizações e contribuições que eles [africanos da diáspora] fizeram para a vida dos americanos, e é importante que este ano simbólico — 400 anos depois — comemoremos sua existência e seus sacrifícios,” declarou Akufo-Addo , conforme noticiado por Africa Renewal, uma revista publicada pela ONU.
Em 5 de junho, a Ministra do Turismo, Arte e Cultura do Gana, Barbara Oteng-Gyasi, repetiu as palavras de Akufo-Addo, citando a morte de George Floyd, um drogado preto em Minneapolis que morreu depois de resistir à polícia. Sua morte provocou uma série de tumultos violentos orquestrados pela organização marxista Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) nos Estados Unidos.
Oteng-Gyasi citou a morte de Floyd como uma razão por que os negros americanos deveriam retornar à África.
“Continuamos a abrir os braços e convidar todos os nossos irmãos e irmãs para voltarem para a África. Gana é seu lar. A África é seu lar. Temos os braços bem abertos, prontos para recebê-lo em casa. Por favor, aproveite, volte para casa e construa uma vida em Gana. Você não precisa ficar onde não é querido para sempre. Você tem uma escolha e a África está esperando por você,” disse Oteng-Gyasi, de acordo com o jornal The Independent Ghana, uma agência de notícias de Gana.
A realidade é que os negros trazidos como escravos da África não foram roubados de suas casas pelos europeus. Eles foram acorrentados e vendidos por outros africanos. Eles já eram escravos na África. Se eles nunca tivessem sido enviados para trabalhar na América, eles permaneceriam escravos na África. Na América, seus descendentes receberam o que os descendentes de escravos na África nunca receberam.
A idéia de comerciantes de escravos europeus brancos perseguindo e capturando africanos nativos inocentes — uma imagem popularizada por propagandas marxistas e pelos supremacistas negros — é uma farsa total.
Ao contrário dos colonos europeus, que foram para a América para viver e colonizar, os africanos foram levados só para trabalhar, e eles não receberam tratamento pior do que escravos africanos recebiam de negros que eram donos de escravos na África. A ideia de que um trabalhador ou escravo tem direito a tudo do dono é tão ridícula que se um milionário africano tiver dez empregados asiáticos (ou semi-escravos ou mesmo escravos, pois isso não é incomum na África) e esses empregados exigerem todas as propriedades de seu dono, o milionário vai rir deles.
Se os negros americanos acreditam que, ao retornar à África, estão abandonando a história sombria da escravidão e da opressão, estão tristemente enganados. Historicamente, negros sempre escravizaram negros. Africanos sempre escravizaram africanos. Em muitas partes da África, a escravidão ainda existe: Negro escravizando negro.
Com informações do The Western Journal.
Leitura recomendada:

9 de julho de 2020

Direita embruxada ou embruxadora? Bia Kicis, mestra do Reiki e musa da direita esotérica brasileira


Direita embruxada ou embruxadora? Bia Kicis, mestra do Reiki e musa da direita esotérica brasileira

Julio Severo
Há tempos venho denunciando que evangélicos estão se deixando enfeitiçar e iludir por uma Direita e conservadorismo dirigidos por pessoas com pesadas influências da Nova Era.
Num exemplo, alguns líderes evangélicos, encantados com a luta conservadora contra o marxismo, estão se interessando por ideias da Nova Era, inclusive o Reiki.
Tudo isso porque a deputada federal Bia Kicis, uma palestrante direitista que faz hangouts contra o marxismo, é uma mestra de Reiki. Acham que tudo o que vem com o rótulo conservador, direitista e antimarxista está automaticamente aprovado e é inofensivo.
Segundo o site oficial da Escola Brasileira de Reiki, Bia Kicis, que é membro dessa escola, tem, entre outras “especialidades,” as seguintes:
— Mestre de Reiki Tibetano.
— Formação em leitura de aura e chackras.
— Graduada em parapsicologia.
Tudo isso é Nova Era pura! E como se tudo isso não fosse suficiente, Bia Kicis é olavista, isto é, ela está ligada a um dos maiores ocultitas direitistas da história do Brasil, Olavo de Carvalho.
De fato, o Reiki não é uma prática cristã. É condenado tanto pelas igrejas evangélicas quanto pela Igreja Católica.
Em seu ministério terreno, pelo poder do Espírito Santo Jesus curava os enfermos e expulsava demônios. Em contraste, no Reiki seus mestres, que supostamente trazem “curas,” canalizam em suas vítimas o que eles chamam de energias — identificadas propriamente por cristãos dotados do discernimento do Espírito Santo como demônios.
A vítima que recebe a canalização do Reiki recebe demônios.
A pessoa que recebe a visita de Jesus recebe o Espírito Santo. A diferença é muito grande.
A imposição de mãos sob a prática Reiki canaliza demônios em suas vítimas.
A imposição de mãos feita no nome de Jesus libera o Espírito Santo, trazendo cura e expulsão de demônios.
Por que agora se deixar encantar pelo Reiki e outras ideias da Nova Era por amor à luta antimarxista? É preciso então abandonar Jesus e Sua Palavra para lutar contra o marxismo?
O cristão cheio do Espírito Santo, em vez de deixar os mestres de Reiki ministrarem a ele, ministra a eles.
Qual deve ser a postura do cristão diante dos mestres da Nova Era?
O cristão deve ajudá-los a se libertar do esoterismo. O único jeito de fazer isso é imitar Jesus: Proclamar e demonstrar o Evangelho do Reino de Deus, inclusive expulsando demônios.
É notável Jesus exercia seu ministério de expulsar demônios não em países pagãos, onde a idolatria e a possessão demoníaca eram comuns. Ele exercia seu ministério em Israel, o país que mais conhecia a Bíblia no mundo inteiro. Ele expulsava muitos demônios de um povo que uma vez por semana ia a seus templos ouvir a pregação da Bíblia e orar a Deus.
Então, conhecimento da Bíblia e ir uma vez por semana a um templo onde a Bíblia é pregada não é suficiente para livrar de demônios. No Brasil, onde o sincretismo religioso é endêmico, o católico mais fiel vai uma vez por semana à missa, onde ouve o padre pregando, mas se abre para várias ideias ocultistas. Mesmo os evangélicos não são imunes a essa abertura, e isso está ocorrendo mais agora sob camuflagem de luta antimarxista.
Se Jesus exercesse o ministério dele hoje, ele faria a mesma coisa que fazia pelo povo de Israel de 2000 anos atrás que frequentava toda semana os templos, mas estava aberto aos demônios: Ele expulsaria demônios.
Não se engane: Todo mestre da Nova Era, por mais direitista que seja, é oprimido por demônios. Os judeus do passado, dos quais Jesus expulsava demônios, eram tão conservadores e moralistas quanto os direitistas de hoje. Eles eram 100 por cento contra a agenda gay, mas eram fechados para o Espírito Santo e abertos para espíritos imundos.
Todo mestre da Nova Era pode se beneficiar do ministério de libertação de espíritos demoníacos.
Não há dúvida de que a Direita brasileira está precisando de desencapetamento.
Em vez de levar essa Direita a todos os cantos do Brasil, o cristão cheio do Espírito Santo tem a responsabilidade e chamado de levar o Evangelho a todos os cantos do Brasil, inclusive a todos os cantos escuros da Direita. E tem a autoridade do nome de Jesus para expulsar demônios de esquerdistas e direitistas.
Para uma maior compreensão sobre o Reiki e a forte opressão demoníaca que faz parte da vida de Bia Kicis, publico a seguir um capítulo do livro americano “Os Fatos Sobre Saúde Holística e a Nova Medicina,” que combate a Nova Era:

O que é Reiki?

Reiki é uma técnica japonesa antiga que enfatiza a cura psíquica mediante a manipulação de bioenergias místicas. A técnica foi “redescoberta” no Japão pelo Dr. Mikaousui em meados de 1800. Supõe-se que, depois de muitos anos de estudo dos escritos indianos da antiguidade, ele inventou uma fórmula para ativar e dirigir a bioenergia mística.
O Reiki é um processo destinado não só à cura psíquica, como também à transformação pessoal e espiritual (ocultista). A fim de tornar-se um instrutor de Reiki, o indivíduo deve ser iniciado por um dos “mestres” de Reiki. Durante o processo de aprendizado da técnica, o mestre injeta energia psíquica no aluno, abrindo pretensamente seus centros psíquicos (chakras) e ativando sua “força de vida.” Esse processo faz lembrar a dramática transição de poder oculto que os gurus do Oriente faziam aos discípulos, conhecida como shaktipat diksha. Ele também é usado para ajudar as pessoas a entrarem em estados “superiores” de consciência.
Por exemplo, a iniciação para o Primeiro Grau do Reiki inclui quatro “sintonias” específicas. Essas cerimônias secretas e solenes permitem ao mestre ativar a bioforça universal do aluno. Isso supostamente capacita o iniciante a receber e depois canalizar a energia psíquica. No Segundo Grau do Reiki, o iniciante progride para a cura ausente (cura psíquica de indivíduos à distância).
O Reiki é pois uma técnica ocultista destinada a manipular energias ocultas. Os instrutores de Reiki funcionam de maneira comparável à dos “médicos” psíquicos que utilizam guias espirituais.
Encontramos no Reiki os mesmos problemas ilustrados através do toque terapêutico, terapia de polaridade e métodos similares. A prática parece inocente e muitas pessoas acham que “não prejudica.” Infelizmente, as práticas ocultistas podem prejudicar e realmente prejudicam, podendo ser tudo, menos inocentes.
Extraído, com permissão, do livro de John Ankerberg e John Weldon, Os Fatos Sobre Saúde Holística e a Nova Medicina (Chamada da Meia-Noite, 1995), páginas 68,69.
Leitura recomendada:

7 de julho de 2020

Julio Severo precisa de sua ajuda hoje


Julio Severo precisa de sua ajuda hoje

Julio Severo
Este é um tempo de grande emergência. Por causa da pandemia do coronavírus, que a China comunista espalhou para o mundo inteiro, intencionalmente ou não, milhões de pessoas inocentes estão passando necessidade e sem emprego.
Eu me encontro nessa situação de emergência, precisando de sua colaboração urgente hoje. PRECISO DE SUA AJUDA HOJE. Por isso, desafio você a ajudar hoje.
“O que está sendo orientado na Palavra deve compartilhar tudo o que possui de bom com aquele que o instrui.” (Gálatas 6:6 King James Atualizada)
Se você está recebendo conhecimento e instrução nos artigos de conscientização cristã que publico no meu blog, desafio você a contribuir para que este trabalho possa continuar.
Claro que esse desafio é para ação voluntária, muito diferente das ações do ativismo homossexual e esquerdista, que funciona na base de coerção, obtendo muitas vezes dinheiro de impostos, tirados do suor e trabalho de cada leitor aqui, para doutrinar os filhos dos outros.
Meu trabalho é na direção oposta: denunciar essa doutrinação. Faço isso há mais de 20 anos. Em 1998, a Editora Betânia, na época uma das maiores editoras evangélicas do Brasil, publicou meu livro “O Movimento Homossexual,” para alertar as igrejas e a sociedade.
Faço meu trabalho de conscientização hoje no meu blog sem receber um único centavo do governo e de fundações multimilionárias americanas, que costumam financiar grupos e campanhas homossexualistas e esquerdistas no Brasil. Essas grandes fundações americanas pagam salários, bolsas, viagens e obtêm vistos de imigração para seus ativistas. Não tenho ninguém que faça nem 1 por cento disso por mim.
Não conto com o financiamento de governos e fundações americanas multimilionárias. Conto apenas com você e sua colaboração voluntária.
Faça uma contribuição para Julio Severo:
Banco Itaú
Banco 341
Agência: 5649
Conta: 02399-0
Contribua hoje mesmo, com qualquer colaboração. Aliás, seja um colaborador regular.
Se você mora nos EUA e tem conta bancária americana e gostaria de depositar sua colaboração diretamente em conta americana, escreva-me neste email: juliosevero5@gmail.com
Se você precisa de mais dados e informações, faça contato comigo neste email: juliosevero5@gmail.com
Claro que, conforme ensina a Palavra de Deus, “compartilhar tudo o que possui de bom com aquele que o instrui” não se limita apenas à colaboração financeira. Pode ser qualquer outra coisa. Se você tem algo de bom que Deus o está orientando a compartilhar ou fazer, faça contato comigo. Use o que você tem para abençoar e Deus o abençoará muito mais.
Se você não pode ajudar com recursos financeiros, ajude em oração.
Eu mantenho meu trabalho na base de recursos voluntários. Até mesmo Jesus dependia de recursos voluntários. Veja:
“Pouco tempo depois, Jesus começou a percorrer as cidades e os povoados vizinhos, anunciando as boas-novas a respeito do reino de Deus. Iam com ele os Doze e também algumas mulheres que tinham sido curadas de espíritos impuros e enfermidades. Entre elas estavam Maria Madalena, de quem ele havia expulsado sete demônios; Joana, esposa de Cuza, administrador de Herodes; Susana, e muitas outras que contribuíam com seus próprios recursos para o sustento de Jesus e seus discípulos.” (Lucas 8:1-3 King James Atualizada)
O ministério de Jesus e seus apóstolos impactava recebendo apenas recursos voluntários de mulheres que acreditavam neles e no trabalho deles.
Meu trabalho de escritor cristão tem sido, durante os anos, citado em várias línguas. Já tive artigo publicado em inglês na Charisma, a maior revista pentecostal do mundo. A Charisma ineditamente também publicou meu artigo sobre o presidente do Brasil. LifeSiteNews também publicou meus artigos. Aliás, durante anos fui tradutor oficial de LifeSiteNews e C-Fam, os dois maiores portais católicos pró-vida do mundo.
Meu ativismo cristão tem sido mencionado durante mais de uma década no WND (WorldNetDaily), um dos maiores portais conservadores dos Estados Unidos.
“Como,” você pergunta, “um escritor brasileiro sem dinheiro e sem o financiamento de governos e fundações consegue tal impacto no Brasil e nos EUA?” É Deus, agindo pelo Seu Espírito Santo e por meio de colaboradores.
Meus artigos têm sido publicados desde o Brasil, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Polônia, Líbano até Rússia.
Não se conhece nenhum escritor conservador brasileiro cujo nome tenha sido sistematicamente atacado durante anos e colocado na lista negra por People for the American Way, uma das maiores organizações esquerdistas dos EUA. Sim, meu nome está na lista negra deles. Para mim, todo ataque da esquerda contra mim é uma honra. E dou toda a glória a Jesus.
Não se conhece nenhum escritor conservador brasileiro cujo trabalho foi atacado pela CNN, a maior rede de televisão noticiosa esquerdista dos EUA e do mundo. Sim, meu trabalho foi mencionado negativamente pela CNN. Para mim, todo ataque da esquerda contra mim é uma honra. E dou toda a glória a Jesus.
Não se conhece nenhum escritor conservador brasileiro que tenha sido atacado várias vezes por The Advocate, a maior revista homossexual do mundo. Sim, eu tive essa “honra” várias vezes. Para mim, todo ataque do ativismo homossexual contra mim é uma honra. E dou toda a glória a Jesus.
Em 2017, HotSpots, a revista homossexual mais importante da Flórida, EUA, com satisfação maligna anunciou: “Criatura Asquerosa da Semana: Escritor e Blogueiro Brasileiro Julio Severo.” Vários outros sites e revistas homossexuais dos EUA, de costa a costa, também me deram essa classificação em 2017.
Se eu os xingasse, eles jogariam contra mim leis e mais leis americanas contra discriminação. Mas quando eles me xingam… É sinal de que meu trabalho está incomodando e impactando.
Eu não tenho minha própria conta PayPal, porque depois de uma campanha homossexual internacional, o PayPal fechou minha conta no final de 2011. Esse caso virou manchete nos EUA através do WND. Em 2017, uma entidade judaica dos Estados Unidos disponibilizou a conta PayPal deles para me ajudar, mas essa conta fechou em 2019 depois que grupos homossexualistas processaram a entidade.
Nos últimos anos, o Facebook tem me imposto vários bloqueios de 30 dias por eu expressar minha opinião sobre o pecado homossexual e a violência islâmica. O Facebook chegou a remover um versículo da Bíblia que postei no meu perfil. De novo, o WND repercutiu esse caso em manchete nacional nos EUA. A tradução completa da reportagem do WND está aqui.
E como se toda a perseguição esquerdista e homossexualista não fosse suficiente, ainda há a perseguição do ocultista Olavo de Carvalho, considerado o guru (conselheiro esotérico) do Presidente Jair Bolsonaro. Com tal enorme influência agora, Carvalho acha que chegou a hora de se vingar de mim por ter exposto seu histórico e conexões ocultistas, além do escândalo de ele ser o maior defensor brasileiro da Inquisição.
Em sua sanha de ódio e vingança, em um vídeo de 11 de junho de 2020 Olavo de Carvalho pediu que o governo do Presidente Jair Bolsonaro me investigasse pelo “crime” de expor o ocultismo dele e sua defesa da Inquisição. Em um vídeo de 2019, ele também pediu à Polícia Federal do Brasil que me investigasse.
Então por três vezes, em vídeos públicos, Carvalho tem incitado perseguição contra mim.
Se há algum jurista americano que pode me ajudar contra tal perseguição, por favor faça contato comigo.
É perseguição de todos os lados, contra um pai de sete filhos que apenas escreve o que precisa ser denunciado, respeitando a liberdade de expressão, mas ganhando o ódio de extremistas dos dois lados que detestam o que eu digo.
Então, tenho inimigo poderosos na esquerda fanática e entre ocultistas direitistas, nos Estados Unidos e no Brasil.
Tudo isso é resultado de impacto.
Eu não teria esse impacto nos EUA e no Brasil se não fosse a graça de Jesus Cristo e as orações de apoiadores.
Esse impacto é graças à sua colaboração. É graças a você, que acredita nesse trabalho. Por isso, contribua hoje! Não tenho condições de sobreviver sem seu apoio.
Torne-se um colaborador regular.
Preciso muito de sua colaboração regular para continuar impactando. POR FAVOR, AJUDE HOJE. AJUDE REGULARMENTE.
Ajude esse trabalho de conscientização a não parar de impactar no Brasil e nos EUA.
Versão em inglês deste artigo: Julio Severo Needs Your Help Today
Leitura recomendada:
Outra leitura recomendada: